Gostaria de saber dos colegas se existe alguma forma de se prevenir judicialmente,ou qlq meio possível para se defender no caso de vender um veículo alienado e o comprador naum transferir a dívida p seu nome e não efetuar os pagamentos da parcelas da dívida. No caso, so se possui o recibo de compra e venda do carro e ja foi recebido da financeira a carta de protesto. Para completar, o comprador, que era dono de uma agência, sumiu do mapa,vendeu a loja e não atende telefone!!!!acredita-se q ele ja repassou o veículo para um terceiro!!! Por enqto não ha ação judicial de busca e apreensao ou deposito!

Respostas

10

  • 0
    D

    Debora_1 Sexta, 22 de agosto de 2008, 9h54min

    e ai , consegiu alguma resposta pra esse problema! debora barcelos arroba gmail ponto com

  • 0
    F

    Flavio ricardo dos santos Sábado, 27 de dezembro de 2008, 19h01min

    bom dia ou boa tarde a treis messes atras tive meu carro roubado de dentro da minha garagen o veiculo estava sendo reformado nao tinha condições de transitar porque estava com documento iregular com o canbio quebrado .eu e minha mulher compramos para reformar
    o mesmo foi encontrado a +-500 metros da minha casa pela policia militar que pediu que nos guinchasemos o veiculo até o dp do parque do carmo la o delegado fez a apreenção do veiculo dizendo que era porque o veiculo nao estava em meu nome mas assim que eu estivese com uma procuração do antigo propietaria do veiculo ele me liberaria o veiculo .
    passados treis dias voltei a delegacia falando com invistigador feliquix ja com a procuração e os demais documentos pedidos pelo mesmo ele disse sentir muito mas que meu carro ja tinha cido levado para o patio me senti muito injustiçado por que nao estava transitando com o veiculo gostaria de saber se tem como eu consequir meu veiculo de volta

  • 0
    P

    Paulino Sábado, 27 de dezembro de 2008, 23h46min

    Não tem jeito! Primeiro porque o veículo com alienação fiduciária não é seu, portanto não se pode vender o que não é seu, sem o consentimento da financeira. Assim, você é responsável direto pela dívida e pelo veículo, e se existe uma cláusula de depositário fiel então, é um grande problema. Ocorre que é comum esse tipo de negócio ocorrer, talvez pelo desconhecimento das pessoas, mas o correto quando se vende um veículo é realizar, primeiro, um contrato particular onde se estabelece que a partir de tal data o comprador é o responsável pelo veículo e que deverá transferilo no prazo de tantos dias, isso se o veículo não é alienado, se for, como no caso, é preciso autorização da financeira para a transferência, que aprovará ou não o crédito ao comprador, que então passará a pagar!

    A pior conseqüência é sem dúvidas se ocorrer um acidente com o veículo que está no seu nome, você responderá até criminalmente, juntamente com o condutor.

  • 0
    S

    suzana vieira_1 Quarta, 29 de abril de 2009, 15h21min

    Descrição: venda de veículo alienado sem a transferência da dívida

    quais passos devo tomar?

    aguardo resposta e agradeç odesde ja a atençao.

    Obrigada

  • 0
    P

    Paulino Sexta, 15 de maio de 2009, 11h55min

    Sra. suzana vieira_1 se já realizou a venda, deve entrar em contato com o comprador e a financeira, para transferir a dívida para o nome do comprador, depois é preciso exigir a ele que faça a transferência do veículo junto ao Detran. Ocorre que, se o comprador se negar, é preciso procurar um advogado e fazer uma busca e apreensão do bem.

  • 0
    A

    andrea cristina das Segunda, 31 de agosto de 2009, 7h59min

    comprei um carro de um amigo paguei a vista mas o carro esta no nome do vendedor alienado.ele me passou o carro os documentos.e o recibo de transferencia de compra e venda.posso levar esse recibo ao cartorio e reconhecer firma mesmo que o carro esteja ainda alienado termina as parcelas no dia 23/11/2011.devo fazer um contrato tambem.oque devo fazer para me garanti?

  • 0
    P

    Pietro Alberto Pierin Segunda, 30 de julho de 2012, 3h29min

    Olá. Tem um veículo financiado em meu nome. Fui experimentar um veículo e ver se conseguia financiar, mas acabei financiando outro carro na mesma loja. Tempo depois fiquei sabendo que havia sido financiado no meu nome o veículo que havia desistido da compra. Fui até a loja algumas diversas vezes para tentar resolver o caso mas ficaram nas promessas de transferir o veículo, quitar ou cancelar o financiamento. Por fim a loja da noite pro dia fechou e não abriu mais. Uns 5 dias antes estive na loja e o carro financiado em meu nome e que estava em poder da mesma não estava mais lá. Eles tinham repassado antes de fechar as portas. Agora eu tô com a dívida em meu nome e sem o veículo. Este comprador do veículo que direito ele tem sobre o veículo visto que eu não assinei nada dando poder a loja ou a ele sobre o veículo. O banco esta me precionando pra quitar o veículo e me fez uma proposta reduzindo o valor da quitação. O que você me recomenda?

  • 0
    F

    Fátima Perestrelo Segunda, 30 de julho de 2012, 5h10min

    A todos os consulentes.

    Procurem o auxílio de um ADVOGADO.

    Cada caso é um caso. porém em caso de bem alienado, nunca venda sem a anuência da financeira para transf. do financiamento.

  • 0
    L

    Lopes Terça, 11 de novembro de 2014, 20h51min

    Na verdade você não vende o carro. Você faz uma procuração para que o outro possa transferir quando ele terminar de pagar, mas ele ficará pagando em seu nome.Você também faz uma Autorização para que essa pessoa possa dirigir o seu veículo. E não é verdade que você é responsável se ele atropelar alguem com o seu carro, a menos que você autorize alguém não habilitado.

  • 0
    Popeye Loko

    Popeye Loko Sexta, 09 de janeiro de 2015, 21h19min

    E no caso de vc ter passado o carro para um terceiro e o mesmo não efetuou a quitação do mesmo e nem a transferência.... ja fui conversar com o comprador q esta com 4 parcelas do carro em atraso mas só fica enrolando.... essa semana chegou uma multa do carro e um telegrama de cobrança... agora só ta faltando o oficial de justiça bater no portão de casa..... obs. foi feito o reconhecimento do recibo em cartório e uma procuração.

Receba os artigos do Jus no seu e-mail

Encontre um advogado na sua região