Ir direto ao conteúdo

Redes Sociais do Jus Navigandi

  1. edna smpaio rocha
    17/03/2007 12:05 | editado

    tenho uma cunhada que mora na ilha. e ela e casada e gostaria de divorciar ela ja esta separada de fato a 8 anos e nao sabe o endereço de uma defensoria publica mas proximo da ilha do governador se possivel fosse alguem me mandasse esse endereço para que ela possa correr atras do divorcio dela pois ela nao tem condiçao de fazer o divorcio particular e deseja muito se divorciar mas nao sabe o endereço se puder me ajudar agradeço.um abraço fico grata.
  2. ORLANDO OLIVEIRA DE SOUZA
    17/03/2007 15:30

    Edna,

    Fica no final da Rua Santa Luzia, Castelo, no Rio.

  3. marcia gomes de barros lamir
    25/09/2007 11:14

    não sei em qual site encontro o número de 1 processo que foi aberto em nova iguaçu na vara de familia, meu marido precisa do número pois a pensão alimenticia está sendo descontada de seu contra cheque e ele quer abrir uma conta diretamente no nome do filho que já é maior de 18 anos como proceder?
    marcia gomes,rj
    mglamir@yahoo.com.br
  4. ORLANDO OLIVEIRA DE SOUZA
    17/10/2007 14:35

    Márcia,

    Vá ao site do yahoo ou google e pesquise assim:veja se é justiça estadual:pelo nome do autor, pelo nome do réu, pelo nome do advogado, pela inscrição da OAB dos advogados; da mesma forma se for justiça federal...
  5. Adv. Antonio Gomes
    17/10/2007 14:41

    Edna vá até o fórum da ilha, lá você encontra a defensoria pública, pois ela está em qualquer local que tenha um fórum regional exatamente para solucionar os problemas das pessoas no local.
  6. Luzinete Fernandes
    25/01/2009 09:11

    Bom dia!
    Vivo uma união estavel ha 18 anos c/ meu marido que é militar(ativa), temos 2 filhos, de 7 e 14 anos. Quero me separar e gostaria de saber como proceder p/ requerer a pensão alimenticia. Devo procurar o Orgão Militar ou a Defensoria Pública?
  7. Adv. Antonio Gomes
    25/01/2009 21:18

    Imediatamente um advogado público ou privado para demandar ação de alimentos em face dos filhos e da companheira e a seguir demandar com a competente ação de reconhecimento e desconstituição da união estável com partilha de bens. Digo, nada de procurar Orgão militar.

    Ok.
  8. Mary hellen
    05/02/2009 22:49

    quero saber se com 2 empréstimo no valor de 4 mil 7 mil. De 2 anos atras, o banco pode me cobrar juros absurdo .devo 11 mil,gostaria de negociar minha divida de acordo com minha pensão de R$ 1.800,00.Mas recebi uma carta do banco para eu pagar R$ 26.500,00. eu podendo pagar quanto eu quizer por mes ,para não aumentar a divida.SE eu não consegui pagar os 2 empréstimo na época ,como vou pagar esses R$ 26.500,00.Oque devo fazer,devo colocar o banco na justiça.a minha renda total é só este valor .
  9. ORLANDO OLIVEIRA DE SOUZA
    07/02/2009 18:07

    Poste a sua dúvida no Direito de consumidor ...
  10. UEIDY DE OLIVEIRA CHAVES
    16/02/2009 13:26

    ILUSTRISSIMOS SENHORES(as) gostaria de informaçoes concretas,porque nao aguento pedir informaçoes e nao obte-las corretamentes.Eu fiz dois concursos agente educador II e passei,logo apos fiz auxiliar de creche,tambem passei,so que o primeiro foi homologado nen sei do que deu.e no segundo ando correndo atras,atingi a meta so que me justificaram que pela CRE que prestei concurso e pela minha classificaçao nao serei convocado?isto e certo?o que devo fazer?Ate ajuda pedi varias,mas nao consigo informaçoes concretas.Me falaram que posso abrir um processo para que eu tenha minha vaga,isto e verdade?falaram tambem para que eu procure uma defensoria publica mais proximo a minha casa,Sera que devo?Tambem me falaram que devido a minha classificaçao 4.349 dentro do quadro de convocados nao serei chamados,e verdade?Estou sendo convocado para uma passeata pacifica,devo ir?Me informe?Por favor me ajude pelo amor de deus.
  11. Adv. Antonio Gomes
    16/02/2009 14:41

