Respostas

14

  • Cristina S. Corrêa

    Cristina S. Corrêa

    Mas o filho está com ele ou com você ?? Ele nao visita o filho e como vc nao conegue falar por telefone ?

    Acho que nao deu pra entender bem July, explicar melhor !!

  • July1001

    July1001

    Oi Cristina. é que ja tinha contado em outro tópico, mas vou resumir.
    Ele está comigo, mora comigo. O pai QUASE não visita o filho, aparece muito de vez em quando.
    Hoje eles estão passando a tarde juntos, tentei ligar e o celular dele está desligado. O pai disse que vai ficar desligado e eu não vou falar com ele até ele (pai) decidir que posso.

  • Julianna

    Julianna

    Os dias de visitas em que o pai exerce o direito dele em estar com a prole, só diz respeito à eles, dispensando o mesmo até de atender os telefones e dar explicações à genitora.
    Se a mãe quer saber como foi o passeio, onde foram e tal, pergunte aos filhos qdo estes voltarem pra casa.
    Não tem lógica o pai levar o filho pra passear e a mãe ficar ligando.
    O dia só diz respeito à pai e filho enquanto ele acontece.
    Por tanto, sua reclamação, infelizmente não tem fundamentação nem remédio jurídico.
    Abraço**

  • July1001

    July1001

    Mas ele tem esse direito? Então, qdo a criança estiver comigo tb poderei fazer isso? Não acho correto.
    Isso não seria alienação parental?

  • Cristina S. Corrêa

    Cristina S. Corrêa

    July,

    Não sou advogada, apenas estou dando minha opiniao, creio que Dra. Julianna esteja corretíssima.
    Alienação parental de 1 dia ??

    Vc deveria achar bom o convivio e nao ficar ligando, ele já passa todos dias contigo. Dê liberdade para o pai e o filho curtirem o dia juntos.

    Isso ta parecendo mais vontade de vc estar lá com eles !
    Curta o seu tempo, saia, passeie enquanto seu filhos está com pai !

    Ora vc reclama que nao vê o filho ora vc reclama que está visitando !!
    Humm deixe eles ! filhos tb amam o PAI !

  • Sir Heath

    Sir Heath

    Sossega sra.
    Senão quem sofrerá uma alienação parental será você. Parece que quer infernizar a vida do pai até quando esse está passeando com o filho.

  • July1001

    July1001

    Não estou reclamando da visita, ao contrario. O menino nem queria ir, eu o convenci.
    Só que ele esqueceu um dever de casa e eu queria passar o conteúdo pra ele. Eu e o pai não temos uma relação amistosa, por isso queria falar diretamente com meu filho.
    Mas entendi, um dia não é nada para configurar nada.
    Porém, continuo achando incorreto da parte dele. Até pq o filho está sentindo isso com o passar do tempo e reclama muito pra mim qdo o pai faz isso.

  • Cristina S. Corrêa

    Cristina S. Corrêa

    Os filhos na maior parte reclamam do pai para mãe quando voltam de visitas, sabendo que irao agradar a mãe com isso !!

    A mãe fala mal demais do pai , como o menino vai dizer que adorou ter estado com ele ??

    Não confunda a cabeça do menino ! Deixe ele viver esse momento ÚNICO pai e filho !

    Meu enteado adoraaaaa vir na minha casa pede pro pai pra morar aqui, mas ele mesmo diz que quando chega em casa a mae fica tão "histérica" que só fala mal do passeio pra mae nao brigar !

  • Cristina18

    Cristina18

    JuLy se acalma. Se o pai não deixa atender o telefone pode ser porque estão se divertindo, jogando , brincando , comendo etc...

    Se você continuar com esta atitude podera se transformar na malvada que quer afastar o filho do pai. É só um dia. Felicidades

  • Petrus-br

    Petrus-br

    Cara July:


    Sou um dos autores do PL 4053/2008, o qual deu origem a lei contra alienação parental, e fui o reponsável por apresenta-lo ao Régis (Dep. Régis de Oliveira).

    Queira me desculpar mas, por tudo o que você contou até o momento, tenho a clara
    impressão de existir sim uma intenção alienante, a sua !
    Vamos e venhamos, as crianças moram contigo, já têm pouco tempo junto ao pai e, quando têm, você ainda faz questão de, de alguma forma interferir ! Qual o seu medo ?

    Sinceramente, fosse eu o pai das crianças, já teria registrado reclamação formal contra isto. Entenda de uma vez, você é mãe, ele é pai ! Não há melhor nem pior, filhos precisam de ambos.

    Com todo o respeito mas, procura um terapeuta e deixa de ser impertinente.

  • July1001

    July1001

    Olha, Petrus-br, eu até entendo que não devo ficar ligando, e concordo plenamente. Acontece que ontem foi um caso extremo, precisava dar o conteúdo de um dever para ele que ele precisava ontem mesmo, não liguei pra ficar enchendo o saco de ninguém.
    O que acontece é que isso é uma prática recorrente. O pai e os avós proíbem meu filho de qualquer contato comigo quando estão juntos. Proíbem. Não é uma questão de ficar ligando enquanto ele está com a família. É uma questão de deixar bem claro pro menino que ele está proibido de falar com a mãe enquanto está lá. As vezes ele dorme com o pai, quer me ligar no dia seguinte pra avisar que hs vai chegar e saber onde estou. Mas não pode. O menino está cada vez mais assustado com isso.
    Sendo assim, pergunto: eu poderia agir da mesma maneira quando ele está comigo? Se eu fizesse isso, seria configurado como alienação parental, certo?
    Eu não quero que ninguem deixe de ter contato, de criar vínculo afetivo. Eles tem mais é que estar juntos mesmo. Por mais que o pai seja um otário comigo, quem tem que decidir se vai ou não gostar do pai é o filho, a partir de suas próprias experiências. Eu não tenho o direito de interferir nisso e tenho plena consciência.

  • Marisa Montenegro

    Marisa Montenegro

    Oi July, vivo uma situação muito parecida com a sua... Gostaria de saber se você entrou com algum tipo de processo contra o pai do seu filho.

    Eu também não falo mal do pai do meu filho... na verdade não falo nada... desde que ele nasceu somos apenas nós dois e tento fazer da minha casa um local bastante feliz.

    Entretanto, o pai não se involve com a criança e realmente só o ver nas visitas quinzenais e mesmo assim o deixa com o avós na maior parte de tempo. Semana passada o menino (4 anos) foi passar os 15 dias de férias (entre casa dos pais e casa dos avós) Depois de 3 dias ele liguei pra saber como ele estava e o menino pediu para eu ir busca-lo. Então eu fui e levei ele para dormir comigo. No dia seguinte deixei ele as 8 da manhã na casa da avó paterna como prometido. Ele não queria ficar, mas o convenci dizendo que passaaria novamente a noite.
    As 18:00hrs eu liguei para a avó e o pai dele atendeu gritando comigo dizendo que o menino não tinha querer e que ele não ia mais deixar o menino falar comigo.

    Estou muito aflita pois sei que ele bate na criança também... o Leonardo (4 anos) falou: "Mamãe ele bate em mim quando eu faço bobeira."

    Não sei o que fazer... sei que o Leonardo está aflito também pois somos unha e carne e o fato de eu não poder me comunicar com ele nem saber o que está acontecendo me aflige bastante.

    Aguardo comentários. Obrigada