carro financiado e roubado sem seguro

Roubaram meu carro em fevereiro de 2012, com 50 prestações para pagar, tentei alguns acordos com a financeira mas não obtive exito, pois as prestações que devo e no valor de 684,00 e eles deixam o valor de 678,00, como minha esposa usava o carro para ir trabalhar ai ficou a prestação mais a passagem dos onibus, ja não tinha condições para tudo isso,agora ela foi dispensada do trabalho. A empresa que cuida do financiamento não mais entrou em contato, ,todos esse acontecidos estão me empedindo de trabalhar, pois presciso do nome limpo para trabalhar e manter minha casa com minha familia e honrar meus compromissos

Respostas

37

  • Biodegradavel

    Biodegradavel

    Tese de responsabilidade governamental. Uma vez que o cidadao nao pode pagar o carro que comprou mesmo assinando um CONTRATO de que iria pagar, culpa-se o Estado e cobra-se dele tendo em vista a ingenuidade do dito cujo cidadao.

  • Eddu

    Eddu

    Quando comprei o carro nossa ideia era menos sacrificio para minha esposa trabalha r, sendo que o gasto com onibus e tempo ate chegar no trabalho era muito. Mas como disse no inicio acabamos ficando com a divida e tendo que pagar as passagens pois fomos furtado, levaram nosso carro, e tem mais, o B.O levou das 15 hrs até + ou= 22 hrs para ser feito na delegacia de Campinas, e acabamos indo fazer o B.O na cidade de Nova Odessa, Alem de ser furtado, ainda passamos por humilhações pelo nosso direito.

  • Sven

    Sven Suspenso

    Pois é, o seguro é pra isso. Só se anda sem seguro se tem condições de comprar um outro carro. Não há de se falar em responsabilidade governamental. O consulente foi negligente ao não contratar um seguro adequado.

  • Dr. Antonio C. Paz -www.acpadv.adv.br

    Dr. Antonio C. Paz -www.acpadv.adv.br

    Verifique se no Contrato há cláusula cobrando seguro contra roubo em favor da financeira.

    Caso a compra do veículo foi feita através de LEASING, há solução.

    Veja a notícia que foi recentemente publicada na internet.


    Rio - A Justiça decidiu proibir a cobrança de leasing em casos de contratos rescindidos por causa de roubo, furto ou devolução amigável do automóvel. Com isso, está suspensa a cobrança de futuras prestações nessa modalidade de crédito no estado do Rio.

    A decisão partiu da 2ª Vara Empresarial, que suspendeu a cobrança de prestações a vencer em certos casos. As operadoras recorreram, mas a 16ª Câmara Civil do Tribunal de Justiça do Estado do Rio negou o pedido. A ação coletiva de consumo contra as empresas foi movida pela Comissão de Defesa do Consumidor da Alerj.

    Os contratos das operadoras preveem a obrigação do consumidor fazer um seguro em benefício da financeira. Dessa forma, em caso de roubo ou furto, as companhias recuperam o investimento feito na aquisição do veículo. Portanto, no entendimento da Justiça, nenhuma outra cobrança pode ser feita ao dono do veículo.

    “Operadoras de leasing querem continuar praticando cobrança abusiva, mas, no que depender de nós, não vão”, disse a presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da Alerj, Cidinha Campos.

    O leasing é uma forma de financiamento no qual operadoras cedem o bem , fazendo cobranças por prestações mensais até a quitação do bem.


    CONSUMIDOR — Ponto positivo para compradores que continuavam a ter que pagar, por contrato, leasing às operadoras mesmo após furto ou roubo ou devolução amigável do veículo.


    OPERADORAS — A cobrança é considerada “abusiva” por Cidinha Campos, da Alerj. Clientes precisavam continuar pagando prestações mensais por algo que não mais possuíam.

    Publicado na internet por Pablo Vallejos

  • Eddu

    Eddu

    E seguro teria resolvido a falta de segurança que o estado nos da sem ter dinheiro para comprar outro em caso de roubo, mas fazer o que quando se lida com gente que se une para brigar por futebol e não pelo seus direitos.