Quero colocar meu pai na justiça

Olá,fiz 20 anos em novembro e tenho um irmão que fez 22,nós gostaríamos de saber como proceder para colocar meu pai na justiça. Meu pai é engenheiro aposentado por invalidez,minha mãe saiu de casa há 2 anos,pois estava com um tumor na coluna e estava ficando paraplégica,ele é alcoolatra a situação estava insuportável! Saimos com a roupa do corpo,deixamos tudo e vivemos de favor com minha tia,o que também não é legal,pois nós invadimos a privacidade dela. Ele não sai da casa,a qual minha mãe ainda paga as prestações e ele não colabora,ja que o emprestimo está no nome da minha vó materna. Quando minha mãe descobriu que metade do dinheiro que ela dava nas mãos dele não chegava à imobiliária,pois ele bebia tudo e estávamos quase perdendo o imóvel,ela ligou desesperada para minha vó fazer esse empréstimo para quitar. Infelizmente minha mãe contou a ele que fez esse empréstimo e aí mesmo que ele encostou e não assumiu compromisso nenhum,não pagava escola,remédio,roupa,nada,tudo por conta da minha mãe e é assim até hoje. Eu gostaria de saber como faço para agilizar isso e tomar a frente,também quero saber se demora muito e quanto tempo. A história da nossa vida foi um pouco resumida,mas acho que esclarecedora! Obrigada,

Respostas

19

  • Maria Tereza Adv.

    Maria Tereza Adv.

    Sua avó como dona da casa, pode pedir judicialmente que ele desocupe a casa. Ele nao conseguira nenhum direito sobre a mesma, ja que estando o financiamento no nome de sua avó, entao a casa eh dela. Sua mae deve entrar com acao de divorcio, pedindo a divisao dos bens moveis e imoveis. Se Voces estao fazendo faculdade, podem entrar com acao pleiteando pensao alimentica. Contratem imediatamente um advogado ou defensor publico.

  • anaAZ0

    anaAZ0

    Acho que não deixei claro.A minha avó não é dona da casa,ela apenas pegou um dinheiro emprestado para pagar a casa,mas a casa está no nome da minha mãe e do meu pai e esse empréstimo ainda não terminou,por isso minha mãe paga a minha vó.
    Meu irmão está fazendo faculdade eu,ainda,faço pré-vestibular.
    Tenho outra dúvida em relação a pensão alimentícia,como eu estou fazendo cursinho é verdade que ele teria o direito de não dar pensão? A minha mãe paga o cursinho,com isso ela tem gastos e ele fica isento de ter essa responsabilidade?
    Grata,

  • Maria Tereza Adv.

    Maria Tereza Adv.

    Sua mae deve entrar com acao de divorcio, pedindo a venda e divisao da casa. Seu irmao como ta fazendo faculdade, tem direito a pensao ate no maximo 24 anos. Voce nao garanto, ja que ainda nao entrou na faculdade.

  • A.L.G.O.

    A.L.G.O.

    Pelo relato, voce e seu irmão não têm renda. Imagino que a renda de sua mãe seja proveniente de algum auxílio-doença ou aposentadoria. Ela tem um problema de saúde consideravelmente sério. Mais do que qualquer pessoa saudável, ela está sujeita a uma incerteza no campo da saúde.

    Diante desse quadro, permita-me sugerir que voces sejam cautelosos. Talvez a venda da casa e divisão do resultado não seja o mais adequado. Sua mãe pode negociar as condições do divórcio, requerendo para voces tres o imóvel, em troca da dispensa da pensão que seu irmão teria direito até 24 anos.

    Não está nada fácil adquirir a casa própria. E a situação de voces não me parece muito confortável para abrir mão dessa casa, ao menos neste momento.

    Quanto ao seu pai, me parece que nem sempre foi assim, já que voces são adultos e sua mãe somente separou-se há dois anos. Pense em ajudá-lo. Ele pode voltar a ser um bom pai, desde que curado dessa doença que o acomete.

