Ir direto ao conteúdo

Redes Sociais do Jus Navigandi

  1. Paula Carvalho
    22/05/2006 18:52

    O PAI E SEUS 04 FILHOS HERDARAM UM APARTAMENTO PELO FALECIMENTO DA ESPOSA/MÃE. OCORRE QUE UM DOS FILHOS MORREU E A VIÚVA E SUA FILHA (HERDEIRA POR REPESENTAÇÃO) HABITA NO IMÓVEL SEM PAGAR NADA A TÍTULO DE ALUGUEL AOS OUTROS HERDEIROS. USUFRUI EXCLUSIVAMENTO DO IMÓVEL COM AUTORIZAÇÃO DO MEEIRO LESANDO OS OUTROS HERDEIROS. O QUE SE DEVE FAZER? UM DOS HERDEIROS QUE MORA DE ALUGUEL QUER REIVINDICAR UM PERCENTUAL SOBRE SEU QUINHÃO. AGRADEÇO A AJUDA E SE POSSÍVEL O ENVIO DE JURISPRUDÊNCIAS SOBRE O ASSUNTO.

  2. antonio marcos
    24/05/2006 22:31

    É necessário saber se o meeiro reside também no imóvel, pois esse tem direito de uso do bem com o falecimento do cônjuge, aí seria mera liberalidade dele acolher alguém ali, se ele não mora o caso seria diferente, também seria necessário saber se foi aberto o inventário ou não, pois o inventariante poderia pedir reintegração na posse com indenização da parte cabente aos demais herdeiros, senão, o herdeiro que se sentir prejudicado tem de entrar com ação indenizatória da parte que lhe caberia pelos frutos que renderiam o imóvel a título de aluguel, essa é minha opinião, salvo melhor juízo.

  3. alice
    29/05/2006 10:23

    Dr. Antonio Carlos,

    Lendo sua resposta, me ocorreu uma dúvida, estou representando uma viúva-meeira no inventário de seu marido, e o patrimônio arrolado são dois apartamentos, um deles está alugado e ela reside no outro. Existe uma outra herdeira que é a mãe do "de cujus". Acaso esta herdeira poderá pleitear pagamento de aluguel da parte da viúva, ou sendo ela meeira e herdeira e residindo no local, nada deve ao espólio?

    Desde já agradeço sua resposta. Abraços.

  4. Antonio Marcos
    29/05/2006 19:10

    Desculpe-me, mas há que se perguntar, a sucessão ocorreu sob a vigencia do CC 2002?

  5. Alice
    02/06/2006 09:17

    Bom Dia Dr.Antonio Marcos,

    Desculpe a demora na resposta. A sucessão ocorreu em agosto de 2005.

  6. antonio marcos
    07/06/2006 21:11

    o imóvel utilizado como residência é usufruido exclusivamente pelo cônjuge supérstite, na forma da Lei, quanto aos outros os herdeiros poderão pleitear a sua parte no aluguel.

  7. Frederico Marino
    27/05/2010 11:45

    no caso de ser o imovel residencial usufruido pela meeira, tendo um herdeiro filho do casal e outro fora do casamento. devidamente registrado. o inventario nao chegou ao fim devido ao litigio. se tem direito de pedir indenizaçao como se tivesse alugado o imovel, a partir de quando pode receber? retroativo???? represento a parte da meeira. grato pela resposta quem a ersponder!

    URGENTE
  8. Ingrid Schroeder Scheffel
    27/05/2010 11:51 | editado

    Frederico
    Independentemente do regime de bens que eram casados o cônjuge sobrevivente sempre terá direito real de habitação vitalício, portanto, embora os demais herdeiros tenham direito a co-propriedade eles não têm direito a indenização mensal equivalente ao aluguel pelo uso do imóvel pela meeira, pois ela está em plen exercício do seu direito real de habitação.
  9. Frederico Marino
    27/05/2010 13:48

    Pois sim, entendo assim tb, contudo nao encontrei jurisprudencia nesse sentido.
    o fato é o seguinte, o herdeiro havido fora do casamento impetrou açao de indenizaçao relativo ao lucro nao recebido durante todo o tempo de vida, requerendo que se o imovel fosse alugado teria um rendmento medio de tantos reais.... e a casa da praia tb se fosse alugada e tal....
    o fato é que quer indenizaçao por nao ter recebido nada,.

    ha que ressaltar que o processo de inventário ainda está em andamento. desde 1995. e ainda nao se tem sentença, visto que é litigioso.

    estou meio perdido com relaçao a legislaçao/jurisprudencia.

    uma perguntinha......

    há que se falar em condominio sem que haja sentença, pois nao foi definido cota parte de ninguem ne?

    agradeço a respsta.........

    abraço
  10. Ingrid Schroeder Scheffel
    27/05/2010 15:14 | editado

    Frederico
    Digamos que esta ação de arbitramento de alugueis não fosse contra a meeira, mas sim contra um herdeiro. O efeito da decisão seria "ex nunc", ou seja, da data que o juiz arbitrar para frente, sem retroação. Importante, o direito real de habitação é somente para o imóvel onde a viúva reside e não para os demais bens. Por fim, o condomínio sucessório iniciou-se com a abertura da sucessão (óbito), o inventário somente é o instrumento para lançar o condomínio no serviço registral.
  11. Maria Diana
    04/04/2011 16:52

    Meu marido faleceu em 2001 e herdou parte de um imovel antes de falecer. Apos morreram a mãe, um irmão restando somente um irmão vivo. Meu marido tem um filho que junto o irmão entraram na justiça pedindo aluguel. Gostaria de saber se tenho direito real de habitação e se é permitido por lei cobrança de aluguel a viuva. Resido há
    vinte e poucos anos no local. Esclareço que não tenho imóveis no meu e esse é o único patrimonio deixado pelo meu marido que passou direto para o seu filho porque eramos casados com comunhão parcial de bens.

    Grata pela atenção
  12. Stéfanno Dias
    12/09/2013 16:08

    boa tarde a todos, estou a procura de um modelo de petiçao para propor uma açao de cobrança de aluguel contra um herdeiro que recusa pagar aos demais.

    me deparei com esta conversa e gostaria por gentileza de uma ajuda, se possível me envie um modelo no meu e mail.

    stefannott@hotmail.com

    muito obrigado a todos.

Participe do Fórum

Entre com seu cadastro do Jus Navigandi:

Esqueceu sua senha?

Não tem Facebook e quer participar do Fórum?

Faça perguntas, responda dúvidas e discuta assuntos jurídicos. É fácil e grátis!

JUS NAVIGANDI NAS REDES SOCIAIS