Respostas

3

  • Carlos Abrão

    Carlos Abrão

    Prezada Katiuscia.

    Nas ações o autor pede (pedido imediato e mediato) e o réu impede(pedido imediato).

    Diz-se que o autor faz o pedido de forma completa: interesse de agir, processual (pedido imediato) e material, o direito (pedido mediato), enquanto que o réu (via de regra), através da contestação, realiza “pedido” imediato.

    Concluindo, pedido imediato seria o interesse de agir, propositura de uma demanda, enquanto que pedido mediato seria o próprio direito alegado.

    Carlos Abrão.

  • William_1

    William_1

    O colega de cima usou a retórica, ou seja, falou bonito, mas não falou nada.

    Pois bem.

    O pedido imediato indica a natureza da providência solicitada: declaração, condenação, constituição, mandamento, execução. Pedido mediato é o bem da vida pretendido (quantia em dinheiro, bem que se encontra em poder do réu, etc.).

    Segundo a preleção de Fredie Didier Jr., de maneira esclarecedora, ensina que pedido imediato seria a PROVIDÊNCIA JURISDICIONAL que se pretende: a condenação, a expedição de ordem, a constituição de uma nova situação jurídica, a tomada de providências executivas, a declaração etc. O pedido mediato é o BEM DA VIDA, o resultado prático, que o demandante espera conseguir com a tomada daquela providência.

  • JOSE ANTONIO DA SILVA FERREIRA

    JOSE ANTONIO DA SILVA FERREIRA

    Perfeita a segunda explicação acima, na qual não se deixa dúvida à quem suscitou.
    Acrescento ainda de modo simples que quando o autor se dirige ao Judiciário para pedir alguma tomada de providência, para si ou para outrem, se utilizará de um instrumento judicial denominado de Petição Inicial, que nada mais é do que um "REQUERIMENTO".
    Nessa petição ou requerimento o autor irá pedir algo.
    Para o processo judiciário, o pedido tem dois significados: imediato e mediato.
    Então, faz -se a seguinte pergunta: o que o autor deseja do judiciário? Que o Judiciário condene alguém, constitua ou declare alguma coisa. Aí está o pedido imediato.
    Depois vem a segunda pergunta: sobre o quê o autor deseja do judiciário? Que condene alguém, que constitua ou declare alguma coisa.
    Essa coisa é o objeto do processo, o pedido mediato.