preso em flagrante no artigo 33 sem porte de entorpecentes

meu filho foi preso quando estava em um praça com dois amigos, no B.O consta que quando foram revistados não foi encontrado nada com eles, mas ao telefone o policial falava com um denunciante que de uma janela foi orientando o policial ao local onde a droga estava escondida. o policial encontrou a droga, 50 mt da praça onde meu filho estava, trouxe e disse a eles que a droga era deles como recebeu da denuncia que alegava que eram eles o traficantes. foram levados e o meu esta no C.D.P de Santo André. infelizmente o meu filho tem um agravante, ele estava cumprindo R.A e assinando carteirinha, outro era réu primário e o outro também estava assinando carteirinha. que chances eles tem de realmente provarem sua inocência? grata

Respostas

7

  • Vanderley Muniz - advocaciamuniz@yahoo.com.br

    Vanderley Muniz - advocaciamuniz@yahoo.com.br

    Toda e qualquer alegação agora diz respeito ao mérito do processo e deve ser dirimido na instrução processual.

    A palavra dos policiais, independente de outra testemunhas, é inquestionável quando aliada a outros elementos probatórios.

    Não é possível sem conhecer o processo dizer absolutamente nada com relação as possíveis chances se é que elas existem.

    Contratar um bom advogado é a solução.

  • arias

    arias

    não. é a palavra dos 3 contra as dos policiais. eles alegam que a droga era deles, mesmo não sendo achado nada com eles.
    o que ficou em duvida para mim, sendo eu leiga no assunto é a alegação da denúncia.
    o policial dizendo que estava falando ao telefone com o denunciante e ele orientando-o até chegar no entorpecente. a denúncia anonima não cai em um central de atendimento?

  • Consultor !

    Consultor !

    ... tem mãe q é cega !!!

    Seu filho trafica em quadrilha ... (Pena q a lei considera 4) !!!

    Deveria estar trabalhando/estudando ou em melhores cias !!!

  • arias

    arias

    senhor consultor.... eu respeito sua opinião

    .... mãe quer sempre o bem de seus filhos... e as vezes é difícil admitir a escolhas erradas deles... não sei se o senhor tem filhos.... se tem que possam ser uma benção e nunca terem dado nenhum tipo de trabalho para o senhor; mas alguns infelizmente não são assim... e o número tem aumentado a cada dia.....
    quero dizer que no seu primeiro processo ele foi réu confesso, e pagou pelo seu erro e delito, contratamos um advogado integro que orientou ele que falasse a verdade e confessasse o crime, mesmo um certo "advogado" que gostaria que nós o contratacemos disse que para o livrar teria que inventar um a história muito boa para inocenta-lo. A verdade sempre foi e sempre será a melhor saída, mesmo que se tenha que pagar um preço por ela. e sempre será o meu conselho para ele.
    busco nesse site uma orientação para como agir... li o B.O, e mesmo sendo leiga vejo brechas... mas quem sou eu.... agradeço as respostas... e é uma pena que dessa vez não poderei pagar um defensor para ele... paguei quando ele devia..... mas agora que tudo indica que (e é a palavra dele) não cometeu o delito não posso pagar os honorários de um bom advogado, mas creio que a justiça será feita, mesmo que não for da terra... a justiça de Deus nunca falha.
    Deus abençoe a todos!

  • Jorge Eduardo Robertson

    Jorge Eduardo Robertson

    Outro complicador é q ele parece q não é mais réu primário.

    Nem todos os casos de tráfico a droga está com o acusado, essa é uma tática muito comum em locais de tráfico. Pelo que a sra diz pode ser que ele estava no lugar errado e na hora errada.

    De qualquer modo haverá um defensor público caso ele não possa pagar por um advogado