Ir direto ao conteúdo

Redes Sociais do Jus Navigandi

  1. MC
    24/02/2008 03:53 | editado

    Olá a todos.

    Gostaria que vcs me tirassem uma dúvida...

    Estou afastado do trabalho e com auxílio-doença há 6 anos. Na última perícia, recebi 2 anos de auxílio, e agora em Março farei uma nova perícia. Meu problema é psiquiátrico, possuo o CID F41.2 - Transtorno misto ansioso-depressivo. Meu psiquiatra me fornece sempre seu laudo informando a impossibilidade laborativa, mas estou muito receoso que o INSS venha a me dar alta na próxima perícia, pois fui informado de um documento para condutas em casos mentais, o qual li e praticamente todas as doenças, inclusive o meu caso, são tratadas com descaso e consideradas totalmente laborativas, ou seja, em todas o INSS estipula uma espécie de "prazo", depois do qual o indivíduo TEM que estar apto a trabalhar. Isso não é uma falta de consideração? Existem prazos agora para pessoas com transtornos mentais se curarem?

    Por favor, me esclareçam os meus direitos.
    Grato.
  2. paulino g.
    26/02/2008 15:33

    Marcelo, tenho um conhecido com patologia idêntica ao seu caso que está aposentado por invalidez há um ano e meio.
    No seu caso, afastado há seis anos sem melhora do quadro, já deveria estar aposentado por invalidez!
    Gostaria da opinião do Sr. Eldo.
  3. MC
    27/02/2008 03:47

    Obrigado pela resposta, Paulino.

    Qto mais pessoas participarem e opinarem, melhor... Seu de meus direitos, mas o problema é que o INSS não parece saber, pelo menos pelos relatos que acompanho frequentemente.
  4. MC
    29/02/2008 05:45 | editado

    Olá,

    Mudei o título do tópico para conter a descrição da doença ao invés do CID, para facilitar a tds. Por favor, dêem suas opiniões, principalmente quem tiver situações semelhantes.

    Grato a tds, fiquem com Jesus.
  5. MC
    02/03/2008 05:00

    Pessoal,

    É verdade que o INSS vai parar no fim de março? Tenho perícia marcada para o dia 17/03, e, pelo que estou sabendo, eles só divulgam o resultado agora por carta, para torturar ainda mais... Como ficará a minha situação se eles entrarem em greve mesmo? Como saberei do resultado?

    Grato a tds, fiquem com Jesus.
  6. Patricia Costa
    02/03/2008 15:21

    Marcelo me ajude tbm !!

    Meu psiquiatra me afastou por 90 dias com f41.2, f43 e mais um que não consegui decifrar a letra.

    Porém ainda não marquei perícia, pois vou passar no meu antigo psiquiatra e pedir laudo, além do meu gastro, pois tenho S.I.I.e pangastrite, além de R.G.E.

    Me disseram para levar todos os laudos e rezar muito, pois os peritos tratam com o maior descaso pessoas que alegam propblemas dessa ordem.

    Por gentileza me conte como é ser periciado, eles perguntam, conversam ou só olham pra tua cara ee dão alta ??

    Estou muito preocupada, pois meu ultimo trabalho era em call center e só fiquei um mês e fiquei mto ruim, mas isso como vc deve saber não vem de agora, será que vão me compreender ??

    Que laudos vc levou ??
  7. paulino g.
    02/03/2008 16:17

    Patrícia, pelo fato de você passar pela primeira vez na perícia médica, como segurado da previdência, aconselho-a consultar um advogado previdenciário, ou munir-se exames recentes, receituários e laudo médico recente do psiquiatra com todos os Cids, antes do agendamento da perícia.
    Boa sorte.
  8. MC
    03/03/2008 02:58

    Patricia,

    Estou afastado já há 6 anos, como vc deve ter lido. Na agência onde realizo as perícias, já fui tratado de todas as formas: alguns com descaso, alguns conversam sobre como era o trabalho que eu realizava (sou engenheiro de sistemas), outros sobre como eu me sinto com a doença, e outros praticamente só olham o laudo do psiquiatra e nem conversam. Outros são grosseiros, já me perguntaram até se eu babava ou se já fui internado como louco!! Como se ansiedade e depressão precisassem deixar vc louco para receber do INSS... É benefício por incapacidade ou por ser um vegetal?? Bom, até hoje, sempre consegui renovar o benefício, graças a Deus. Mas cada perito é um perito, cada agência é uma agência, e por aí vai...

