Ir direto ao conteúdo

Redes Sociais do Jus Navigandi

  1. CINTIA A.
    17/05/2012 16:18

    MARIDO FALECEU, DEIXANDO A COMPANHEIRA E UMA FILHA MENOR.
    A CASA EM QUE HABITAVAM AINDA NÃO ESTÁ AVERBADA.
    O INVENTÁRIO PODE SER PROCESSADO ASSIM MESMO?
    OU DEVE SER FEITA A AVERBAÇÃO ANTES?
  2. Wolme Cavalcanti
    18/05/2012 09:31

    O inventário poderá ser feito com a certidão do terreno no no CRI, mais as benfeitorias.
  3. Jaime - Porto Alegre
    18/05/2012 09:44

    Usuário suspenso

    Alguns Cartórios de Registros de Imóveis têm convênio com a Prefeitura local e na hora do registro do formal, exigem uma certidão da Prefeitura sobre as benfeitorias existentes no imóvel. Bem, com isso, se as benfeitorias não estiverem averbadas na matrícula do imóvel, o Cartório impugna o formal para que a parte regularize a construção.
    Como se sabe, muitas vezes essas construções são feitas até sem projetos autorizados pela muinicipalidade. Desta forma para regularizar essa construção é um verdadeiro parto. É preciso um projeto da construção em si, da parte elétrica, da parte hidráulica, etc. para que a Prefeitura dê o habite-se e assim conseguir registrar.
    Há outros Registros de Imóveis que não exigem isso. Apenas exigem que a descrição do imóvel corresponda aos seus assentos registrais. Nesse caso, não se descreve as benfeitorias, apenas o que consta da matrícula do imóvel e para efeitos de tributação se faz uma declaração em separado das benfeitorias.
    Um abraço,
    Jaime

Participe do Fórum

Entre com seu cadastro do Jus Navigandi:

Esqueceu sua senha?

Não tem Facebook e quer participar do Fórum?

Faça perguntas, responda dúvidas e discuta assuntos jurídicos. É fácil e grátis!

JUS NAVIGANDI NAS REDES SOCIAIS