  • anaAZ0

    anaAZ0

    Agradeço pelas respostas.
    ALGO,na verdade ele sempre foi assim,só que o que minha mãe ganhava dava para suprir as nossas necessidades,ela é pensionista do meu avô,com isso nunca dependeu do meu pai.Porém,por SEMPRE tentar ajudá-lo ela foi se embrenhando em empréstimos e mais empréstimos,pois tinha dias que no meio do mês ele falava que não tinha mais dinheiro,então minha mãe tentava nos socorrer.
    Como disse,agradeço mais uma vez pelas orientações.
    Grata,

  • Carlos - Pr

    Carlos - Pr

    Tudo o que os colegas postaram está correto. Sigam essas instruções e vão conseguir seu intento. Porém...

    20 e 22 anos???

    Antes de mais nada, arrumem um emprego e ajudem a sua mãe e a vcs mesmos a se sustentarem. Isso só vai fazer vocês crescerem rumo a uma vida mais plena e pode ser que nem precisem chegar ao ponto da ação judicial, a qual, resolve o problema financeiro mas acaba com a família.

    Grande abraço

  • Julianna

    Julianna

    Carlos tirou as palavras da minha boca. "arrumem um emprego"
    Ninguém quer saber de arrumar emprego, só de pleitear dinheiro na justiça.
    Pelo amor de Deus.
    Vc diz que seu pai bebe, então ele tem uma doença, o alcoolismo, e se ele sempre foi assim, sinal que pra sua mãe tava bom manter dois filhos, casa e marido.
    Se ela não quer tomar providências, não há nada a fazer, uma vez que vcs n~]ao podem tomar a frente dela numa ação de divórcio por exemplo.
    Conversem com ela primeiro e perguntem se ela quer tirar ele da casa, se ela deseja o divórcio.
    Boa sorte**

  • anaAZ0

    anaAZ0

    Caro Carlos e Juliana,vocês me desculpem,mas não concordo que eu e meu irmão tenhamos que trabalhar para sustentar a casa,pois se a justiça permite que os pais banquem os filhos para estudo é isso que minha mãe prioriza. Também não fui eu e nem meu irmão que fizemos filhos e,como sabemos,minha mãe não fez filho sozinha e nem produção independente e não posso fazer nada se alguns homens,como meu pai,não assumem a resposabilidade financeira de ajudar com os custos!
    Esclareço que meu irmão arrumou um emprego na igreja em que somos membros e ganha muito pouco,mas vocês hão de concordar que casa para ele sustentar,assim como eu,espero que seja a dele,que ele sustente a casa dele e os filhos que terá,assim como eu!
    Quero deixar claro,também,que para minha mãe,para nós,nunca foi bom viver com ele,mas ela ficava com ele por pena,pois a família dele não o ajuda apenas prejudica a sua saúde,pois não aceitam o fato dele ser um dependente químico e acham que ele é normal.Infelizmente ele não escuta ninguém lá em casa apenas a sua família e tendo dois irmãos médicos,acho que esses,poderiam ajudá-lo a se recuperar.
    Prezada Juliana, o que você disse -"pra sua mãe tava bom"-,creio que você nunca conviveu com uma pessoa que só sabe te humilhar e ofender,quando não está em seu estado perfeito,mas que mesmo assim você tenta ajudar,pois minha mãe não gostava nem um pouco de ver a pessoa que ela escolheu para ser pai dos seus filhos dizendo e fazendo coisas tão bárbaras com ela e com os mesmos.
    Digo mais,eu não quero saber de pelitear dinheiro na justiça,até porque se quizesse o faria antes,porém a situação na qual a minha mãe se encontra,INFLIZMENTE,está insustentável e ela precisa de um auxílio para administrar as suas finanças,pois,como já dito anteriormente,minha mãe acha injusto impor a mim e ao meu irmão trabalharmos para sustentarmos a nossa casa,sendo que isso,ainda,pode ser financiado pelo meu progenitor,juntamente com ela!
    Esclareço que: não gosto nem um pouco de depender do meu pai.Ao entrar na faculdade,como sempre falei,vou viver a minha vida e não querer mais nada que venha dele,pois concordo com o Carlos nesse ponto,acho que só vai trazer crescimento e maturidade,mas enquanto não entro quero sim que meu pai financie os meus estudos.
    Fico grata com a repercussão da discussão que iniciei e pelas respostas dadas!
    Obrigada,

  • Maria Tereza Adv.

    Maria Tereza Adv.

