Administração Pública: a necessidade de qualificação profissional técnico-científica dos funcionários públicos como fim para um atendimento de excelência aos cidadãos

|

Publicado em . Elaborado em .

Página 3 de 3»

REFERÊNCIAS

BANDEIRA DE MELLO, Celso Antônio. Curso de Direito Administrativo. 27. ed. São Paulo: Malheiros, 2010.

BOND, M. T. Práticas Profissionais na Gestão Pública. Curitiba: Ibpex, 2007.

BOOG, Gustavo G (coord). Manual de Treinamento e Desenvolvimento ABTD. 3. ed. São Paulo: Makron Books, 1999.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: DF, 1988.

BRASIL. Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Brasília: DF, 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8112cons.htm. Acesso 01.11.2011.

CARVALHO, Kildare Gonçalves. Direito Constitucional. 16. ed. rev. atual. e ampl. Belo Horizonte: Del Rey, 2010.

CHIAVENATO, Idalberto. Recursos Humanos: edição compacta. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1998.

DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. Direito Administrativo. 23. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

KAUSS, Lais Fraga. A estabilidade funcional e a eficiência no serviço público. Disponível em: http://jus.com.br/revista/texto/20389/a-estabilidade-funcional-e-a-eficiencia-no-servico-publico. Acesso em 13.11.2011.

MEIRELLES, Hely Lopes. Direito Administrativo Brasileiro. São Paulo: Malheiros, 2003.

MEIRELLES, Hely Lopes. Direito Administrativo Brasileiro. 30. ed., São Paulo: Malheiros, 2005.

MORAES, Alexandre de. Constituição do Brasil interpretada e legislação constitucional. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2005.

ROBBINS, Stephen Paul. Fundamentos do comportamento organizacional. 8. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009.

RUIZ, J. A. Metodologia Científica: Guia para eficiência nos estudos. São Paulo: Atlas, 1996.

STADLER, Adriano. MAIOLI, Marcos Rogério. Organizações e desenvolvimento Sustentável. Editora IBPEX, Curitiba: 2011.

VASCONCELOS, Telmo da Silva. O princípio constitucional da acessibilidade aos cargos públicos e as hipóteses constitucionais de admissão. Disponível em: http://jus.com.br/revista/texto/3384/o-principio-constitucional-da-acessibilidade-aos-cargos-publicos-e-as-hipoteses-constitucionais-de-admissao. Acesso em 13.11.2011.

WAGNER, John A.; HOLLENBECK, John R. Comportamento organizacional: criando vantagem competitive. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2009.


Notas

[1] GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002, p. 44.

[2] RUIZ, J. A. Metodologia Científica: Guia para eficiência nos estudos. São Paulo: Atlas, 1996, p. 58.

[3] MORAES, Alexandre de. Constituição do Brasil interpretada e legislação constitucional. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2005, p. 793.

[4] Ibidem, p. 795.

[5] BANDEIRA DE MELLO, Oswaldo Aranha (apud CARVALHO, Kildare Gonçalves. Direito Constitucional. 16. ed. rev. atual. e ampl. Belo Horizonte: Del Rey, 2010, p. 1087).

[6] DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. Direito Administrativo. 23. ed. São Paulo: Atlas, 2010,p. 49.

[7] Ibidem, p. 49.

[8] Ibidem, p. 52.

[9] Ibidem, p. 52.

[10] MORAES, Alexandre de. Constituição do Brasil interpretada e legislação constitucional. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2005, p. 796.

[11] DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. Direito Administrativo. 23. ed. São Paulo: Atlas, 2010, p. 47.

[12] Ibidem, p. 62.

[13] Ibidem, p. 60-62.

[14] Ibidem, p. 62.

[15] CRETELLA JÚNIOR, José (apud DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. Direito Administrativo. 23. ed. São Paulo: Atlas, 2010, p. 62).

[16] CARVALHO, Kildare Gonçalves. Direito Constitucional. 16. ed. rev. atual. e ampl. Belo Horizonte: Del Rey, 2010, p. 1096.

[17] MEIRELLES, Hely Lopes. Direito administrativo brasileiro. São Paulo: Malheiros, 2003, p 102.

[18] BRASIL. Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Brasília: DF, 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8112cons.htm. Acesso 01.11.2011.