    Ciente.
  12. UEIDY DE OLIVEIRA CHAVES
    16/02/2009 15:34

    por favor me ajude por favor
  13. Adv. Antonio Gomes
    16/02/2009 17:21

    Procure um advogado especialista em direito administrativo pessolmente, sob pena de no seu entender receber outras informações não corretas ou contraditoria, uma vez que eu afirmaria que essa pretensão não tem fundamento legal, o concurso já era para você, eis que não foi aprovada dentro de numero de vaga do edital, portanto, só fazendo outro, e terá que ser aprovada dentro do número de vaga e por sorte ser chamada, sendo assim não existe expectativa de direito nem para quem é aprovado dentro do número de vaga imagine o 3000 e tal..
  14. O Cara
    26/12/2010 14:57

    É certo que cada povo é dono do próprio nariz, entretanto se vive no Brasil um caos institucional relativo à defesa do cidadão menos favorecido. E este caos de incongruências se pode nominar Defensoria Pública.
    Para tanto, basta se utilizar da mais eficaz forma de estudos das Ciências Sociais a qual seja o Estudo Comparado, aqui mais especificamente o Direito Comparado.
    Há um Estudo bastante completo em VI volumes denominado “Acesso à Justiça” realizado pelo Professor Mauro Cappelletti recém falecido em 2004 enquanto titular do mais alto posto da Faculdade de Direito da Universidade de Florença na Itália, e pelo jurista Norte Americano Bryant Garth. No Brasil este estudo foi resumido e traduzido pela então Ministra Ellen Gracie do Supremo Tribunal Federal.
    Em suma, a pesquisa leva à duas conclusões: - Ou o caos judiciário brasileiro se dá por certos invencionismos; - Ou os brasileiros são realmente os melhores e vivem sozinhos no planeta.
    Isto porque tal estudo traz uma simples e crua realidade: não existe outro lugar no mundo onde a Aberratio nominada Defensoria Pública subsista.
    Por quê? A mais óbvia das respostas salta aos olhos. Tal instituição traz pouco ou nenhuma pacificação social. As pessoas simplesmente não confiam na Defensoria Pública. E isto não se dá por falta de estrutura ou falta de preparo das mesmas, que muitas vezes ostentam seus gabinetes em suntuosos edifícios.
    O fato se dá pela simples razão de a mesma ser uma Aberração Jurídica. Pelo menos a defesa dos cidadãos deve ser exercida por instituições independentes da sociedade civil como a OAB e a OAP (Ordem dos Advogados Portugueses que recebe 100% das nomeações oficiosas dos necessitados e dos revéis).
    Ou seja, chega de Ditadura ou Inquisição. É sabido o papel da OAB em defesa da Democracia e das Liberdades Individuais, tanto em momentos de paz quanto em momentos de crise.
    Realmente se pode esperar tal atitude da Defensoria Pública?
    É óbvio que não. Basta pensar que em 99% das atuações da Defensoria Pública o Estado acaba por Acusar, Defender e Julgar.
    O que é isto senão uma Inquisição remodelada?
    Não é por nada que as pessoas não confiam na Defensoria Pública para patrocinar suas defesas. E essa incongruência aumenta em situações corriqueiras em que o próprio Estado é parte ou tem interesse direto no conflito.
    Nestes casos, o Estado é Parte, Acusação, Defesa, Julgador e que Pune. E qual papel sobraria ao cidadão? (se é que assim pode ser chamado). O de ser punido, claro.
    Quem ficaria pacificado em situação parecida?
    A mitigação de Sociedades Civis como a OAB e a Imprensa é apenas a ponta do Iceberg que se esconde por trás de Aberrações Jurídicas como tal.
    Se toda essa irracionalidade não bastasse, ainda tem que se levar em conta os elevadíssimos custos desse projeto inquisitório.
    A manutenção das Defensorias não passa apenas pelos altos salários dos Defensores Públicos, mas também por suas férias, 13º e outras vantagens. Passa ainda, pelo custeio de toda infraestrutura de pessoal administrativo, e dos suntuosos edifícios. Além de tudo isto, a Lei ainda permite a nomeação de Advogados Dativos que não podem receber mais que um Defensor Público e não possuem todas essas regalias e nem todos os custos indiretos para a Administração, o que ao final sairia muito mais barato para o Erário.
    Para que então a Defensoria Pública, senão inquirir o cidadão? O Zé das Couves gostaria de saber.
    Ainda há talvez o pior de todos os problemas que o Zé das Couves sente na pele. O qual seja o notório descomprometimento e impessoalidade de grande parte do funcionalismo público brasileiro. Principalmente no que se tem presenciado nas Defensorias Públicas, onde os Defensores mesmo com todas as regalias de um funcionário público concursado não se fixam em seus cargos, transformando-se rapidamente em professores ou magistrados. Usando da função apenas como escada para promoção pessoal.
    E o Zé das Couves que teve seu caso negligenciado e abandonado?
    Seria bom que tais operadores não se esquecessem de que Advocacia é Paixão, e não Subversão.
    Como alternativa à tal subversão o que se tem percebido é o surgimento de diversas ONGs e Escritórios de Zonas similares às iniciativas Inglesa e Norte Americana. Iniciativas estas conduzidas por Advogados do setor privado que muitas vezes se localizam e atendem nos bairros estando próximos dos cidadãos. Estes são apenas alguns exemplos que se pode extrair do estudo citado.
    É por estes motivos que se espera no mínimo, além de saber ler e escrever, que os juristas e legisladores desse país tenham a humildade de aprender e tirar proveito das experiências de outros povos do planeta e dos antecedentes. Tomando-se a mesma razão destes no sentido de se extinguir as Defensorias Públicas.
    Pois ninguém espera o retorno Ditatorial ou Inquisitório mascarado de qual aberração que seja.
  15. Adv. Antonio Gomes
    26/12/2010 21:14