    Trabalhar nao mata ninguem nao meu bem, vc tem que deixar a barra da saia da mamae e virar homenzinho de verdade, pois mais de 80% da populacao, trabalha e faz faculdade ao mesmo tempo e nem por isso caiu um braço ou uma perna, pelo contrario , sao otimos profissionais e pessoas realizadas. Voce tem que encarar a realidade, de que a fonte secou, e se vc nao quer sustentar a casa, entao que sustente pelo menos a si mesmo, seria bem mais honrado e bonito para vc, do que entrar na justiça pedindo uns miseros trocados para o seu pai, ou entao bem menos humilhante, do que ter que pedir para sua mae dinheiro ate pra comprar uma cueca ou uma bala. Na minha opiniao, vc mora em outro mundo, outro planeta, pois no mundo real das pessoas reais, tem que se trabalhar para conseguir dinheiro, pois dinheiro nao se pede, se trabalha e ganha. Acorde para o mundo, antes que ele caia bem em cima da sua cabeça e obrigue vc a amadurecer repentinamente.

  • Julianna

    Julianna

    Prezada Ana

    Conviver com alguém que te humilha nos momentos em que não está em seu estado normal eu sei muito bem como é.
    Meu pai nunca bebeu, nunca fumou, mas viveu 12 ultimos anos da vida com sequelas de 8 AVCs, e fugindo do tratamento psiquiátrico ao qual deveria se submeter, pois tinha distúrbios sérios de ordem emocional.
    Minha mãe sustentou a casa durante 30 anos, que foi o tempo em que esteve casada com ele, porém, só foi infeliz nesta união no periodo que ele adoeceu , pois o mesmo passou a humilhar às filhas (3) e a ela. Dizia que ela não ia trabalhar não, que ela ia se encontrar com os amantes, que as filhas eram vagabundas (uma com 5 anos, outra com 6 e eu com 17 na época) comecei a trabalhar nesta idade e estudava, pensando em ajudar minha mãe, já q até então ela havia sustentado a casa sozinha. Era bom pra minha mãe quando meu pai era saudável e normal, depois ficou ruim, ela teve dó dele, mas teve mais dó das filhas que não precisavam passar nada daquilo. Um tempo depois minha mãe deixou de viver com ele debaixo do mesmo teto. Já que não tava dando mais, não tinha porque arriscar. Meu pai só voltou pra dentro de casa nos últimos 15 dias de vida dele, qdo ja estava debilitado ao ponto de não poder mais fazer mal nem falar nenhum bobagem pra ninguém.
    Nunca achei que era obrigação dos meus pais me bancarem até o final da faculdade não. Sempre pensei em ter o mérito das minhas conquistas só pra mim.
    Estudei em Faculdade publica, trabalhei como um cachorro, acordava ás 5:30h e chegava em casa depois da meia noite, dormia menos de 5h por noite, fiquei doente nessa época, tive esgotamento emocional, meus cabelos caíram, apanhei do meu pai por separar as brigas entre minha mãe e ele, passava muitas noites de vigia, pois ele dormia com facas e tesouras debaixo do colchão e trancava a porta do quarto quando minha mãe pegava no sono.
    Passei poucas e boa com minhas irmãs pequenas que cresceram vendo tudo isso, e qdo meu pai morreu, elas nem choraram, tamanho foi o alívio pra elas, pra todas nós na verdade.
    Continuei meus estudos, e a pensão que meu pai deixou, nunca usufruí dela, pois mesmo estudando ainda e com ele morto, continuava com a mesma idéia de crescer sozinha.
    Tudo bem, se seu pai tem condições de arcar com os estudos de vcs, cobrem judicialmente, mas o fato de serem saudáveis e poderem trabalhar atrasa um pouco pra vcs, pois os Juizes levam isso em conta nessa hora, e vc mesma diz que seu pai é doente, capaz do Juiz ficar com dó dele, e vcs ainda terem que cuidar dele quando já não conseguir mais se manter com as próprias pernas.
    Acho que vc e seu irmão tem sim obrigação de trabalharem e ajudar sua mãe a manter a casa sim, por que não!?
    Trabalhar não mata ninguém, e sua mãe já fez por vcs mais do que a obrigação dela, nada mais justo do que vcs contribuírem com ela.
    Acho egoísta a idéia de que, vcs trabalharão para sustentarem as próprias casas qdo tiverem uma.
    Vcs tem uma, a que moram com a mãe de vcs, e gastam, agua, luz, comida, etc etc etc, por que não podem ajudar?
    A mãe lava, passa, cozinha pra vcs, pq não podem ajudar financeiramente?
    Quanto mais ajuda melhor.
    Ajuizem ação de alimentos.
    Provem a necessidade de receber e a possibilidade do pai de pagar.
    Depende do Juiz.
    Reze pra que ele pense como vcs.
    Boa sorte**

