Ir direto ao conteúdo

Redes Sociais do Jus Navigandi

  1. Roseli_1
    09/09/2008 09:19

    Oi estou cuidando do meu pai que esta muito doente pois está com cancer em estado muito avançado,ele morava sozinho, mas agora eu troxe ele pra morar comigo, só que não tenho mais tempo pra sair de casa, pois tenho que ficar com ele, tenho mais 4 irmão só que ninguém quer ficar com ele,pois suas esposas não querem meu pai na casa delas, quero saber se eles também teriam que me ajudar a cuidar de meu pai?E qual são os deveres deles p/ com meu pai?
    desde já agradeço pela atenção.
  2. Viama
    09/04/2009 23:37

    Olá! Eu trouxe meu pai para morar comigo,ele tem problemas mentais, necessita de cuidados especiais, tenho mais duas irmãs,e nenhuma quer me ajudar a cuidar dele,gostaria de saber se elas também teriam que me ajudar? E qual os deveres delas com meu pai ? Ja Agradeço Pela Atenão!
  3. Jaime - Porto Alegre
    09/04/2009 23:47

    Usuário suspenso

    Roseli_1 e Viama,
    Os filhos têm com os pais os mesmos deveres que os pais têm com os filhos. No caso, não tendo o pai recurso para se auto-sustentar, pode pedir pensão aos filhhos. Portanto, mediante prova da necessidade do pai e da possiblidade dos filhos, pode ser ajuizada uma ação de alimentos contra os filhos.
    Um abraço,
    Jaime
  4. Marisa
    10/04/2009 14:45

    Oi Dr. Jaime

    E quando a questão não é financeira? Nem tudo na vida é dinheiro, mas e se envolve o carinho, a necessidade de cuidado?
    Eu acho que cuidado de pais é a mesma coisa que cuidado de filho. Pai em mãe têm obrigações, assim como todos os filhos têm obrigações. Só que não é assim que funciona na prática. Via de regra cuida a mãe dos filhos e o irmão mais mais abnegado dos pais. Enquanto os outros ficam no "dolce far niente". Desculpe o desabafo mas cabe alguma medida legal quanto a isso? Sem por em risco a integridade física da criança ou idoso?
    Abraços
  5. Jaime - Porto Alegre
    10/04/2009 18:53

    Usuário suspenso

    Marisa,
    O afeto, a gratidão, o recohecimetno, a amor, a solidadiredade não se impõe. isso deve emergir do coraçao de cada um,. se o filho for ingrato e não tiver sentimento de amor aos pais, não há como forçá-los, a única coisa a fazer é forçá-los pagar pelo deprezo.
    Um abraço,
    Jaime
  6. Desespero
    18/10/2009 06:14 | editado

    Estou realmente precisando esclarecer algumas dúvidas, mas para isto preciso contar a história: morávamos eu, meu marido e filha na região metropolitana da capital, onde também trabahávamos. Tinhamos uma vida estável, casa própria, ganhando nosso salário, agradável. Meu sogro apareceu com cancer no pescoço, morando a 200 km da nossa cidade. Nove(9) filhos, quatro morando na cidade onde ele morava, uma em cidade vizinha, 3 na região metropolitana e uma em outro estado, os que moravam na mesma cidade dele, nenhum queria mais cuidar dele, é uma pessoa bem difícil. Pois então deslocamos para a cidade do interior, agora pagamos aluguel, e levei 9 meses para ser transferida isto causou uma perda salarial de quase mil reais durante esses meses. Após ser tratado com quimioterapia, ser levado de carro ao tratamento que se dava a mais ou menos 100 km da cidade onde moramos, cuidados com alimentção, um quarto só para ele, com tv, agua quente para banho, todos os melhores cuidados, ele só causa transtornos, minha família já não vive bem, e ele faz o que quer sai e volta a hora que quer, e fala mal do meu marido para todos os outros filhos, estes que não ajudam em nada. Gostaria de saber o que devo fazer? Se ele for embora como nos resguardar de algum processo por "abandono" já que ele adora falar no estatuto do idoso? Ele tem pensão e aposentadoria, ele anda sozinho por toda a cidade, faz o que quer, realmente tem os filhos obriigação de dar casa e comida pra ele?
    Desculpa o dasabafo mas estou sofrendo. Minhas cun hadas flam que ele além de tudo, "observava" elas quando meninas, e até hoje ainda se manifesta para meninas, que maltratava muito, tanto que a maioria dos filhos foram para longe.
    O que devo fazer, quero ajudar meu marido e meus cunhados. Ninguém mais suporta olhar para o homem.
    Obrigada.
  7. Jaime - Porto Alegre
    18/10/2009 12:02