    Besterol ao quadrado.
  16. Edna lima
    10/01/2011 15:43

    Gostaria de saber,como eu consigo um Advogado gratuito,na região de N.iguaçu,pois já estive no fórum,já estive no ministério do trabalho,e ñ obtive nenhuma resposta, pra uma recisão trabalista por motivo de falecimento,a empresa orientou-me a procurar um advogado gratuito,já liguei pra varios nº de telefones e não obtive nenhuma informação,e preciso urgente,pois já estou com toda a documentão em mãos,e só estou dependendo de um advogado gratuito,por favor ajude-me.
  17. Natachabraga
    05/09/2011 12:26

    Boa tarde, gostaria de esclarecer algumas dúvidas em relação a pensão alimentícia, tenho uma filha de 9 anos, o pai dela nunca deu nada, nem a presença, só foi conhecê-la quando ela tinha 7 anos (ela tem o nome dele na certidão, ele não a conheceu antes, por falta de interesse) ai ela morou com ele por 2 anos, período o qual ele sustentou ela sem minha ajuda tbm, só que ano passado ela voltou a morar comigo, e desde então, ele nunca mais deu nada denovo e dezembro eu vou fazer uma viagem de estudos para a Irlanda, ficarei lá 1 ano, e minha filha vai ficar com minha mãe, só que ela precisa do dinheiro dele e do meu pra ajudar nas despesas, portanto, sei que preciso colocá-lo na justiça, porque de livre e expontânea vontade, ele não fará, então minhas dúvidas são as seguintes: 1° moro no Rio Comprido, onde tem uma defensoria pública próximo de mim? 2° quanto tempo costuma demorar esse processo? 3° se ele não der a pensão, mesmo com a ordem do juiz, como eu posso proceder, já que não estarei aqui no Brasil pra ver isso? Como poderia deixar um documento autorizando minha mãe a fazer qualquer coisa por mim nesse sentido? Desde já agradeço.
  18. Natachabraga
    05/09/2011 12:27

    Boa tarde, gostaria de esclarecer algumas dúvidas em relação a pensão alimentícia, tenho uma filha de 9 anos, o pai dela nunca deu nada, nem a presença, só foi conhecê-la quando ela tinha 7 anos, ai ela morou com ele por 2 anos, período o qual ele sustentou ela sem minha ajuda tbm, só que ano passado ela voltou a morar comigo, e desde então, ele nunca mais deu nada denovo e dezembro eu vou fazer uma viagem de estudos para a Irlanda, ficarei lá 1 ano, e minha filha vai ficar com minha mãe, só que ela precisa do dinheiro dele e do meu pra ajudar nas despesas, portanto, sei que preciso colocá-lo na justiça, porque de livre e expontânea vontade, ele não fará, então minhas dúvidas são as seguintes: 1° moro no Rio Comprido, onde tem uma defensoria pública próximo de mim? 2° quanto tempo costuma demorar esse processo? 3° se ele não der a pensão, mesmo com a ordem do juiz, como eu posso proceder, já que não estarei aqui no Brasil pra ver isso? Como poderia deixar um documento autorizando minha mãe a fazer qualquer coisa por mim nesse sentido? Desde já agradeço.
  19. Adv. Antonio Gomes
    05/09/2011 12:42

    Procure a Defensoria Pública. Na sua ausência cabe priemiramente ao genitor a guarda da sua filha.

Participe do Fórum

Entre com seu cadastro do Jus Navigandi:

Esqueceu sua senha?

Não tem Facebook e quer participar do Fórum?

Faça perguntas, responda dúvidas e discuta assuntos jurídicos. É fácil e grátis!

JUS NAVIGANDI NAS REDES SOCIAIS