  • anaAZ0

    anaAZ0

    Cara Rosa,acho que você leu disucussões erradas,até porque eu sou menina e não homem.Acredito também que os jovens tem que trablhar,porém faço pré-vestibular e não pretendo atrapalhar meus estudos para entrar na faculdade para poder trabalhar,pois tenho sim que ser bancada pelo meu pai.
    Se ele sustenta a família dos donos dos bares que frequenta,eu tenho por direito sim,ja que sou filha dele,ser sustentada também por ele.
    O problema de algumas pessoas está aí,a ignorância de achar que ao invés de estudar e ganhar conhecimento a pessoa tem que dar prioridade ao trabalho na plena idade que o jovem adquire mais conhecimento.
    Confirmo a minha hipótese que você leu e respondeu a discussão errada ao afirmar que mencionei que não quero trabalhar,disse,no entanto,que ao entrar para a faculdade vou trabalhar sim e não depender mais do meu pai,pois não quero mais nada que venha da parte dele,mas enquanto nao ingressei ao ensino superior quero que ele banque meus estudos!
    Se você acha tão fácil os filhos trabalharem,acho que você também concordou que é mais fácil para o meu pai jogar o dinheiro dele fora com a bebida do que oferecer educação aos filhos. Repudio o seu pensamento!

  • Maria Tereza Adv.

    Maria Tereza Adv.

    Entao eu muda as palavras homenzinho para mulherzinha e de cueca para calçinha.
    Pois nao interessa se eh homem ou mulher a minha opiniao continua a mesma, e se vc eh mulher ai sim que tem que dar o exemplo. Trabalhar nao atrapalha os estudos de ninguem, eu tinha um emprego e um estagio e fazia faculdade de direito, passei 5 anos da minha vida dormindo de 5 a 6 horas por noite e estou hoje muito bem sucedida, amo meu pai e minha mae da mesma forma (eles sao separados desde que eu tinha 8 anos). A questao nao eh vc, eh a educacao que vc recebeu, a minha educacao foi de que dinheiro nao se pede, dinheiro se trabalha e ganha, e mesmo meus pais sendo empresarios, sempre fiz questao de me sustentar desde os 15 anos. Quem vai sofrer meu bem eh vc, pois mais cedo ou mais tarde vc tera que encarar a vida real e quanto mais tempo se demora, mais dolorido eh o processo.

  • anaAZ0

    anaAZ0

    Juliana,peço desculpas se te ofendi de alguma forma e é bom saber que,apesar de tudo,você entende minha situação.Concordo com você,eu em momento algum pronunciei que não vou trabalhar e quero que me banquem até o final da faculdade,mas pretendo,pelo menos,entrar na faculdade para isso acontecer,não quero atrapalhar meus estudos de um pré para medicina para arrumar emprego,até porque se isso acontecer não vou conseguir estudar,mas dentro da faculdade pretendo sim trabalhar e ajudar a minha mãe!
    Rosa,acho que você está referindo-se com palavras xulas e desnecessárias, a sua opinião é que devo desde já trabalhar a minha não é essa.Você disse que seus pais se sepraram quando tinha 8 anos,certo? Seu pai deu pensão a você nesse período,mesmo com você trabalhando? Acho que sim e se não deu,acho que sua mãe perdeu a oportunidade de pedir para auxiliar com os custos que tinha,até porque com 15 anos ninguém ganha dinheiro suficiente para conseguir se bancar,é o que eu acho.Não conheço nenhum emprego que pague tão bem quando se tem 15 anos para que você consiga se autosustentar e sustentar a sua casa.
    Quanto a educação que recebi dou graças a Deus por ela,pois é com estudo,muito estudo e muita dedicação que conseguimos muitas coisas,inclusive em ser educada ao entrar em um fórum e expressar a minha opinião sem que inclua palavras de baixo calão!

