Ir direto ao conteúdo

Redes Sociais do Jus Navigandi

  1. Fernanda Luiza
    20/02/2011 00:43

    Senhores, boa noite! Fui sócio-avalista de uma empresa e hoje possuo dívida com o BB (esta dívida ainda não completou 5 anos), hoje não estou mais no aditivo, o que poderá acontecer comigo? Até agora o banco não me procurou e eu não tenho condições de negociação, os juros são altíssimos... Qual seria a melhor forma de resolver esta situação????? Aguardar o banco se manisfestar? Entrar com ação contra os juros? E uma outra dúvida, estou me preparando para concurso público (PF), em caso de aprovação, esta situação poderá me impedir de assumir o cargo??? Aguardo respostas urgente.
  2. Julio R. Santos
    20/02/2011 00:59

    Fernanda Luiza

    a divida com o banco não prescreve independentemente de quanto tempo ela exista,
    o que ocorre após 5 anos é a retirada do seu cadastro junto ao SPC, porém a divida continua ativa no banco, seria interessante vc procurar um advogado para entrar com uma ação de juros abusivos, mas isso somente ele após analisar seu caso saberá se é viável.
    quanto ao caso da sua intenção em prestar concurso publico, não se preocupe, pois o fato da sra estar com restrição junto ao SPC, de nada interfere em caso de concursos publico, fique tranqüila!
  3. Fernanda Luiza
    20/02/2011 12:11

    Sr. Júlio, uma outra dúvida: se por acaso o banco executar a dívida e gerar um processo judicial (não sei se está correta esta denominação), poderei no curso do processo assumir o cargo, caso seja aprovada em concurso público? Desde já muito abrigada pela atenção!abs!
  4. Julio R. Santos
    21/02/2011 01:51

    Fernanda Luiza

    Sim. Caso o banco entre com uma ação judicial, e vc não assuma o cargo na seleção do concurso público por estar com restrições desta natureza, você poderá ingressar com ação judicial para assegurar a vaga e sua participação em todas as etapas do certame, e garantir a vaga. Estar com restrição de crédito no BB ou uma ação judicial, não significa que o candidato seja uma pessoa incompatível para o exercício de um cargo público e o Poder Judiciário tem decidido a favor das pessoas prejudicadas em concursos públicos por este motivo já que o afastamento do candidato, por tal razão, fere a Constituição Federal.
  5. analuciano
    27/02/2011 10:49

    Queria aproveitar este discurso para apresentar o meu problema, escrito anteriormente em outro campo, porém sem resposta. Preciso de uma orientação precisa do que fazer, já que existem leis, mas quando telefono para Pequenas causas ou algum advogado, dizem que depende do juiz, o que é absurdo, ou se existem leis a serem cumpridas ou não. Aqui vai o meu relato:
    Sou afastada do Tribunal de Justiça por problemas de saúde e tive alguns salários descontados. Ocorre que, ao tentar fazer um acordo com o banco para pagamento dos cartões de créditos, um empurrou para o outro, sendo que, ao tentar acordar junto à Central dos cartões, isto antes do vencimento, ou seja, contatei dia 18/19/01/2011, o atendente com garantias que não haveria problema algum, eu deveria fechar o acordo no sábado, dia 22/01 para os vencimentos das parcelas cairem sempre dia 07/08. Ao telefonar no dia sugerido pelo atendente, a minha surpresa fui enorme ao ser informada que, no dia 20/01, havia sido encaminhado o documento para empresa terceirizada, sendo que daquele dia em diante, ninguém localizou tal documento, sendo de um lado me pedindo para pagar um valor dentro da fatura que só iria me causar transtornos, outro pedia para eu falar com o meu gerente, o gerente, para eu falar com a central e isto foi ocorrendo juros, até que localizaram em um setor da empresa terceirizada. Acionei a ouvidoria que nada resolveu, apenas disse que eu deveria fazer o acordo com a empresa. O meu banco pedindo para eu pagar o mínimo. Ocorre que tenho pouco mais de 30 dias de atraso, tendo em vista todo o transtorno causado e com isto fiquei restrita no banco, tiraram meu especial sem prévio aviso e como poderei pagar, uma vez que utilizo o especial. Quando era Nossa caixa, sempre faziam acordos ou empréstimos para eu quitar o cartão em momento de dificuldade, com o Banco do Brasil, nada sabem, funcionários estão perdidos e nós funcionários públicos descontentes e ninguém faz nada, todos parecem ter medo. Agora, sinto-me prejudicada com todas as informações erradas e os pedidos de tempo para obter uma resposta e juros vão correndo, parece até que é cômodo dificultar o cliente para pagar dívidas. O que devo fazer? O funcionário não quis fazer acordo aquele dia que eu ainda poderia, pediu-me para telefonar outro dia e eu que devo pagar por isto? Ainda fico sem especial e ainda me cobraram 60,00 que eu jamais vi isto ser descontado, disseram-me que é pela utilização do cheque especial, o que pago juros que não são baixos para ainda ter que pagar taxas inventadas por eles, talvez para cobrir o rombo feito na gestão anterior. Quais os direitos do consumidor? Não pode um banco, só por ser do governo fazer aquilo que pretende e estarmos calados. Por favor, ajudem-me, estou já enfartando de tanto nervoso que passo com aquele Banco do Brasil que na verdade, com perdão, BB para mim, significa outra coisa, menos Banco do Brasil.
    Obrigada. Aguardo uma resposta urgente para saber qual rumo tomar, já que, com a retirada do especial, não posso nem pagar a parcela mínima.
  6. Julio R. Santos
    27/02/2011 11:38

    analuciano

    no seu caso, já que a administradora de cartões não esta querendo entrar num acordo, vc pode entrar com uma ação judicial contra juros abusivos.
    Verifica na sua fatura detalhadamente todas as cobranças de juros de mora, encargos, multa etc.
    pois na constituição por exemplo, as instituições financeiras não podem cobrar mais de 12% de juros rotativos ao mês, além de outras inúmeras cobranças indevidas como por exemplo mora acima de 1% ao dia por atraso, além de outros encargos inconstitucionais.
    o que poucos consumidores sabem é que no momento que vc atrasa a sua fatura, já são cobrados os valores necessários de 1%, não podendo a administradora cobrar diariamente outros valores.
    Há uma jurisprudência nos tribunais decidindo a favor dos consumidores de cartões, devido justamente a esses juros abusivos.
    mas, se possível mesmo entrando com uma ação judicial, tente pagar essa cobrança.
    ABRÇ.
  7. elieuza estrela
    27/02/2011 13:35

    ola..
    No caso da dívida resultante de saldo devedor em conta corrente, cartao de credito, financiamento, dentre outros ...
    a melhor solução para evitar o pagamento de juros indevidos seria ajuizar uma ação revisional em face do banco para se chegar no real saldo devedor.
    Dessa forma vc poderá pagar sua divida com segurança em está pagando o valor correto.

    Só existe uma situação, a ação revisional nao faz milagre.... ela apenas vai chegar ao valor real da divida.

    Tem pessoa que faz um financiamento de carro paga 5 parcelas, tem 4 em atraso..... rsrsrs... e quer ficar com o carro quitado ...e receber algum valor de volta....
    Pasme!
    Pode acreditar..... que tem .

Participe do Fórum

Entre com seu cadastro do Jus Navigandi:

Esqueceu sua senha?

Não tem Facebook e quer participar do Fórum?

Faça perguntas, responda dúvidas e discuta assuntos jurídicos. É fácil e grátis!

JUS NAVIGANDI NAS REDES SOCIAIS