    Qto ao laudo, só levo o que o meu psiquiatra me dá, atestando o CID F41.2, que deve ser bem parecido com o seu... Não levo receitas azuis, pois elas não têm 2a via, como as brancas controladas. Essas eu levo, além de levar os medicamentos, pois estão sempre comigo mesmo, já que nunca sei qdo precisarei de tomá-los...

    Espero que vc encontre um perito honesto e ético, e que consiga o seu benefício.

    Boa sorte e vá com Deus.
  9. joão francisco dos santos
    03/03/2008 15:32

    Estou tão indignado e descrente, que só deus para nos livrar desses imbecis e dos politicos corruptos dessa merda de pais
  10. paulino g.
    13/03/2008 18:59

    Marcelo, tenho um conhecido recebendo o auxílio doença com laudo do psiquiatra com cid 41,2 também e o perito, na ultima vez, concedeu benefício por seis meses.
    Você costuma passar por perícia da mesma agência? As concessões em número de meses são iguais ou são diferentes? Dependem do perito?
    Grato.
  11. MC
    15/03/2008 15:13

    Olá, Paulino...

    Desculpe a demora... Minha internet é via celular, e aqui no RJ está um tempo horrível. A conexão cai toda hora... Mas vamos lá:

    Eu passo pelas perícias sempre na mesma agência, e os tempos que recebo de concessão variam muito. Já recebi 2, 3, 4, 5, 6 meses e até 2 anos, o último. Variam de perito p/ perito tbm, e um mesmo perito já me deu diferentes tempos. Certo perito me deu, há uns tempos atrás, 4 meses. O mesmo perito voltou a me analisar em outra ocasião, e me deu os 2 anos que falei. Assim, pelo que vejo, os tempos de concessão variam muito, de perito p/ perito, de acordo com a doença e de acordo com o estado do doente. São mts fatores...

    Abs, espero ter ajudado, boa sorte e fique com Deus.
  12. paulino g.
    16/03/2008 18:04

    Marcelo agradeço pela resposta. Realmente quando se fala de perícia médica, não dá para chegar a um consenso plausível. Em 2007, dois peritos que me concederam o benefício, meses depois de ser periciados pelos mesmos, tive o benefício negado e outro que antes havia negado, meses depois concededeu-me o benefício. Os peritos são muitos complexos, diria até que faltam com a lógica, nos seus diagnósticos.
    Abraços.
  13. livia_1
    17/03/2008 15:35

    MARCELO CUNHA

    Não tenho intensão de desanimar ninguém, mas a realidade é que todos os segurados com problema de depressão, pode até ser concedido o benefício por algum tempo, e logo será cortado, porque a Previdencia hoje tem outra visão da depressão, só aposenta por invalidez quem tiver com depressão com sintomas psicóticos, pode procurar saber, isso elimina 90%dos depressivos do INSS, depressão é uma doença grave e sabemos que dependendo do caso leva a pessoa ao suícidio, masss... o Inss não pensa assim, só aceita como já disse depressão com sintomas psicóticos.
  14. livia_1
    17/03/2008 16:41 | editado