  • Maria Tereza Adv.

    Maria Tereza Adv.

    Minha faculdade era federal, pois como estudei minha vida inteira em escola particular, achei por minha obrigacao passar em uma federal. Meu pai pagava pensao sim, mas era para custer a minha escola,(escola, na faculdade eu banquei os livors carissimos) todos os outros gastos, eu bancava com meu emprego, nao era muito, mas tinha orgulho de nao depender deles.
    Nao adianta eu argumentar com vc, pois nao vou conseguir te educar de acordo com o mundo real, pois vc ja tem uma personalidade formada, mas tem dó , pois vc vai sofrer bastante. Mas, muita sorte para vc.

  • A.L.G.O.

    A.L.G.O.

    Senhoras,

    com sua licença, quero lembrar que opinião é uma das coisas que cada um tem a sua. Importante é o respeito mútuo. Ñão vi, entretanto, o que se possa considerar desrespeito. Nem tampouco palavras de baixo calão. Apenas diferenças de pontos de vista.

    AnaAzo,

    voce enfrenta, sim, uma situação problemática. Por isso entrou no fórum. Pedia voce sugestões sobre "como tomar a frente" dessa situação.

    Entenda que ver ou nao um filho adulto como seu dependente é uma questão de consciência, de formação, de herança cultural e emocional. Ninguém dá o que não tem. Talvez o seu pai não tenha esse sentimento. Se assim for, ele não será obrigado pela justiça a fazê-lo. Lamento, mas é a realidade. O dinheiro é dele, ele fará com ele o que bem entender. Voces não são mais credores de obrigação de sustento da parte dele.

    Além de insistir no que disse sobre a questão da venda do imóvel (é o único que voces têm, não?), faço coro com Julianna, e com Rosa. Também trabalhava enquanto fazia o pré-vestibular, também bebi café com coca-cola para ficar acordado até 01h e acordar às 5:30h para novo expediente. E passei para a Universidade do Estado, que era a minha meta. Acredite, será um esforço considerável, mas voce chega lá. Não pense que será a 1a. ou a última pessoa a fazer assim. Isso é o cotidiano do estudante médio brasileiro. Talvez voce tenha que abdicar de alguma coisa, dos fins de semana, etc, mas que dá, isso dá.

    Lamento que voce tenha desistido do seu pai. Na minha opinião todos voces, e em especial a sua mãe, tem suas parcelas de culpa na atual situação. O famoso "foi bom enquanto durou" neste caso é desastroso. Tolerância demasiada diante de determinadas situação se assemelha à covardia. Se o divórcio tivesse acontecido na época certa,talvez tivesse mudado seus destinos.

    Como não dá prá chorar leite derramado, acho que voce pode fazer como Julianna sugeriu. Mas sem muitas esperanças de sucesso.

  • anaAZ0

    anaAZ0

    Rosa,eu não questionei se a sua faculdade era federal ou não,mas aproveitando o embalo a unica faculdade que pretendo fazer é pública,até porque se meu pai não pagava a minha escola,quem pagava era minha mãe,quem dirá uma faculdade de medicina!
    Porém,você tinha que se alimentar,concorda?Devia ter também comida na sua casa,certo? Eu respondo por você,claro que sim e ,com certeza,a pensão que seu pai dava contribuía para isso,pois,como você disse,seus pais se separaram quando você tinha 8 anos e com essa idade ninguém está na faculdade,muito menos pensando em trabalhar!
    Rosa,creio que educação vem de cada um,você acha correto eu ter que pensar como você e eu discordo de tudo,tenho certeza que se o seu pai não tivesse dado pensão e tivesse que ficar tudo por conta da sua mãe,não tivesse pago a sua escola e outros quesitos você pensaria diferente.Com certeza você acharia muito injusto o seu pai gastar o dinheiro,que poderia ser revertido para a sua educação,lazer,entre outras coisas,com o dono bar!
    Não consigo entender o seu comentário a respeito de que eu ainda vou sofrer bastante,acho que você não deixou claro na sua argumentação.A vida ensina muitas coisas e eu,apesar de pouca idade,já aprendi bastante,pois conviver com uma pessoa debilitada,como meu pai,eu sei o que quero para mim e mais do que ninguém sei o que é passar dificuldades.As minhas dificuldades não são de dormir 5h ou 6h por noite por causa dos estudos e do trabalho,pois isso você experimentou por no mínimo 5 anos de sua vida,o período em que você estava estudando direito,mas sim enfrento as dificuldade que a vida impôs a mim,a minha mãe e ao meu irmão desde quando eu era pequena,com isso acho que ja amadureci bastante e pretendo,ainda,crescer muito!

