Boa tarde!!

Meu filho esta trabalhando em uma firma a mais de tres anos, notamos nos ultimos extratos do fundo de garantia, que não consta o depósito desde Novembro 07 e ele conversou no RH de sua firma e eles confirmaram que não estavam depositando por problemas finaceiros e iriam depositar à partir de agora, e esse intervalo sem como fica? Alguem possa dar uma dica!

Respostas

13

  • 0
    I

    Ivan - Acadêmico de Direito Sexta, 12 de dezembro de 2008, 17h22min

    Na realidade, a empresa pode depositar com as devidas multas o FGTS a qualquer tempo. Mas tem que depositar todos os meses em que seu filho é empregado dela. O mais importante é saber se no momento da saída do seu filho desta empresa tudo esteja devidamente depositado.

  • 0
    V

    v.v. silva - Administrador Segunda, 15 de dezembro de 2008, 11h04min

    Na verdade, essa questão de fundo de garantia é complicada pois no meu ver o governo ou seja a cef, deveria fiscalizar os depositos do fgts, pois eu mesmo perdi quase quatro anos de fgts a empresa não depositou , abriu falência e não recebemos a parte que não foi depositada e por falir nem advogados aceitaram entrar com ação.como sua empresa parece que está mal das pernas pode ser hora de você partir para novos desafios.

  • 0
    A

    A.E.Barbosa Segunda, 15 de dezembro de 2008, 14h51min

    Na verdade vç tem razão v. silva, será que isto daria motivo para uma recisão de contrato e ele receber todos os seus direitos trabalhistas.

  • 0
    A

    Arísio Terça, 16 de dezembro de 2008, 2h22min

    A empresa pode a qualquer tempo depositar os referidos fgts..em atrazos com as refridas multas para os respectivos meses em atrazo..o importante é que esteja tudo depositado no ato da demissão do empregado,pois salvo em alguns casos especiais é que é realizado saques dos mesmos pra aquisição da casa própria... no demais fiquem tranquilos.....

  • 0
    I

    Ivan - Acadêmico de Direito Quinta, 18 de dezembro de 2008, 18h45min

    A minha opinião, como já expus anteriormente, é a mesma de Arísio. No mais, faça o acompanhamento daqui em diante dos depósitos. Acontece, algumas vezes, de a empresa atrasar alguns depósitos, não precisa se precipitar e pedir demissão da empresa. O ideal é primeiro a conversa, veja o que vai ser feito, se ela insistir no erro aí sim, procure os seus direitos.

    Abraços.

  • 0
    M

    Max dias Sexta, 19 de dezembro de 2008, 13h58min

    Caros Amigos

    No caso apresentado deve-se fazer uma denuncia a Delegacia Regional do Trabalho para requerer o adimplemento da obrigação do FGTS.
    O fundamento que me leva a essa conclusão é a questão que envolve o instituto da Prescrição e Decadência no Direito do Trabalho no que tange aos direitos de requerer parcelas oriundas do FGTS.
    O atual pensamento jurisprudêncial trabalhista entende que a parcela do FGTS só pode ser cobrada referente aos últimos 5 anos após a propositura da ação. Por isso, apesar da prescrição trintenária do FGTS, prevalece o qüinqüênio trabalhista.

    Veja um exemplo: João trabalhou em uma empresa durante 20 anos. A empresa não efetuou pgto de nenhum deposito de FGTS. João só poderá pleitear judicialmente que a empresa pague os últimos 5 anos. Os outros 15 anos, não serão cobrados.

  • 0
    J

    Joel Teixeira da Fonsêca Sexta, 19 de dezembro de 2008, 23h38min

    A prescrição do FGTS é trintenária, mas você deverá intentar a ação até dois anos do término do contrato de trabalho. Você deve formular uma denúncia na Superintendência Regional do TRabalho e Emprego na sua cidade. Os Auditores Fiscais do TRabalho levantarão as competências que estão sem depósito e as lançarão em NFGC (Notificação Fiscal que aponta o quanto a empresa deve e para que empregados deve). A partir daí seu direito estará garantido porque haverá uma cobrança judicial, ainda que a empresa de moto próprio não pague.

  • 0
    A

    Arísio Domingo, 21 de dezembro de 2008, 19h47min

    Concordo em tese quanto a opnião e esplanação jurídica do Max Dias, só tem um detalhe que é bom ter um cuidado:
    Está movendo qualquer tipo de denúncia na Delegacia Regional do Trabalho enquanto está na empresa, causa uma situação desconfortavel para o trabalhador que ainda está na empresa.
    Quanto a outra questão, de o empregado sair da empresa e seu tempo lá tenha durado 15 anos e não tenham nenhum depósito efetuado, ao sair da empresa o cidadão tem até dois anos para mover uma ação trabalhistas em busca de resíduos financeiros, inclusive o FGTS..que é direito garantido do emprregado..a justiça obrigará que isso seja solucionado, caso a empresa queira agir de má fé para com o empregado,pois houve uma lesão não apenas para o empregado..mas também para o sistema do FGTS da caixa,em outras palavras..INSS,FGTS,são dívidas que a empresa adquire perante o governo.Portanto não concordo no total com a tese do Max Dias..

  • 0
    M

    Max dias Domingo, 21 de dezembro de 2008, 23h25min

    Caro Arízio

    Concordo quanto a decadência trabalhista e a prescrição trintenária do FGTS.
    O ponto que deveria ter expressado seria os reflexos trabalhistas sobre o FGTS que devem seguir o quinquênio trabalhista. Revejo o exemplo dado erroneamente e peço descupas os colegas.
    Quanto a denuncia no DRT ela é poderá ser anomima.

  • 0
    L

    Leandro_1 Terça, 03 de fevereiro de 2009, 13h44min

    Ainda estou trabalhando na empresa e esta, não está depositando o fundo a mais de um ano.
    Sei que terão q arrumar isso qdo um dia eu sair da empresa.
    O problema é que eu quero usar o FGTS junto com o da minha esposa para dar entrada numa casa.
    Como fica isso?
    Preciso do meu FGTS com o máximo de grana.
    É chato vc ainda empregado gerar um clima de processo ou sei lá.

    O que devo fazer?

  • 0
    M

    maua Segunda, 22 de abril de 2013, 15h37min

    abre a reclamacao no sindicato anonimo! e fecha a empresa ai vc saca todo o fgts para comprar a acasa!

  • 0
    S

    SulaTeimosa Suspenso Sábado, 27 de abril de 2013, 20h42min

    Lenadro, não se garanta muito disso, não. Muitos estão demitindo, depositam os 3 últimos meses anteriores a demissão e ficam de depositar o restante e NADA!! O trabalhador tem de entrar na justiça para forçá-los a pagar, e muitas vezes acordam em pagar em mais de 12 parcelas.

    O não rrecolhimento do fGTS permite a rescisão indireta, onde vc receberia todos os direitos de uma demissão sem justa causa.

    Pense nisso.

Essa dúvida já foi fechada, você pode criar uma pergunta semelhante.

Receba os artigos do Jus no seu e-mail

Encontre um advogado na sua região