GUARDA DE MENOR COM CONCORDÂNCIA DA MÃE

Gostaria da opinião dos colegas:

Qual a maneira mais simples e rápida da avó conseguir a guarda de sua neta que mora com ela desde que nasceu, ou seja, há 13 anos ???

A mãe, que saiu de casa após 01 ano do nascimento da menor, está de pleno acordo com a transferência da guarda à avó, uma vez que possui outra família e não quer deixar a mãe (avó da menor) sozinha, sem a companhia da neta (estes são os motivos).

A condição financeira da mãe da menor é equiparável à da avó.

UMA VEZ QUE SE TRATA DE CASO DE JURISDIÇÃO VOLUNTÁRIA, É CORRETO REQUERER SIMPLESMENTE O ALVARÁ DE CONCESSÃO DE GUARDA, JUNTANDO-SE TAMBÉM UMA DECLARAÇÃO DA MÃE CONCORDANDO COM A TRANSFERÊNCIA DA GUARDA ???

Com o pedido de alvará imagino que será mais rápido e talvez nem seja necessária audiência e estudo social, uma vez que avó e mãe estão de pleno acordo e assinarão inclusive a petição, com firma reconhecida.

Ou seria melhor utilizar um outro nome para a ação ???

Caso acreditem que não é caso de alvará, acreditam que o melhor seria propor uma ação concessão de guarda com pedido liminar (avó em desfavor da filha), juntando-se à petição uma declaração da mãe da menor concordando com a modificação da guarda ??? Neste caso, entendo que será designada audiência, com citação da mãe, o que demorará bastante.

O que os colegas aconselham ???

Obrigado.

Heliton

Respostas

4

  • Cristiane

    Cristiane

    Caro colega, tenho um caso idêntico ao seu....assim, ajuizei uma ação de transferência de guarda, anexando com a referida petição uma declaração da mãe, a qual concorda com a transferência da guarda.
    No meu caso, a audiência foi apenas com a Requerente da ação.
    Boa sorte !!!

  • SHEILLA

    SHEILLA

    Caro colega, tenho um caso idêntico em meu escritório já sentensiado. No caso, ingresse com a ação na vara especializada da infância e juventude, com pedido de liminar acostando nos autos todas as provas em que a menor já residia com a avó, de preferência faça o pedido de que seja regulamentada a guarda que já existe de fato, aos avós demonstrando a suficiencia de recursos e a declaração de ambos os pais,pedindo o estudo psico-social desde a interposição não aguardando audiência para tanto.
    Abraços! Atenciosamente Sheilla.
    Para maiores detalhes, entre em contato com o e-mail do meu escritório.

  • Fabiana Moret

    Fabiana Moret

    olá, tenho um filho de 4 anos que fica com a avó todos os dias da semana, e comigo e com o pai aos finais de semana já que este trabalha em outra cidade, e eu estou desempregada. E tb na realidade eu só tive essa criança para suprir o falecimento do meu pai (avô materno da criança) já que minha mãe iria ficar muito sozinha (avó materna) ela é quem paga tudo do neto (meu filho) escola particular, roupas, passeios, medicos etc... ela quer assumir por completo a responsabilidade da guarda, e apesar da criança ter só 4 anos ele tb diz que quer seu filho dela, e eu e o pai estamos tb querendo passar a guarda, como posso fazer isso?

  • Rosa

    Rosa

    colegas me ajudem urgente!
    Convivi em união estavel por 24 anos quando entreguei o imóvel alugado em nome de ambos ele foi embora. Sem condições de alugar outra casa me acomodei na casa de amigos, pois ganho só um salário como estagiária. Então como discuti com o filho maior ele pegou a irmã de 9 anos e foi para casa do pai.

    Tenho direito a pensão fora a filha se for estabelecida a guarda p/ mim?
    O filho pode ir contra mim em juízo já que acha que o pai tem razão por que eu esta depressiva?
    Eu não sei oi endereço deles, ele não atende as ligações e não traz a filha para eu ver.
    Qual melhor tipo de ação para entrar já que faz três meses o ocorrido?

    grata Rosa