Respostas

26

  • JOAO CARLOS DA SILVA COUTO

    JOAO CARLOS DA SILVA COUTO

    Não Luciana. Este pagamento tem como parâmetro o percentual que o perito médico ateste no último laudo, o conclusivo, acerca da invalidez do acidentado, tendo como referência o vl. máximo de pagamento (hoje C$13.500,00).
    Assim, se o médico perito atestar, por hipótese, que a perda do dedo lhe causou 30% de invalidez, o vl. a ser recebido será 30% sobre CR%13.500,00.
    E deve pleitear antes na via administrativa, com os outros documentos exigidos.
    Um abraço

  • luciana macedo guterres_1

    luciana macedo guterres_1

    Descula,mas eu discordo do seu posicionamento. Na realidad, quanto ao valor do pagamento pela perda do dedo não, porque não seibem qual é o valor, ms sei que o valor máximo a ser pago 40 saláriso mínimos, que correspondem hoje a R$ 15.200,00. E quanto ao requerimento tem que ser primeiro na via administrativa, isto fere a própria Constituição Federal. Desculpe-me!

  • Vanderley Muniz - advocaciamuniz@yahoo.com.br

    Vanderley Muniz - advocaciamuniz@yahoo.com.br

    Não entendo porque fazem perguntas para contestar, ao depois, a resposta recebida.

    Corretíssimo, João, seu esclarecimento.

    Abraços

  • Thiago Carvalho_1

    Thiago Carvalho_1

    A perca total do dedo é acobertada pelo seguro DPVAT sim. Trata-se de uma lesão permanente leve, como constatará no laudo médico.
    Desta forma, fixar-se-á o valor, máximo inatingível pela natureza da lesão de até 40 salários mínimos.

    Como a cara colega colocou, deve-se buscar, a priori, as vias administrativas para a prestação, apenas em não sendo prestado seu direito neste âmbito, é que deve-se pleitear em juízo.

  • luciana macedo guterres_1

    luciana macedo guterres_1

    Desculpe, não era esta a minha intensão Dr. Vanderley, só queria tirar a dúvida qt. ao valor da indenização pela perda de um dedo da mão direita, se já teve decisão judicial concedendo os 40 salários mínimos. Talvez eu tenha expressado-me mal, mas não tinha intenção de desprestigiá-lo e agradeço muito por ele ter respondido. Mas eu sinceramente pensei que a troca de idéias fizesse parte dos debates e fosse saudável. Tb. sou adv. e bastante simples, não tinha mesmo intensão de causar nenhum efeito negativo, e gosto muito deste fórum,
    Um abraço, também para o Sr. João Carlos

  • Vanderley Muniz - advocaciamuniz@yahoo.com.br

    Vanderley Muniz - advocaciamuniz@yahoo.com.br

    Pois bem...a título de colaboração:

    Saiba mais sobre a cobertura de Invalidez Permanente
    • Considera-se invalidez a perda ou redução da funcionalidade de um membro ou órgão. Essa perda ou redução é indenizada pelo Seguro Dpvat quando resulta de um acidente causado por veículo e é permanente, ou seja, quando a recuperação ou reabilitação da área afetada é dada como inviável, ao fim do tratamento médico (alta definitiva).

    • A invalidez é considerada permanente quando a funcionalidade do órgão ou membro é afetada integralmente ou em parte.

    • O valor da indenização por invalidez depende da/s área/s atingida/s e da proporção das lesões. Esse valor varia percentualmente, conforme o local, o tipo e a gravidade da perda ou redução de funcionalidade. O percentual é aplicado sobre o valor máximo de indenização em vigor.

    • A indenização de invalidez se aplica aos casos em que a funcionalidade de uma parte do corpo ficou comprometida, no todo ou em parte. Por essa razão, não se aplica a danos estéticos.

    • O beneficiário da indenização de invalidez permanente é a própria vítima.


    São estes os valores de indenização do Seguro Dpvat, definidos pelo Conselho Nacional de Seguros Privados - CNSP, órgão vinculado ao Ministério da Fazenda. O pagamento destes valores em reais - e não em salários mínimos - foi ratificado pela Lei 11.482/07.

