Ir direto ao conteúdo

Redes Sociais do Jus Navigandi

  1. Luciana Lourenço
    22/06/2009 21:39

    Olá este é um assunto que esta me tirando o sono e me deixando num estado mais agravante do que já está, vou explicar, a seguir:
    Hoje dia 22.06.09 esta fazendo treze dias de afastamento por Transtorno Depressivo Intenso e Agora Fobia, CID F 33.10 / F 40.01, a minha psiquiatra que é do convênio da Instituição que trabalho ja mudou minha medicação três vezes sendo que nenhuma delas fez efeito tendo uma piora, mudou a medicação para Rivotril 4x ao dia e Fluoxetina 30mg pela manhã.
    Quero saber se ao ser atestada pelo INSS como incapaz de exercer atividades laboriais tenho direito receber o 13º salário ja que faz 11 meses e 24 dias que trabalho na instituição, se o valor será integral como se estivesse trabalhando ou se conta como no dia do início do Auxilio-Doença.
    Outra questão, estes transtornos foram causados devido o ESTRESS do local onde trabalho se após voltar da licença tenho estabilidade de emprego e por qual período?
    O encaminhamento para tratamento Psiquiátrico veio da Psicóloga da medicina do trabalho na instituição que trabalho.
    Outra Questão, o Seguro saúde (convênio) posso utiliza-lo normalmente?
    Por Favor me ajudem este assunto esta me deixando LOUCA !!!!!!!
  2. reginaldo mazzetto moron
    23/06/2009 06:34

    Vamos lá, vc só terá auxilio doença, C-31 se passar no exame médico e ficar afastado por mas de 15 dias da empresa. O 13º salário é o inss quem paga após os 15 dias de afastamento. Já quanto a estabilidade no emprego, vc terá direito após cessar o auxilio e por um período de 12 meses. Quanto ao convênio há celeuma no assunto, pois uns entendem que só com acidente do trabalho C-91 que faz jus ao benefício e outros entendem que o auxilio doença também faz.
  3. Luciana Lourenço
    23/06/2009 14:18

    Obrigada pela resposta mais o que ainda não entendi é que :
    O décimo terceiro salário é iniciada a contagem a partir do dia de entrada do auxilio ou conta desde o início que entrei na instituição já que quem pagará este 13º será o INSS, ele entende que pagará à partir do início do benefício ou o valor integral ja que faz um ano que estou na empresa. Então eu tenho estabilidade de emprego por um período mínimo de 12 meses devido a causa da patologia ser desenvolvida no ambiente de trabalho correto ?
    O convênio tenho esta dúvida pois eu tenho uma co-participação que é descontada em folha, por isso minha dúvida.
    Obrigada gostaria de me esclarecesse novamente.
    Luciana.
  4. MARIA JULIANA VALADÃO POHLMANN PEREIRA
    23/06/2009 15:43

    Ñ há necessidade de ficar louca, o 13° salário será pago normalmente, no seu contracheque virá o relativo aos seus dias trabalhados. Se caso você entrar em benefício no INSS o perito que lhe atender vai informar o tipo de benefício que será concedido, se for o B-31(auxilio doença previdenciário) vc ñ tem direito a estabilidade no momento do seu retorno ao trabalho, se for o B-91(auxilio doença acidentário) ai vc terá direito a 12 meses de estabilidade no momento do seu retorno. O relativo ao 13° que não vier no seu contracheque , virá no seu pagamento pelo INSS. Não sofra por antecipação, vc nem sabe se será preciso se afastar pelo INSS, toda essa angustia só lhe fara mal; Boa Sorte
  5. rogerio tk
    02/12/2010 09:41

    Oi. meu nome eh Rogerio , gostaria de saber o seguinte, passei na pericia em abril e meu pedido de auxilio doenca foi CONCEDIDO , desde entao estou recebendo normalmente (vou receber ate janeiro de 2011), gostaria de saber se eu vou ter o direito de receber o 13° salario deste ano ? e se tiver esse direito, quando eu recebo? Porque hoje ja eh dia 2 de dezembro e ainda nao recebi nada !

    Desde ja , Obrigado !
  6. Rita Farias
    03/12/2010 23:25

    Estou com o mesmo problema,estou de aux doença fez 12 meses em novembro 2010,e na mesma situaçao nao sei se tenho direito ao 13º salario,aguardo resposta
    Obrigada.
  7. Crg
    04/12/2010 00:33 | editado

    Por favor, peço a gentileza de vcs, pois meu marido está a 7 anos afastado do INSS, com indas e vindas, devido a transtornos pipolar...
    Faz uso de medicamentos fortissimos, Rivotril, Olcadil, Seroquel, Paroxetina...
    Fez várias tentativas de voltar ao trabalho, porém como sua profissão é de risco, Eletricista de Manutenção a 25 anos e tentou um suicidio na empresa, a empresa não deixa ele retornar, alegando que ele é uma bomba na empresa. Deu um laudo pedindo aposentadoria por invalides...
    A ultima carta que a psiquiadra fez, pediu para a empresa o retorno do meu marido como forma de readaptação, porém a empresa não aceitou...
    Ao ficar sem pagamento, pois nem o INSS e a empresa quiseram pagar o salário, entramos na justiça em 2008, sendo que o juiz deu tutela antecipada...
    Neste mês de dezembro, minha advogada informou que o perito judicial disse em laudo que ele estava apto ao trabalho, que a doença estava controlada...
    Porém o perito não informou que ele estava apto a voltar para a sua profissão...
    Ao conversar na empresa, novamente não deixaram ele retornar, dizendo que só retornaria se deixasse de tomar os medicamentos...

    E agora, o que posso fazer, pois não podemos ficar sem receber, e ele não pode ficar sem tomar os medicamentos...

    O Juiz não poderia pedir para a empresa deixar ele voltar como forma de readaptação?

    Você poderiam indicar algum advogado que poderia nos ajudar?

    Abraços e estou, de verdade, desesperada...

Participe do Fórum

Entre com seu cadastro do Jus Navigandi:

Esqueceu sua senha?

Não tem Facebook e quer participar do Fórum?

Faça perguntas, responda dúvidas e discuta assuntos jurídicos. É fácil e grátis!

JUS NAVIGANDI NAS REDES SOCIAIS