    Transtornos Neuróticos Fatores A Doença Grau de gravantes Fatores Atenuantes incapacidade Ocupacionais Morbidades Sociais Ocupacionais Morbidades Sociais Sugestão de Prazo Diretriz Agorafobia (F40.0) Não há incapacidade Indeferimento Fobia Social (F40.1) Não há incapacidade Indeferimento Fobias específicas (F40.2) Não há incapacidade Indeferimento Transtorno de Pânico (Ansiedade Paroxística Episódica) (F41.0) Há incapacidade Atividades de risco individual ou para terceiros Ausência de tratamento adequado Tratamento psicoterápico com antidepressivos DCB até 60 dias ou DCI com encaminhamento à reabilitação profissional conforme risco ocupacional. Transtorno de Ansiedade Generalizada (F41.1) Não há incapacidade Indeferimento Transtornos mistos de ansiedade e depressão (F41.2) Não há incapacidade Indeferimento.’
  15. Geisa
    19/03/2008 14:11

    Tô besta. Minha madrastra além dos distúrbios da coluna, M51. M52.4, tem o F41.0, F32.3 e F45.4. Inclusive está sob vigilância, pois está tão pra baixo que pode pegar todas as caixas de Tryptanol, Rivoltril e um monte de outros e tomar de uma vez só. Olha, essa história dos peritos quererem moralizar a previdência mas ir ao outro extremo, pode custar muito caro para para muitas famílias....
  16. ronald mac dolw fontes da silva
    20/03/2008 11:56

    Amiga fique trânquila que cada caso é um caso, se voce realmente apresenta um quadro que não lhe possibilita mais retornar ao trabalho, então fique frio, estamos aqui para lhe auxiliar.

    abraços!
  17. claudia sebastião
    03/04/2008 12:27

    eu tambem tenho depresão f63-3+f44.0+33.4 estou afastada ha 12 anos mas tambem estou receiosa quanto a minha proxima perecia o medico do inss ja pediu aposentadoria mas negaram
    eles naõ levam a serio esse tipo de problema desejo lhe boa sorte
    eu nem tenho cabelo por causa da depresaõ nem assim eles aposemtam agora é só aguardar
    abraços
  18. Funcho
    03/04/2008 13:06

    MC,


    Viu como conseguiu amigos e apoio? pois é, quando a gente pensa que tudo está perdido, Deus faz a parte DELE.
    Não se preocupe com o afastamento e o temp. Se o INSS negar sua aposentadoria, no caso de sua ansiedade continuar a atrapalhar sua vida, não esquenta não....tem a justiça ! Entre com um processo pedindo sua aposentadoria e demonstrando que o INSS negou.
    Os JEFs dão quase na hora.
    O mais importante é vc.melhorar de vida. Ter mais confiança em você mesmo. O distúrbio da ansiedade é como um gatilho puxado fora do momento certo. Sem nada acontecer, seu cérebro entra em defesa de seu corpo, e daí, a gente não entende mais nada. Pensa que vai morrer, tem taquicardia, pânico de tudo (viajar, avião, altura,escuro etc), mas vc. sabe que é tudo arquitetato pelo seu cérebro. Então, principalmente, tenha calma, respire fundo e as crises mais profundas passarão.
    Falo de cadeira. Já sofrí demais com transtorno do pânico. Não se cura disso, mas tem-se um controle muito grande. Lembre-se...vc não está mais só.
    abraços.
  19. Julia Maria_1
    03/04/2008 17:05

    MC, se é falta de consideração? não! é falta de vergonha na cara mesmo dos peritos, há casos na psiquiatria em que não existe cura! mesmo assim, a pessoa terá que ficar boa!
  20. Valmir_1
    07/04/2008 23:12 | editado

    tenho depressão aguda, quadro psicotico paralelo e epilepsia de dificil controle estava afastado por 7 anos e recebi alta
    o medico da empresa se recusa a aceitar meu retorno e meui medico que faço tratamento me diz que não pode me dar alta ja estou sem receber a seis meses ta muito complicado nem sei mais oq fazer

Participe do Fórum

Entre com seu cadastro do Jus Navigandi:

Esqueceu sua senha?

Não tem Facebook e quer participar do Fórum?

Faça perguntas, responda dúvidas e discuta assuntos jurídicos. É fácil e grátis!

JUS NAVIGANDI NAS REDES SOCIAIS