LUPUS da direito a aposentadoria Cod. 31?

Me afastei em 1998, por LER, Foi aberto o CAT, mas depois de 2 anos eu tive meu primeiro filho e foi descoberto o LUPUS. Meu CAT foi anulado pelo INSS, e hoje recebo o auxilio doença (31), já entrei na justiça, mas o períto achou que sou muito nova para pedir aposentadoria por invalidez ( 32 anos). Agora me encaminharam para o CRP, já passei pela primeira perícia, o medico reconheceu a doença, inclusive o problemas nos rins, agora vou passar com uma psicologa. Gostaria de saber se depois do INSS me manter afastada por 10 anos, sem eu nunca mais ter voltado a empresa, eles podem me reabilitar, mesmo sem o meu medico ter me liberado. Continuo com o problema de LER, tenho o LUPUS, e vitiligo ( que apareceu depois do afastamento). Sei que o vitiligo nada tem a ver com afastamento, mas foi uma doença que apareceu logo após ao afastamento. A empresa onde eu trabalhava nem se quer tem atividades na região. Nesse período tive 3 filhos, sendo que do ultimo que hoje está com 1 ano e 3 mêse até agora a empresa não me pagou o auxlio maternidade. Quais seriam meus direitos perante o INSS? Se é que tenho algum!!!

Respostas

34

  • cassia_1

    Minha situação é quase a mesma, estou afastada por LER desde 1999, e ainda não me aposentaram, estou recebendo o beneficio, tenho 34 anos. Oque posso fazer ?

  • Lorena Avelino

    O Lúpus dá aposentadoria por invalidez desde que, se comprove a incapacidade do portador para qualquer tipo de trabalho. Já existem jusisprudências que concedem aposentadoria ao portador de doença crônica que, aliada ao seu estado emocional depressivo, gera incapacidade para o labor.
    Vocês deverão juntar toda a documentação que comprove o Lúpus e TODAS as outras doenças que vieram por consequência dele, inclusive o vitiligo que pode ser decorrente do Lúpus, etc... Também deverão reunir toda a documentação que comprove as solicitações de benefício negadas junto ao INSS.
    De posse dessa documentação, vocês deverão procurar o JUIZADO ESPECIAL DA JUSTIÇA FEDERAL e recorrer da decisão do INSS. O Juiz decidirá se vocês terão direito a aposentadoria ou não. Em se tratar de Juizado Especial, não é necesário constituir advogado.
    Nos dois casos, tanto da Cássia, quanto da Ana Paula, que estão afastadas desde 98/99, tratando-se de uma doença crônica e degenerativa, ainda que sejam mulheres jovens, podem sim se aposentar. Se o pedido foi negado, recorram à Justiça Federal com urgência!
    Atenciosamente.

  • ALCIONE ANDRADE

    Tenho lupus a nove anos, trabalhei a sete anos como professora com contrato provissorio pelo estado, ano passado tive muitas complicaçoes devido a doença, senti muita dor de cabeça, manchas, depressao, irritaçao, sintomas esses que não combinam com a profissao extressante que é a docencia, gosto muito de lecionar mais me vejo impossibilitada de assinar contrato ,hoje estou sem contrato e gostaria e saber se tenho direitos com relaçao a aposentadoria, pois a duvida em relaçao a situaçao financeira me deixa muito angustiada se puderem me informem, por favor!

  • Ana Cristina da Silva_1

    Sou portadora da doença de LES ( Lúpus Erimatoso Sistêmico) desde 1996, quando tinha 21 anos, hoje tenho 33, na época quase morri de tanta dor, afetou todas as minhas articulações, inchei muito, fiquei afastada durante 3 meses para tratamento, a minha aparência não era das melhores, tive pericardite e até hoje tenho um derrame de grau mínimo, mas que ainda me causa dores no peito, sempre estou me tratando e trabalhando normalmente há 17 anos, mas cada consulta que passo e a cada exame que faço, descubro mais problemas que ao meu ver não é normal para uma pessoa só, descobriu-se em mim Diabetes desde 2003, tenho problema de tireóide 2005 (agora estou com um nódulo) desde 2008, fiz dessintometria óssea, estou tomando remédios para os ossos desde 2006, fiz RM do joelho 2008, apareceu um cisto que está crescendo, tendinite e desgaste na cartilagem (a dor é muita intensa), fiz RM do pé direito 2009, deu um derrame no pé, tenho muitas dores principalmente nos pés, parece que estão esmagando-os, o exame de US apareceu dilatação nos rins, gordura no fígado e vários miomas, e também pedras na visícula tomo todos os remédios que me passam para tomar, mas o efeito não dura muito e volta as dores.
    Fui aguentado por um bom tempo essas dores e esses problemas e nunca havia pedido afastamento para minha médica, entrei de férias em 23/02/2009, quando foi em 10/03/2009, pedi para que ela me desse alguns dias para poder me tratar melhor, pois não aguento mais de tanta dor, não consigo nem andar de tanta dor nos joelhos pernas e pés, isso quando outras partes do corpo não dói junto, cheguei no limite, ela me deu 45 dias, mas não garante se a perícia vai aceitar
    Gostaria de saber se posso conseguir um afastamento para poder me tratar direito?, não é justo que eu trabalhe com tanta dor, isso está me afetando profissionalmente, tira a concentração, meu psicológico está abalado e minha saúde cada vex pior, poderia me orientar?

  • daiany bacelar

    oi.... tenho les a 05 anos,e com isso perdi a funçao renal dos dois rins,nunca contribuir com o inss ..tenho direito a me aposentar????

  • simone_1

    ola ... tenho lupus a 5 anos e nunca paguei o inss ,o lupus entrou em atividade novamente e eu estou imposibilitada para trabalhar , gostaria de uma orientaçao, oque faser por onde eu começo ?...

  • PAULO DONIZETTI DA SILVA_1

    Ana Cristina da silva_1 ;Com todos problemas que tu tem era pra estar no minímo afastada sem previsão de alta.Faz o seguinte faça uma juntada de todas as doenças tratamentos laudos médicos exames ,receitas,enfim tudo inerente as patologias.Procure um advogado previdençiario ele ira te orientar o melhor procedimento à tomar.

    SAUDAÇÂO PAULO

  • Ana Cristina da Silva_1

    Paulo, a perícia me deu apenas 60 dias para poder melhorar as dores nos pés e nos joelhos, vou procurar um advogado para poder prorrogar este afastamento, pois cada dia estou pior
    Como consigo este advogado