Ir direto ao conteúdo

Redes Sociais do Jus Navigandi

  1. Elis71
    01/07/2012 03:22

    O TST JÁ ME DEU GANHO DE CAUSA E A MAIS DE DOIS ANOS NÃO RECEBI NADA AINDA, MEU ADVOGADO DISSE QUE NÃO TEM MAIS O QUE FAZER A NÃO SER ESPERAR, É ISSO MESMO? SE A JUSTIÇA MANDA E EMPRESA NÃO TEM QUE ME PAGAR? OUTRO PROBLEMA É QUE MEU ADVOGADO NÃO ME DEIXA VER OS CÁLCULOS FEITOS PELA JUSTIÇA. ESTOU MUITO ANGUSTIADA, O QUE FAZER, NÃO QUERO SER INJUSTA MAS TAMBÉM PRECISO SABER SE ESTÁ TUDO OK MESMO OU SE HÁ ALGUMA COISA ERRADA.
  2. Amauri_Alves
    01/07/2012 12:27

    Elis71,

    Os processos que descem do TST demoram um certo tempo para serem remetidos ao TRT e posteriormente a Vara de Origem.

    Se o advogado disse para esperar, algum motivo ele deve ter para não dar andamento ao processo ou mesmo não deve ter nada a fazer senão aguardar.

    É difícil opinar sem saber precisamente o que ocorre no caso em concreto.
  3. Elis71
    02/07/2012 02:21

    Posso te mandar meu processo pra vc dar uma olhada?
  4. Amauri_Alves
    12/07/2012 01:25

    Elis71,

    Infelizmente não posso consultar o processo em que você já constituiu advogado. Em que pese o processo ser público, estou sujeito a sanção caso opine diretamente sobre os autos.

    Posso lhe informar o seguinte: existem dois tipos de execução, precisamente no seu caso, que podem ser aplicadas.

    Existe a execução provisória e a execução definitiva.

    Suponhamos que o seu processo, quanto ao mérito, esteja em fase de recurso, o advogado pode iniciar a execução provisória para adiantar o processo, assim digamos.

    Ou seja, supondo que você ganhou horas extras, adicional de insalubridade, etc... A empresa interpôs Recurso Ordinário contra a decisão e, após, Recurso de Revista.

    O processo tramita na instância superior enquanto no primeiro grau o juízo promove a execução do que você ganhou, sem liberar qualquer valor, haja vista que ainda há controvérsia instaurada nos autos.

    Já a execução definitiva inicia-se quando não mais se discute o mérito, mas sim os valores do que você ganhou. Ou seja, não se discute se tem ou não o direito as horas, mas sim quanto essas horas extras valem e se o adicional fora calculado de forma correta.

    Entendeu, mais ou menos?

    Boa sorte.

Participe do Fórum

Entre com seu cadastro do Jus Navigandi:

Esqueceu sua senha?

Não tem Facebook e quer participar do Fórum?

Faça perguntas, responda dúvidas e discuta assuntos jurídicos. É fácil e grátis!

JUS NAVIGANDI NAS REDES SOCIAIS