Ir direto ao conteúdo

Redes Sociais do Jus Navigandi

  1. cristiliano
    29/10/2010 20:45

    Sou casado legalmente a onze anos, tenho duas filhas legitimas, como faso para legitimar o abandono do lar, perante a justiça, por ela e me resguarda de que ela queira ficar com as crianças para pedir pensão. Por jentilesa sou leigo no assunto e encontrei aqui a posibilidade de seguir o melhor caminho para mim e minhas finhas, OBRIGADO.
  2. Maria Tereza Adv.
    01/11/2010 10:12

    Abandono de lar nao eh mais crime, salvo se ela sustentava a casa e deixou vc e suas filhas passando fome e sem ter onde morarem, do contrario nao existe mais o crime de abandono de lar, e ela ter saido de casa nao perde a guarda das crianças e tambem nao perde nenhum direito (divisao de bens, pensao) por ter saido de casa.
  3. MABY
    01/11/2010 11:12

    Tem um ditado que diz que a justiça tarda mas não falha, no meu caso ela falha em tardar! Fui casada por 10 anos com comunhão parcial de bens, me separei a dois anos e meio e em seguida entrei na justiça com pedido de divórcio (litigioso) já que ele se negava a assinar. Por eu ter saído da minha casa ao me separar por causa da violência doméstica (foi aberto processo criminal contra ele-lei Maria da penha), saí sem nada, apenas com meu filho de 5 anos na época e nossas roupas. Acontece que nunca foi marcada uma audiência na vara de família para que fosse acertado pensão, guarda, divisão de bens...nada!!! já passaram 3 advogados particulares pelo meu caso, sendo que dois somente deram vista no processo e nunca mais me deram nenhuma satisfação, nem cheguei a assinar procuração. Hoje estou sem defesa, sem casa, sem dinheiro e sem meu filho, pois após 5 meses da minha separação fiquei desempregada e morando de favor, ele (marido) não dava um centavo sequer para ajudar e pediu que eu deixasse o menino morando com ele, pq no momento tinha mais condições do que eu,diante da omissão da justiça tive que aceitar, pois não tinha mesmo condições de sustentar uma criança, mal conseguia sustentar a mim. Passou-se o tempo e em janeiro de 2010 ele vendeu a nossa casa sem me falar nada, fiquei sabendo pelo meu filho, ele conseguiu isso pq o terreno em que a casa foi construída estava em nome da irmã dele, que nos emprestou o nome para fazer um financiamento na CEF. Mas tanto o terreno quanto a casa foram pagos por nós dois.
    Hoje tenho um novo relacionamento e estou grávida, meu filho vai fazer 8 anos, quero o que é meu por direito (metade do valor da venda da casa) pois com o dinheiro da casa ele comprou um carro, uma moto e outra casa onde está morando com nosso filho.
    Quero o meu filho comigo, a guarda é minha oficialmente, ele não tem condições psicológicas e morais para criar uma criança, fiquei sabendo ha pouco tempo pela própria mãe dele, que deixa a criança sozinha em casa para sair a noite. Estou muito preocupada, preciso do divórcio, da minha parte na casa e do meu filho comigo!!! alguém pode me dar uma luz? se perante o juíz a irmã dele dizer que a casa era nossa e não dela o meu problema estará resolvido?

Participe do Fórum

Entre com seu cadastro do Jus Navigandi:

Esqueceu sua senha?

Não tem Facebook e quer participar do Fórum?

Faça perguntas, responda dúvidas e discuta assuntos jurídicos. É fácil e grátis!

JUS NAVIGANDI NAS REDES SOCIAIS