  • anaAZ0

    anaAZ0

    Me desculpa ALGO,mas vi desrespeito sim da parte da Rosa ao pronunciar de forma irônica a sua opinião,acho desnecessário o uso de determinadas palavras,concordo que me equivoquei ao falar palavras de baixo calão.
    Muito obrigada pela seu comentário,você se mostrou bastante sensato e compreensivo com cada situação,sem ser ofensivo!
    Obrigada,

  • LALINHA 4

    LALINHA 4

    anaAZ0
    acho que antes de pensar em colocar su pai na jsutiça, voce deveria procurar um tratamento para ele.
    pois como a Julianna falou, seu pai tem uma doença, ele é alcolatra, e pelo o que voce falou precisa de um tratamento urgente.
    minha mae tb sofreu muito com meu avo que er alcolatra ,ele era policial e quando estava bebado chegava em casa atirando, querendo matar a todos, e isso foi por muitos anos, e depois que ele passou a frequentar o AA a vida dele mudou completamente, nun ca mais colocou uma gota de bebida alcolica na boca.
    seu pai esta em uma situaçao de que precisa de ajuda, nao adianta voce falar que os irmaos medicos poderiam ajudar, eles sao irmaos,agora voce e seu irmao sao filhos, acho que isso é obrigaçao de voces. por mais que seja sua mae a pessoa que sustentou a casa, e seu pai em nada contribuiu a nao ser humilhar e dar trabalho, mais voce pode ter certeza de que ele nunca deve ter deixado de am-los, que sao os filhos dele.
    ana, ajude seu pai, tenho amor por ele, nao deixe ele morrer com ess terrivel doença.
    pai e mae sao um so na vida, sao os bens mais preciosos que temos.
    nao seja essa pessoa com o coraçao amargo. polo que voce falou, vocs passarma bons bucados com ele, mais de o perdao, deixe isso para tras, e ajude seu pai. ao invs de pedir pensao, peça a interdiçao dele, para voce ou sua mae cuidarem das finanças dele, colocarem ele em uma clinoca de reabilitaçao, para daqui uns anos ele poder sair livre dessa doença maldita e ver uma filha medica, ai voce pode ter certeza de que ele tera muito orgulho de voce.

  • anaAZ0

    anaAZ0

    Lalinha,nós já tentamos levá-lo ao AA,ele não aceitou de maneira nenhuma,então minha mãe foi no lugar dele para tentar aprender a lidar com a situação,só que não basta ela ir,ele tinha que colaborar.
    Quanto a interdição já pensamos nisso,mas acho que não é tão fácil assim e a clínica, um advogado nos disse que por ele ser maior ele tem que querer se internar.
    Entrei nesse fórum com objetivos claros: auxílio ao caso,pensei que fosse encontrar algumas soluções e orientações e recebi poucas,as pessoas se preocuparam mais em falar que tenho que trabalhar,ajudar a bancar minha casa e minha mãe e sair da barra dela,embora a grande maioria tenha trabalhado não deixou de receber a sua pensão.Não esperava respostas como as que recebi,fiquei um pouco desapontada,principalmente,em saber que os indivíduos se precocupam mais com a educação alheia e,aliada a ela,quererem me reeducar,creio que fui muito bem educada e não são pessoas desconhecidas que vão poder me oferecer isso e sim a vida,posso tirar como exemplo a luta e batalha que cada um enfrentou e querer,sempre,ser melhor,quero deixar claro,também,que não digo esse melhor com um ar de prepotência.Pensei,ao me cadastrar,que o foco do fórum era os conhecidos das leis poderem ajudar e não foi isso que recebi em 80% das respostas.
    Mesmo assim,fico grata,