[19] Ibidem.

[20] MORAES, Alexandre de. Constituição do Brasil interpretada e legislação constitucional. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2005, p. 843.

[21] Artigo 37, inciso II. BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: DF, 1988.

[22] MORAES, Alexandre de. Constituição do Brasil interpretada e legislação constitucional. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2005, p. 843.

[23] Artigo 37, inciso II. BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: DF, 1988.

[24] MORAES, Alexandre de. Constituição do Brasil interpretada e legislação constitucional. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2005, p. 862.

[25] Ibidem, p. 851.

[26] VASCONCELOS, Telmo da Silva. O princípio constitucional da acessibilidade aos cargos públicos e as hipóteses constitucionais de admissão. Disponível em: http://jus.com.br/revista/texto/3384/o-principio-constitucional-da-acessibilidade-aos-cargos-publicos-e-as-hipoteses-constitucionais-de-admissao . Acesso em 13.11.2011.

[27] Ibidem.

[28] Ibidem.

[29] MEIRELLES, Hely Lopes. Direito Administrativo Brasileiro. 30. ed., São Paulo: Malheiros, 2005, p. 419.

[30] KAUSS, Lais Fraga. A estabilidade funcional e a eficiência no serviço público. Disponível em: http://jus.com.br/revista/texto/20389/a-estabilidade-funcional-e-a-eficiencia-no-servico-publico. Acesso em 13.11.2011.

[31] Ibidem.

[32] Ibidem.

[33] BOND, M.T. Práticas Profissionais na Gestão Pública. Curitiba:Ibpex, 2007, p. 28.

[34] Ibidem, p. 63.

[35] Ibidem, p. 28.

[36] CHIAVENATO, Idalberto. Recursos Humanos: edição compacta. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1998, p. 487.

[37] Ibidem, p. 487.

[38] BANDEIRA DE MELLO, Celso Antônio. Curso de Direito Administrativo. 27. ed. São Paulo: Malheiros, 2010, p. 29.

[39] WAGNER, John A.; HOLLENBECK, John R. Comportamento organizacional: criando vantagem competitiva. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2009, p. 32 e 33.

[40] ROBBINS, Stephen Paul. Fundamentos do comportamento organizacional. 8. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009, p. 245.

[41] BONGANHI, Paulo Sebastião in BOOG, Gustavo G (coord). Manual de Treinamento e Desenvolvimento ABTD. 3. ed. São Paulo: Makron Books, 1999, p. 536.

[42] STADLER, Adriano. MAIOLI, Marcos Rogério. Organizações e desenvolvimento Sustentável. Editora IBPEX, Curitiba: 2011.

[43] Ibidem.


ABSTRACT: With this scientific paper seeks to conduct a study regarding the proper and essential training and choice of professional from their skills throughscientific and technical support that they should necessarily have to perform the duties and exercise the functions which are applicable in the administration public, failing to continue to see made impossible the ultimate goals of structural policy desired activity. It is hoped that with this research, the public servant can identify that through their training and qualifications to work in society will help manage the public agency in a way to serve the citizen and administer the public good more effectively. So this work is exploratory, with an approach to literature on the subject in question. With the aim of the research on the level of professional qualification of civil servants, and to developing an effective and fruitful discussionabout how to improve efficiency in public administration.

Keywords: Training. Qualifying. Efficiency.


Autores


Informações sobre o texto

Como citar este texto (NBR 6023:2002 ABNT)

SANTOS, Rebeca Mayer dos; VICENTIN, Reinaldo. Administração Pública: a necessidade de qualificação profissional técnico-científica dos funcionários públicos como fim para um atendimento de excelência aos cidadãos. Jus Navigandi, Teresina, ano 17, n. 3369, 21 set. 2012. Disponível em: <http://jus.com.br/artigos/22624>. Acesso em: 18 dez. 2014.


Comentários

1

  • Rubens Artave

    Texto de relevância ímpar, porém existe algo que não coopera com a direção que a Administração Pública deve seguir, escrevo sobre cargos em comissão, livre nomeação, geralmente esta pessoa, por ser somente um agente político, não interage com os anseios da coisa pública. Geralmente são e chegam totalmente despreparados, desmotivando inclusive aqueles que ainda respeitam o serviço público.

Livraria