    Usuário suspenso

    Desespero,
    Se ele tem pensão e aposentadoria, não é um desamparado, portanto, os filhos não podem dar mais do que tem em nome do dever de filho. Não vejo como caracterizar abandono sendo ele uma pessoa lúcida e com meios de sobrevivência.
    Um abraço,
    Jaime
  8. Gy
    11/12/2009 11:10

    Olá, gostaria de uma grande ajuda para uma situação que vêm afligindo muito minha família.
    Minha avó tem 90 anos, e há cinco anos ela está de cama, necessitando de cuidados de todos os tipos, trocas de fraldas, remédios com horário super rígidos e controlados, uma alimentação adequada...
    Minha mãe cuida dela aproximadamente a vida toda, e meus tios (3 homens), não ajudam em absolutamente nada. Somente um de meus tios é responsável por levá-la ao médico e comprar seus remédios.
    Quando minha avó caiu de cama, minha mãe trabalhava fora e não tinha ninguém para cuidar da minha avó o tempo todo, então meus tios pediram para que minha mãe deixasse o emprego e ficasse em casa cuidando dela, e se comprometeram a dar uma ajuda financeira, porém após alguns meses todos param com essa ajuda.
    Resumindo, minha mãe adquiriu muitas doenças e agora está enfrentando um quadro de depressão, pois não tem vida própria, só vive para cuidar de minha avó.
    Há uns dois anos atrás conseguimos uma pensão do governo para minha avó de um salário, mas isso não dá nem para suas fraldas.
    Como podemos resolver isso, minha mãe não tem mais condições de saúde para cuidar de minha avó, e meus tios não querem ficar com ela, nem ajudar. O que podemos fazer nessa situação? Estamos desesperados, pois minha mãe está muito doente também.
    A responsabilidade que é dos meus tios está recaindo há muito tempo para mim e meu irmão, e infelizmente não temos condições de pagar uma acompanhante para minha avó...
    Mesmo minha avó recebendo essa pequena ajuda do governo, eles são obrigados a ajudar??
    Me ajude, por favor!
  9. Marta Correia
    25/03/2011 18:47

    Há cerca de 5 anos minha mãe trouxe meus avos maternos para morar conosco.
    Na época minha avó tinha 77 anos e sérios problemas de saúde: pressão alta, colesterol, diabete, chegava a tomar cerca de 40 comprimidos mais insulina durante o dia. Então todos na minha casa (eu, meu irmão e minha mãe) vivíamos em função dela. Já o meu avô tinha 81 anos e possui Mal de Alzheimer.
    Deu para perceber que nossas vidas tiveram uma mudança radical. Que não seria necessário levando em consideração que minha mãe possui mais 11 irmãos, sendo: 03 moradores de Aracaju e 8 (oito) moradores do Rio de Janeiro.
    Que com despesas e trabalhos divididos não ficara pesado para ninguém.
    Tudo muito lindo, família grande, de uma hora para outra assim que minha mãe chegou de vigem todos sumiram, abandonaram.
    Alegavam que não conseguiam tomar conta deles.
    Despesas a parte...
    A única coisa que minha mãe queria era que pegassem eles 1 único final de semana no mês, pelo menos, para que ela pudesse descansar. Mas mesmo assim nada feito.
    Há mais ou menos 2 anos minha avó faleceu e de lá pra cá, mesmo com somente meu avô, que a doença esta se agravando a cada dia, não aparecem, nem ligam.

    Gostaria de ajuda...para saber se podemos entrar na justiça por abandono de incapaz?
    Se tem como a justiça obrigar que eles dividam o tempo nos fins de semana?

    Com o passar do tempo percebo que minha mãe tem ficado cada vez mais exausta. Que mesmo com toda ajuda que dou. Tem hora que ela não agüenta mais...

