Ir direto ao conteúdo

Redes Sociais do Jus Navigandi

  1. Elenice Oliveira
    Este usuário conecta-se ao Fórum usando uma conta do Facebook. Veja como fazer isso.
    19/03/2014 20:07

    Boa noite,
    Trabalho em uma Instituição Pública, uma escola de ensino fundamental. Durante o horário de trabalho, na saída do segundo turno, fui surpreendida por um pai de aluna que estava totalmente descontrolado, gritando e esbravejando porque recebeu um bilhete da professora de sua filha. Neste bilhete a professora apenas relatava o comportamento da aluna e pedia ajuda dos responsáveis quanto ao cumprimento das tarefas escolares. Fui falar com o pai e pedir que o mesmo pudesse conversar dentro da ordem, sem gritos e agressões. Mas o cidadão reagiu de forma grosseira, continuou ofendendo a todos os funcionários da escola,e falando que nós não tínhamos noção de quem era ele. O responsável vendo um cartaz na parede da escola que trata sobre o desacato a Funcionário Público, disse que aquela lei não se aplicava a ele. Resolvi registrar uma queixa na delegacia contra esse cidadão por desacato e ameaça. Agora gostaria de saber se há necessidade de dar entrada em um processo? O que devo fazer? Posso realizar essa representação judicial mesmo sem um advogado? Quais as penalidades cabíveis a esse tipo de comportamento?
  2. jlrh
    19/03/2014 20:11

    Foi aberto o B.O. a princípio será aberto um inquérito e provavelmente só encheção de saco mesmo...mais uma lei inútil que foi criada.

Participe do Fórum

Entre com seu cadastro do Jus Navigandi:

Esqueceu sua senha?

Não tem Facebook e quer participar do Fórum?

Faça perguntas, responda dúvidas e discuta assuntos jurídicos. É fácil e grátis!

JUS NAVIGANDI NAS REDES SOCIAIS