    Morte
    R$ 13.500,00

    Invalidez Permanente
    até R$ 13.500,00 (o máximo só é possível quando a invalidez compromete a capacidade laboral do benenficiário, em qualquer emprego e/ou função - a perda de um dedo não o faz).

    Dams ( Despesas Médicas e Hospitalares, devidamente comprovadas)
    até R$ 2.700,00

    Respondido? Bom final de semana..

  • JOAO CARLOS DA SILVA COUTO

    JOAO CARLOS DA SILVA COUTO

    Agradeço as manifestações, e em especial a do colega Wanderley, e entendo
    que ele esclareceu objetivamente o caso em pauta - consentânea com a que eu fizera - cumprindo assim um dos objetivos a que este Forum se propõe.
    Um abraço a todos.

  • jose rafael

    jose rafael

    ola. meu nome eh jose...e tenhu duvidas..pois perdi dois dedos da mão direita ..sendo o polegar e o indicador, vcs podem me passar informações e valores sobre este caso?

  • fabio almeida_1

    fabio almeida_1

    ola meu nome e fabio e minha esposa sofreu uma perda de quatro dedos da mao direita na altura da segunda falange em um acidente de trabalho gostaria de saber quais sao seus direitos segundo o inss e a empresa ao qual trabalha visto que ela e destra e tem apenas 29 anos e um grau de instruçao muito baixo

  • Rosemeire Santos Silva Oiliveira

    Rosemeire Santos Silva Oiliveira

    Olá gostaria muito de tirar uma dúvida,meu esposo sofreu um acidente em seu emprego há três anos e ficou com sequelas definitivas em sua mão direita;O cilindro de massas pegou sua mão e a esmagou deixando-a assim praticamente sem poder executar sua profissão de padeiro;O dedo indicador ficou totalmente "torto"e sem sensibilidade,os outros demais ficaram atrofiados,a mão não tem movimentos normais ficando assim meio-aberta.
    Minha pergunta é a seguinte:Ele tem direito de receber alguma quantia para cobrir esse dano "IRREVERSÍVEL" a sua mão?
    Já agradecida
    Rosemeire

  • Vinicius Mendonça de Britto

    Vinicius Mendonça de Britto Suspenso

    LUCIANA, APESAR DE VOCE ESTAR POR FORA DO ASSUNTO RESOLVI TIRAR UM TEMPO PARA TE DAR UMA AULINHA SOBRE A NOVA LEI Nº 11.482, DE 31 DE MAIO DE 2007, QUE DIZ:

    Art. 8 Os arts. 3o, 4o, 5o e 11 da Lei no 6.194, de 19 de dezembro de 1974, passam a vigorar com as seguintes alterações:

    “Art. 3o Os danos pessoais cobertos pelo seguro estabelecido no art. 2o desta Lei compreendem as indenizações por morte, invalidez permanente e despesas de assistência médica e suplementares, nos valores que se seguem, por pessoa vitimada:

    a) (revogada);

    b) (revogada);

    c) (revogada);

    I - R$ 13.500,00 (treze mil e quinhentos reais) - no caso de morte;

    II - até R$ 13.500,00 (treze mil e quinhentos reais) - no caso de invalidez permanente; e

    III - até R$ 2.700,00 (dois mil e setecentos reais) - como reembolso à vítima - no caso de despesas de assistência médica e suplementares devidamente comprovadas.” (NR)

    QUANDO FOR DEBATER A CERCA DE UM ASSUNTO, ESTUDE PRIMEIRO ANTES DE FALAR ABOBRINHA.

  • dalton machado

    dalton machado

    queria saber por favor se tenho auxilio a algum peculio?
    sofri um acidente e tive fratura e amputação da quinta vertebra do dedo mindinho , queria saber se tenho direito á peculio???como faço para encaminhar esse processo? obrigada por responder ..................um grande abraço...................