    Obrigada
    Marta
  10. Jaime - Porto Alegre
    25/03/2011 20:14

    Usuário suspenso

    Marta Correia,
    Cada dia torna-se mais visível o desamor dos filhos aos pais. Esquecem a dedicação, as noites mal dormidas, trabalho árduo dos pais para buscar o sustento e o bem estar dos filhos. Os pais fazem isso naturalmente e por amor. A única recompensa que esperam é ver o filho crescer e ser feliz.
    Porém, a relação entre pais e filhos está se tornando um via de mão única. Os filhos crescem alçam vôo e esquecem o pais. O que é mais lamentável é que esse abandono se dá no momento em que os pais mais precisam dos filhos, pois as energias foram consumidas para dar suporte ao crescimento de sua prole.
    O art. 98 do estatuto do idoso prevê punição pelo abandono, assim discorrendo: "Abandonar o idoso em hospitais, casas de saúde, entidades de longa permanência, ou congêneres, ou não prover suas necessidades básicas, quando obrigado por lei ou mandado"
    Pena – detenção de 6 (seis) meses a 3 (três) anos e multa.
    Veja a lei de proteção ao idoso existe e pode ser aplicada nesse caso. Sei o quanto é oneroso manter um idoso doente. Ao elevado dispêndio com médicos, remédios, alimentação e outras necessidades indispensáveis, acresce a indispensável presença física dos parentes junto ao idoso, que além de dificultar que o parente exerça com tranquilidade uma atividade remunerada, traz-lhe um desgaste físico e emocional muito grandes.
    O Carinho e o amor não se compra, porém o conforto se adquire com dinheiro. Assim, tendo a sua mãe todos esses encargos, justo é que busque nos outros irmãos o auxílio indispensável para minorar o sofrimento do pai, nem que para isso tenha que acionar o Ministério Público, visando responsabilizá-los pelo crime de abandono.
    Por outro lado, é sabido que uma pessoa acometida de Mal de Alzheimer, requer um cuidado especializado permanente e bastante oneroso. Sugiro que além de acionar o MP, promovam uma ação de alimentos contra os outros filhos para que aportem recursos que viabilizarão a contratação de um profissional qualificado para acompanhar o seu avô.
    Um abraço,
    Jaime
  11. Cristiane79
    27/03/2011 16:38 | editado

    É uma pena que exista tantos filhos ingratos!
    minha mãe cuidou da minha vó até Deus a levar com 94 anos, ela cuidava com tanto carinho,não ficava julgando quem tinha mais obrigação de cuidar, hoje vejo na minha rua uma velhinha com 4 filhas e todas querendo distancia da mãe...quem tiver cuidando com amor mais tarde vai ter sua recompensa ao contrário se prepare para pagar dobrado.
    e vocês que cuidam, vão atrás que os filhos dê a pensão, pois é o certo e justo vão mesmo na justiça, pois como os pais são obrigados pagar,na velhice os filho também são...
    minha vó teve sorte com os 4 filhos todos se preocupavam com o melhor para ela,eram 3 homens e só minha mãe de mulher!
    idoso dá trabalho! e o trabalho que eles tiveram, ou criança também não dá trabalho?

    Malditos vagabundos(as)esses infelizes que tem coragem de bater em idoso, é igual bater num bebê... dói na alma ver o que passa na tv.
  12. Cristinamm
    05/07/2011 17:36

    Olá estou precisando muito de uma orientação,

    Minha mãe tem 90 anos e recebe uma pensão que é de um salário mínimo, teve cinco filhos dos quais a mais nova mora com ela, tem 50 anos, é ela que cuida da nossa mãe e não possui renda nenhuma. Elas recebem ajuda todo mês minha e de um irmão (alimentos e dinheiro), quanto aos outros dois, um não ajuda em nada e o outro apenas esporadicamente.
    Por questões financeiras elas perderam a casa delas e agora que precisamos alugar uma casa para elas as despesas vão crescer bastante. Queria saber qual a possibilidade de entrar na justiça e exigir a ajuda dos dois outros irmãos que nada fazem?

    Desde já grata pela atenção.
  13. Jaime - Porto Alegre
    05/07/2011 19:32

    Usuário suspenso

    Cristinamm
    Sua mãe pode entrar na justiça e pedir uma pensão ao filhos. Procure a defensoria pública ou, se puder, um advogado para promover essa ação.
    Um abraço,
    Jaime
  14. ANDREIAMAE
    29/07/2011 23:18

