Ir direto ao conteúdo

Redes Sociais do Jus Navigandi

  1. Sidu
    24/08/2009 22:50

    A tia de minha esposa, com quem sempre teve um ótimo relacionamento, sempre afirmava a ela que os bens que possuia, quando falecesse, ficariam todos p/ ela ( a sobrinha ). Essa tia faleceu há uns oito anos e somente ficamos sabendo da morte um ano depois e quando fomos no imóvel onde morava, ninguém quiz dar informação alguma, pois já moravam pessoas estranhas à família no imóvel. Não sabemos se ela deixou alguma herança p/ a sobrinha, já que ela não possuía filhos, nem marido ( nem vivos nem morto ). Como fazer p/ descobrir se a tia deixou alguma herança para a sobrinha ? Qual o caminho a seguir?
    Desde já agradeço a colaboração.
    Abraços.
  2. Amilton Sales Sousa
    25/08/2009 00:33

    Dois Pais,Dois Registro
    Colegas,
    Fui procurado por um colega que se deparou com a seguinte questão: Em 1974 teve um caso com uma pessoa e não mais teve contato com a mesma e em 1983 foi procurado por essa pessoa que se apresentou com uma criança do sexo feminino dizendo ser filha do mesmo e como toda as evidencias levava para que o fato fosse verídico o mesmo de comum acordo efetivou o registro em cartório conforme Lei nº 6.015/73 no seu artigo 30 Caput. E dai passou a costear todas as despesas referente a educação, alimentação e vestuário da criança hoje com 34 anos. O que depois de maior idade deixou de ter um contato, pois a mesma foi residir em outra cidade .Este mês foi procurado pela Filha que se dizia embaraçada, pois em Janeiro de 2008 ao procurar o cartório para registra um filho deparou que o mesmo não era seu Pai,pois no cartório da cidade onde reside existia uma certidão registrada no dia 06/08/1975 as 19:04 horas no hospital maternidade da cidade
    Filha de Sr. Fulano quero dizer outra pessoa que não era ele e avós também diferente.
    Filha de D. Fulana - Realmente sua mãe com os avós que constam na outra certidão.
    O registro foi feito com testemunha também diferente da outra certidão, sendo que está certidão foi efetivada em Março 1978.
    Já a outra registrada na capital em outro cartório em Outubro de 1983,que consta o mesmo local o mesmo ano com o horário diferente ,ou seja 19:45horas e com o mesmo sexo
    Pai e avós Paterno diferente
    Mãe e Avós iguais
    Obs a Cidade de Nascimento a mesma, porém não cita a maternidade!
    Na primeira a declarante foi à mãe
    Na segunda o declarante foi o Pai
    Solicito ajuda para dar melhores informações a meu colega como deve proceder.
    Desde já agradeço

Participe do Fórum

Entre com seu cadastro do Jus Navigandi:

Esqueceu sua senha?

Não tem Facebook e quer participar do Fórum?

Faça perguntas, responda dúvidas e discuta assuntos jurídicos. É fácil e grátis!

JUS NAVIGANDI NAS REDES SOCIAIS