Falecimento da mãe, tenho que fazer inventario com meu pai ainda vivo ou só após a morte dele

olá, minha mãe faleceu a 1 ano, e todos os bens imóveis estão no nome dela já que meu pai trabalhava como caminhoneiro e ela que administrava o seu salário, fico na duvida pois somos três irmãos e não queremos fazer o inventário com ele vivo pois ele que esta administrando os imóveis, recebendo aluguel e mantendo os imóveis com manutenções em dia. como não fizemos o inventário ainda é certo ou estamos agindo errado e teremos que pagar multa.

Respostas

8

  • eldo luis andrade

    eldo luis andrade

    Pela morte de um dos conjuges deve ser feito o inventário. Sob pena de multa por atraso. Que salvo engano é caracterizado após 6 meses do óbito.
    Quanto a não fazer inventário com ele vivo é só os herdeiros concordarem e deixarem a parte que a eles cabe em usufruto ao pai enquanto este vivo. Ele pode continuar administrando os imóveis, recebendo aluguel e mantendo os imóveis com manutenção em dia. O inventário apenas descreve o quanto cabe a cada um dos herdeiros inclusive o pai. Então quando do óbito do pai já estará acertado o quanto cabe a cada um dos herdeiros sobreviventes. Abre-se então o inventário do pai e distribui-se tanto a parte dos bens que já era dele por comunhão de bens com a esposa como a parte dos bens particulares da esposa anteriormente falecida.
    Mas o fato de um dos conjuges ser vivo não é desculpa para não fazer inventário do que faleceu. Se houver acordo entre todos e não houver interesse de menores não é necessário fazer inventário judicial. Basta faze-lo em cartório.

  • Fátima Perestrelo

    Fátima Perestrelo

    O prazo para abertura de inventário é de 30 dias após o falecimento. Seu pai, de acordo com o regime de bens do casamento é meeiro e na ordem sucessiva inventariante de sua mãe, ou seja, será nomeado administrador dos bens. A ele caberá a meação, ou seja, 50% dos bens de herança. Os outros 50% pertencem aos demais herdeiros, filhos.

    Ele na condição de inventariante, deverá prestar contas aos demais herdeiros, ainda que filhos sobre a administração dos bens.

    Consulte pessoalmente um adv. de sua confiança e boa sorte.

  • DCMF

    DCMF

    FATIMA

    Por gentileza me responda uma coisa, minha mãe morreu a 12 anos, ela era mãe solteira de minha pessoa, conheceu meu padrastro quando eu tinha 4 anos, eles se casaram em comunhão universal de bens, acho que naquela epoca era só esse o regime, estou con 55 anos, depois que minha mãe faleceu meu padastro nunca quiz fazer o inventario, da unica casa que eles compraram, nunca tive acesso a nenhum documento, após o facimento todos que moravam na casa 2(meio irmãos) foram embora, e meu padrastro pegava o carne de IPTU mas nunca pagou, levava embora pois quando minha mãe mais precisava dele por causa de uma doença ele a abandonou e foi morar com uma mulher que vive até hoje com ele , RESUMO para a casa não ir a leilão eu e meus irmãos voltamos a morar no imovel e fazer acordo com a prefeituta,(ANTES NÃO TIVESSE FEITO ISTO, PREFERIA TER PERDIDO A CASA) para pagar as dividas, conseguimos, após isto ele se casou com esta mulher e diz que a casa pertence a ela agora, pediu o atestado de obto e foi casar, mas lá esta escrito meu nome e de meus irmãos, ISTO É POSSIVEL????.
    MEUS IRNÃO DIZ QUE EU SOU BASTARDA, QUE ESTOU DE FAVOR NA CASA, QUE MINHA MÃE NÃO QUERIA EU MORANDO AQUI(ela nunca falou nada para mim pessoalmente) é um sobrado grande, o meu padastro não mor aui, mas usa um estabelicimento comercial atrás do sobrado que faz parte de tal.QUERO SABER QUAL OS MEUS DIREITOS, já que tenho 5 filhos 2 casados e meus irmãos são solteiros, ninguem sabe onde meu padrastro mora nem onde trabalha, não paga agua, luz nem imposto, nem a manutebção da casa que é velha e toda hora quebra uma coisa, e fica ao meu cargo QUASE todas as despesas, ME AJUDA O QUE FAÇO??????

  • Cristina SP.

    Cristina SP.

    [...]

    Porém vale a ressalva. Procure o Cartório de Registro de Imóveis da situação do imóvel e peça um cópia da Matrícula atualizada. Se o imóvel foi adquirido na vigência do casamento, então 50% pertence a sua finada mãe e 50% ao seu padrastro, de acordo com seu relato sob o regime de bens.

    Não existe isso de agora o imóvel pertencer a 2a. esposa do padastro.

  • ela.beck

    ela.beck

    Faço inventário, qualquer problema entrar em contato pelo e-mail ela.beck@bol.com.br ou facebook justiça100barreiras, att Elaine.

  • Geo Paixão

    Geo Paixão

    Olá por favor gostaria muito da ajuda de vcs... Peguei um caso de uma viúva que era casada pelo regime de comunhão parcial de bens..o de cujus não deixou nenhum bem em nome dele, mas a viúva possui um imóvel apenas no nome dela..é preciso fazer inventário pelo fato que eles eram casados na comunhão parcial de bens? porque agora ela quer vender esse imóvel e disseram que era preciso fazer o inventário...Obrigada ;)