Ir direto ao conteúdo

Redes Sociais do Jus Navigandi

  1. Gabizinha
    06/01/2011 21:07

    A PESSOA FOI PRESA EM 2004 E FICOU 09 MESES PRESO, E FOI ABSOLVIDO NO ANO DE 2006. MAS ATÉ HOJE CONSTA EM SISTEMA QUE ESTÁ SENDO PROCURADO POR ESTE MESMO PROCESSO. JÁ TEVE MUITOS TRANSTORNOS POR ISSO, MAS O QUE PODEMOS E DEVEMOS FAZER PARA SOLICITAR ESSA BAIXA DO SISTEMA? TEM QUE SER SÓ EM SÃO PAULO (IRGD),OU TEM OUTRA FORMA DE RETIRAR DO SISTEMA, O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL. NO POUPA TEMPO PODE SER RESOLVIDO OU NÃO?
  2. ISS
    06/01/2011 21:14

    Usuário suspenso

    Poupa tempo não.
    deve ser feito requerimento ao juiz onde tramitou o processo pqra que este determine a retirada do banco de dados.
  3. pretendo ajudar-GRS
    06/01/2011 22:18

    Usuário suspenso

    Gabizinha

    O que orientou o participante ISS é correto com apenas um inconveniente, A DEMORA.
    Vc pode ir diretamente no IIRGD, 3º andar, com uma cópia do alvara de soltura e certidão de objeto e pé do processo e protocolizar estes documentos ( com cópia), em 72 horas é retirado do sistema, enquanto isto, qualquer abuso por parte do Estado pode e deve ser levado ao Judiciário para eventual indenização.
  4. ISS
    06/01/2011 23:35

    Usuário suspenso

    Pretendo ajudar, só mais uma coisa isso para Prodesp, infoseg não é tão simples, vai ter que ser por determinação judicial.
  5. Vanderley Muniz - advocaciamuniz@yahoo.com.br
    07/01/2011 13:25 | editado

    Usuário suspenso

    No poupa tempo não se depende de INFOSEG e/ou PRODESP de posse de certidão de objeto e pé dando conta da absolvição a baixa no sistema é imediato.

    Caso contrário, em contratempo, indenizatória.
  6. Gabizinha
    07/01/2011 20:39

    Eu fui no poupa tempo e informaram que lá não é possível dar baixa. Somente em São Paulo no IIRGD.
  7. pretendo ajudar-GRS
    08/01/2011 10:10

    Usuário suspenso

    Gabizinha

    Isto é verdade, no poupa tempo não é mais possível.

    Este fato ocorreu após a descoberta de que vários indivíduos procurados ``negociavam´´ a retirada dos dados do sistema com qualquer funcionário do IIRGD. Tal fato foi amplamente divulgado a uns 8 anos atrás com a prisão de várias pessoas.

    Agora a retirada destes dados é restrita a um único departamento do Instituto, que fica no 3º andar e não mais do que 6 funcionários, após conferencia e confirmação de documentos e a devida ciência de dois delegados do IIRGD.

    Tudo isto não seria necessário caso o Estado toma-se as providencias que lhe cabe.
  8. Vanderley Muniz - advocaciamuniz@yahoo.com.br
    08/01/2011 10:11 | editado

    Usuário suspenso

    Estranha essa informação já que no poupa tempo há uma unidade do próprio IIRGD.

    Sendo assim há a necessidade de se requerer o desarquivamento do processo e requerer que o juízo oficie ao IIRGD e SSP informando o teor da decisão.

Participe do Fórum

Entre com seu cadastro do Jus Navigandi:

Esqueceu sua senha?

Não tem Facebook e quer participar do Fórum?

Faça perguntas, responda dúvidas e discuta assuntos jurídicos. É fácil e grátis!

JUS NAVIGANDI NAS REDES SOCIAIS