Ir direto ao conteúdo

Redes Sociais do Jus Navigandi

  1. Victor
    14/06/2009 13:24

    Boa Tarde, gostaria da ajuda de vocês para meu caso.

    Estou há 3 anos com a mesma namorada e descobrimos agora que seremos pais.. Entretanto o relacionamento não está muito firme, nós terminamos várias vezes e voltamos atrás.. Não somos casados e não moramos juntos, gostaria de saber o que fazer para arcar com as responsabilidades de pai perante a lei visto que não pretendemos ficar juntos..
    O motivo pelo qual não ficaremos juntos é por conta da recepção da minha familia com a noticia do filho, eles não estão satisfeitos e criticaram minha namorada, ela ficou com raiva deles e agora um não quer ver o outro, e eu nessa história toda fico no meio tentando agradar a familia e a namorada.. Se for para o lado da namorada é como se estivesse dando as costas aos meus pais que já se desculparam mas ela (namorada) não aceita as desculpas e se for para o lado deles (pais) ela diz que eu estou abandonando o filho e ela...
    O que eu faço para seguir o que a lei manda ?

    Obrigado desde já..
  2. Rosa R. Marinho - Advogada Sc
    14/06/2009 13:44

    Victor,

    Dilema é isso. O que fazer, né? Mas o meu papel é jurídico e não psicológico. Então vamos lá.

    Vc tem direitos e deveres para com seu filho. Uns legais outros morais.

    Dever de assistência moral, intelectual, psicológica e financeira. Tem outros, vc irá descobrir.

    Direito de estar com ele, de acompanhar sua educação, tanto na escola quanto em casa, de cobrar da mãe dele o atendimento de que toda criança necessita. Higiene, alimentação, etc.

    De início registrar seu filho e prestar uma pensão de alimentos mensal, de acordo com suas possibilidades financeiras (e da mãe também, que pode ser melhor do que a sua, não sei) e de acordo também com as necessidades de seu filho. Cada pessoa tem um padrão de vida diferente.

    FELICIDADES E BOA SORTE!
  3. Victor
    15/06/2009 12:11

    Bom dia Dra.

    Muito Obrigado pelas dicas, mas existe a possibilidade de ficar com meu filho mais do que quinzenalmente ? Tenho como brigar na justiça por isso ? Por exemplo, uma semana comigo e outra com ela ?

    Obrigado!
  4. Julianna Caroline Batista
    15/06/2009 12:19

    Olá Victor

    Tentarei responder sua pergunta:
    Enquanto a criança tiver pouca idade e for fependente da mãe, não dá pra pedir a guarda alternada, e também, uma semana ali e outra lá, seria demasiado cansativo para a criança. O que acontece geralmente é no mínimo 15 dias para cada.
    Espere até ela crescer um pouco, qdo não for mais dependente totalmente da mãe, tente pedir a guarda alternada.
    Boa sorte**
  5. Victor
    16/06/2009 09:41

    Oi Julianna,

    Muito Obrigado pelas dicas :o)
  6. Julianna Caroline Batista
    16/06/2009 09:48

    Olá Victor

    Por nada e disponha.
    Abraço**
  7. leearsy@hotmail.com
    17/06/2009 21:50

    amigo, procure informação sobre a guarda compartilhada, esta visa o melhor para a criança, um grande abraço de um pai-herói
  8. Julianna Caroline Batista
    18/06/2009 11:45

    A guarda compartilhada é aquela em que um dos pais tem a guarda definitiva, e o outro participa ativamente nas decisões sobre a criança e na criação e educação da mesma. com escolher escola, cursos, etc. Além das visitas poderem ser feitas a qualquer dia, desde que aquele que detém a guarda concorde.
    A guarda alternada é aquela em que a criança fica um período com o pai, outro com a mãe, tendo duas casas... Essa opção se aplica melhor qdo os pais residem na mesma cidade, por questões prática e de escola da criança por exemplo.
    Tudo isso deve ser analizado levando em conta o bem estar da criança, e decidido juntamente com o Juiz, durante a audiência para decidir isso.
    Abraços**
  9. ana kecya
    15/06/2010 11:56 | editado

    Bom dia!
    Tenho um cunhado que esta passando por um problema delicado, ele e a esposa vivem juntos uns 2 anos e tem uma filhinha de 1 ano e meio, tiveram um desentendimento a esposa foi na defensoria publica e ele se comprometeu em dar pensão e plano de saúde para a filha. Sendo que a criança é muito apegada a mãe e ele continuou a pagar plano de saúde para esposa para não adoecesse para evitar de deixar a filha com pessoas estranhas. Resolveram tudo numa boa ela foi embora com a filha, depois de 4 meses ela voltou para dentro de casa, e agora foi embora novamente e fica ameaçando o rapaz ele não deixou de arcar com a despesa da filha, ele sempre foi um pai presente , mais eu fico muito triste por ver ele sendo pressionado pela ex –mulher, quero saber como devo esta instruindo-lo.

    Desde já obrigada.

Participe do Fórum

Entre com seu cadastro do Jus Navigandi:

Esqueceu sua senha?

Não tem Facebook e quer participar do Fórum?

Faça perguntas, responda dúvidas e discuta assuntos jurídicos. É fácil e grátis!

JUS NAVIGANDI NAS REDES SOCIAIS