  • ROBERTO RODRIGUES CAMPOS

    ROBERTO RODRIGUES CAMPOS

    boa tarde,perdi a metade do dedo indicador da mão direita,queria saber se tenho algum direito indenizatório...Grato!

  • ROBERTO RODRIGUES CAMPOS

    ROBERTO RODRIGUES CAMPOS

    boa tarde,perdi a metade do dedo indicador da mão direita na empresa em que trabalho,queria saber se tenho algum direito indenizatório...Grato!

  • Macelle Jaqueline Melo Santos

    Macelle Jaqueline Melo Santos

    Prezados,

    Agradeço se puderem tirar a minha dúvida. Meu marido estava jogando bola, e a aliança ficou presa na rede. No que ele foi puxar...o dedo caiu.
    Ficou afastado do trabalho por auxílio doença por dois meses e retornou. Existe alguma idenização por parte do governo por ele ter perdido o dedo da mão esquerda??? Cabe algum recurso para este caso??

    Fico no aguardo!!!

  • marcoafg

    marcoafg

    Olá amigos,por favor se alguem puder mem da uma luz no meu problema! Tenho 30 anos e trabalho na fiat automoveis a quase dez anos.Tive muitas dores e perda de movimento e em de 2008 fiz uma cirurgia no punho direito ( LER E A DOENÇA DE KIEMBOK ) não avendo melhora em junho de 2009 tive que fazer outra cirurgia e foi retirado do punho direito trez ossos,continuo com muita dor e fasso tratamento com fisioterapia e bloqueio mas continuo com perda de movimentos e corro o risco de fazer outra a ARTRODESE! A minha duvida é se tenho o direito de aposentar por invalidez?Se tenho algum seguro por perda de membro? E se tiver, direitos qual o valor deles? Obrigado por tudo!

  • Eloise Juliani

    Eloise Juliani

    Olá

    Meu marido sofreu um grave acidente com ácido no trabalho dele em abril desse ano, a consequencia foi a perda total da visão do olho direito com retirada do globo ocular, nesse caso como poderiamos receber algum tipo de indenização? A empresa está arcando com transportes e medicamentos para o tratamento e ele está recebendo o auxilio-doença do INSS, teria como me dizer se ele vai receber um auxilio-acidente, ou ele vai ter que voltar ao trabalho? E quanto as consequências pscológicas como vão ficar perante a lei??
    Se alguém puder me ajudar eu vou ficar muito grata pois estamos muito perdidos com tudo o que está acontecendo.
    Obrigada!!!!

  • Josielson Mesquita Silva

    Josielson Mesquita Silva

    Olá. Boa noite. Gostaria de informaões sobre idenização do seguro dpvat, pois sofri um acidente em 04/10/2002, onde tive fratura de um dente, carpo e mandíbula. Quanto deve ser o valor da idenização?
    Obs.: Tive uma audiência onde a juiza pediu complemento médico, gostaria de saber o motivo desse tipo de pedido, uma vez que apresentei laudo coprovando a minha debilidade de forma quantitativa. Na audiência a juíza me perguntou quanto tempo eu fiquei afastado do trabalho (professor), respondi 45 (quarenta e cinco dias) isso pode ifluenciar na sentença, ou seja a seguradora pode alegar pouco tempo para a minha recuperação?
    Grato, Josielson Mesquita.

  • wagner caldas

    wagner caldas

    Caro Joseilson,

    A partir de 11.1.2003, o prazo para dar entrada no pedido de indenização do Seguro Obrigatório DPVAT passou a ser de 3 anos, a contar da data em que ocorreu o acidente, no seu caso em 04/10/2002. É preciso saber quando vc deu entrada pq dependendo da data seu direito já poderia estar prescrito. O DPVAT somente vai te indenizar os gastos comprovados para sua reabilitação. Quanto a pergunta do Juiz quanto tempo vc ficou parado, imagino que deva ter cumulado pedido de lucros cessantes, mas como empregado, os primeiros 15 dias deveriam ser pagos pelo empregador e após pelo INSS. A princípio, só será indednizado pelos gastos médicos e hospitalares comprovados. O teto do DPVAT é de R$ 13.500,00 . abçs