Respostas

30

  • Cláudio_1

    Gostaria de saber como a dívida adquirida atráves de emprestimos bancários e cheque especial há 3 anos pode me atingir, uma vez que não possuo bens...so uma honda Bis, adquirido depois dessas dividas .

  • Arnaldo Cruz

    ATENÇÃO: SOU LEIGO NÃO SOU ADVOGADO!

    Francis e Luiz, estou passando por isso e sendo assessorado. Cinco anos é o prazo máximo que podem manter seu nome no SPC e afins em função de uma dívida específica. O credor continua com o direito de executar em juízo a dívida, a dívida não prescreve.

    Procurem um advogado.
    Abraços, Arnaldo

  • FRANCIS VALLEY

    Arnaldo, como que não prescreve se até crime de homicidio prescreve em 20 anos, já que você está sendo assessorado, procura, por favor, saber para mim.
    Obrigado, Francis.

  • Carlos R M

    Desculpe Francis, mas creio que o que o Arnaldo quis dizer é que seu nome é retirado dos registros do serviço de proteção ao crédito em cinco anos, mas a dívida (que não é eterna) continua existindo até que se decorra o prazo estabelecido pelo Novo Código Civil, que é de dez anos (art. 205).

  • Juninho 2009

    Olá!!! Trabalho em um banco público, em especial na área de cobrança, e antes de responder sua pegunta vou fazer um complemento que acho cabível. Não sei como as pessoas tem a cara de pau de fazer uma dívida pensando na sua prescrição, é muita safadeza!!!!!! É incrível!!!
    Mas já retornando, é em cinco anos que seu CPF sairá de órgãos como SERASA, já que o SPC não é usado por bancos!!! De acordo com o novo código a prescrição ocorrerá também em cinco anos, mas não espere até lá não!!! Pois até esses cinco anos muitas coisas podem acontecer, como a dívida ser encaminhada para execução, e aí meu amigo, vai casa, vai carro, vai tudo!!!!!!!

    Abraços.

  • Arnaldo Cruz

    Prezado “Juninho 2009”,

    Acredito que não sensato nem civilizado você ofender pessoas. Em especial sem saber dos fatos que as levaram a uma situação específica de inadimplência. Peço humildemente que reflita sobre isso.

    Arnaldo

  • Arnaldo Cruz

    Francis e Eduardo, sobre a prescrição o que levantei é:

    Dívidas relativas a obrigações de pagamento que resultam de contratos (por exemplo, de compra e venda, financiamento de bens móveis e imóveis), cartões de crédito, compras a prazo, crédito direto ao consumidor, prestação de serviços e contratos bancários (limite especial): o prazo prescricional para cobrança é de cinco (5) anos.

    No o Código Civil permite a interrupção dessa prescrição, entre outros casos, por protesto cambial (ato formal que prova a inadimplência do devedor) e por qualquer ato que importe reconhecimento do direito do devedor. Parece que é o mesmo caso de quando há notificação extrajudicial.

    O ideal é procurar o credor para negociação. Mas faça isso acompanhada de um bom advogado. Tento retomar o pagamento de minha dívida desde 2004, só que não concordo com o Anatocismo praticado pelo banco.

    Abraços, Arnaldo

  • FRANCIS VALLEY

    Arnaldo, voce respondeu muito bem para o Juninho, legal.......obrigado pelas considerações e orientações.
    Abraços Francis.

  • Derlei Gomes

    Boa noite!! Este assunto me interessa, pois li os comentários e fiquei com uma dúvida e gostaria de saber se um de vcs poderiam saná-la: o fato é que um cheque foi emitido em jun/2000 e não foi compensado por falta de fundos. Na época, o banco fez a inclusão do CPF no SERASA e para minha surpresa, em fev/2007, o banco protestou tal cheque. 1º o banco poderia fazer tal protesto, uma vez que na época já havia negativado o CPF do titular da conta? 2º o novo Código Civil (Lei nº 10.406, de 10.01.2002 - DOU 1 de 11.01.2002) poderia abranger esse fato? 3º em caso de abuso do banco, quais seriam as providências a serem tomadas?
    Fico no aguardo e muito obrigado...