Ir direto ao conteúdo

Redes Sociais do Jus Navigandi


  1. 09/07/2009 18:35

    A dois anos sofri acidente de trabalho com moto(exercia a função de auxiliar administrativo mas também fazia leitura em campo pois é empresa de eletrificação),e a um ano retornei ao trabalho devido o medico perito entender que já estava em tempo mesmo ainda precisando de muletas para caminhar. Porém o mesmo nem olhou o Raio x feito na época e agora estou com serios problemas pois nem o Inss nem a empresa onde trabalho me ajudou no tratamento até agora, sinto muitas dores na perna e o pino que fixava a aste dentro da perna rompeu fazendo minha perna incurtar em 1 cm.
    Poderiam me ajudar? Oque posso fazer neste caso?

    Obrigado!!!
  2. Jurema Claudia Longue Hiller De
    09/07/2009 23:23

    tenho um amigo que ficou dois anos sem receber da empresa, o mesmo estava de auxilio doença e no termino do mesmo a empresa não o aceitou, ele então procurou o inss que também não o aceitou. a empresa negou-se a readaptá-lo em outra função já que na função anterior conforme atestado o mesmo não poderia mais retornar. gostaria de saber um pouco sobre direitos do empregado em relação a readaptação.
  3. Maricelia Magalhães dos Santos
    10/07/2009 02:32

    A empresa deverá encontrar uma outra função compátivel com a atual limitação , o empregado tem direito a 1 ano de estabilidade e ao FGTS de td o período que ficou sem trabalhar , caso o INSS reconheça que o funcionario pode exercer uma outra função que não a mesma que exercia antes do acidente , depois de reabilitá-lo lhe dará uma indenização correspôndente a 50% do aux doênça acidentário áté o resto de sua vida ou aposentadoria.

    Esse valor poderá ser comulado com outro beneficio e nada impede que ele venha a prosseguir sua vida profissional em outra função( cumulando sálario com o aux/ acidênte)

    Chau@@

Participe do Fórum

Entre com seu cadastro do Jus Navigandi:

Esqueceu sua senha?

Não tem Facebook e quer participar do Fórum?

Faça perguntas, responda dúvidas e discuta assuntos jurídicos. É fácil e grátis!

JUS NAVIGANDI NAS REDES SOCIAIS