    Olá, fico feliz em ter um espaço como este para poder tirar as duvidas, e entender melhor os assuntos.
    O caso é o seguinte, meu marido tem tres irmão, fruto de um relacionamento dificil, entre idas e vindas, meu sogro foi embora, deixando um filho mais velho de 8 anos meu marido e o mais novo de 9 dias, e nunca mais voltou.
    Nesta trajetória, ela foi morar na rua, perdeu o vinculo com todos os familiares, tanto com os filhos, irmãos. Minha sogra casou -se novamente, e meu marido teve um padrato muito bom, que eles consideram como pai.
    E neste ano, o pai legitimof oi encontrado por uma entidade e trazido de volta na casa da irmã dele, a mesma cuidou por um periodo mas ele sempre saia de volta para as ruas.
    Até que teve um avc e foi parar no hospital, ficando um periodo internado, os filhos foram todos ver o pai, meu marido não o via desde que ele foi embora de casa, e os meus cunhados nem o conheciam, mas foram todos ve-lo no hospital.
    E passado alguns dias ele teve alta, o hospital ligou para a irmã dele, e a mesma deu o telefone do meu marido, eles ligaram pedindo para irmos buscar, e ai iniciou o dilema, pois ele esta acamado, não tem mais nenhuma movimentação de nenhum membro, não fala, usa fraldas, e precisa de cuidados 24 horas.
    O meu marido e seus irmãos não tem nenhum carinho afetivo, e não querem cuidar, tem o desejo de auxiliar quem ficar com ele, mas não querem esta responsabilidade, já que nunca mantiveram nenhum contato com o mesmo.
    A minho sogra não quer nem saber pois lembra de todo o sofrimento que teve com ele, foi muito espancada, e humilhada durante o casamento.
    As irmãs dele dizem não ter condições de cuidar e não foram nem assinar a alta dele, dizem que pela lei os filhos é que tem que cuidar, elas dizem que vão dar apoio, mas não podem assumir nada.
    E já fazem 5 dias que ele esta de alta e ninguem vai lá. A assistente social fica ligando para minha casa, estamos muito confusos.
    O que fazer nesta situação, pois pensamos que perante a lei os filhos tem que cuidar dos pais, já que os mesmos assim fizeram pelos filhos, mas neste caso isto não aconteceu, eles não tiveram nenhum cuidado do pai.

    Se possivel gostaria de receber algum esclarecimento sobre o assunto, para assim poder ajudar da melhor forma.

    Um abraço a todos...Obrigada
  15. HAVASACK
    01/02/2012 21:17

    Olá a todos!

    Tenho um pai idoso ele tem 89 anos, e tá quase a completar os 90, ele anda em casa,
    tá lúcido, mas não tem condições de sobreviver sozinho, as vezes tem diarréia, não consegue chegar ao banheiro.

    Tenho vários irmãos mas no momento só eu e outro mora com ele, o problema é que estou la somente a 1 ano e ta dificil, porque o meu pai é aposentado, mas o meu irmão
    estava sacando o dinheiro dele escondido e fez vários empréstimos, resumindo, uma dívida de uns 15 mil reais e ainda tirou toda a reserva da conta. E todo mês ele vêm tirando e o meu pai não está tendo uma boa alimentação e me preocupo porque se ele
    adoecer vai ter que ir pra fila de hospital público, porque não tenho nem como trabalhar
    direito pois eu faço a comida, e tenho que colocar pra ele, enquanto o meu irmão almoça e janta em restaurante com a pensão do meu pai.

    Tenho em mente procurar a justiça para ser o representante legal e arrumar a conta dele, poder negociar esses emprestimos para que ele tenha crédito novamente e para
    que o dinheiro dele seja usado para ele mesmo com alimentação adequada, contratação de alguém para ajudar a dar banho, cozinhar, remédio e para poupar um pouco em caso de uma necessidade.

    Não sei como posso fazer isso, quem procurar, por favor preciso muita da ajuda de vocês, meu pai sempre trabalhou, com 13 anos de idade sustentava toda a familia dele "mãe e irmãos" teve 5 esposas todas ele deu uma casa, nunca deixou faltar o alimento na mesa e hoje ganha R$ 2.000,00 liguido, sobra só a metande, por que vem descontados os emprestimos feitos no caixa eletronico, acho que foram 18 ao total com valores de mil reais.

    Me ajudemmmmm por favor!!!!!!!!!!!!!!

    Agradeço a todos e que deus abençoes vocês!
  16. Wladimir Jorge
    01/02/2012 22:01

    Bom dia a todos! Conforme o Jaime postou o art. do Estatuto do idoso, estou endossando com o artigo 229 da Constituição Federal: " A Constituição Federal no artigo nº 229 ressalta que os pais têm o dever de assistir, criar e educar os filhos menores e os filhos maiores têm o dever de ajudar a amparar os pais na velhice, carência ou enfermidade. O que muitas pessoas não sabem é que os pais também podem solicitar a pensão de seus filhos.". Quanto aos filhos menosprezarem tudo que nossos pais sofreram e passaram para sermos o que somos, vai dda conciencia de cada um nos dias de hoje, onde a falta de amor, carinho e caráter é o que prevalecem. Não percam tempo. Entrem na justiça com os direitos adquiridos, pois quando receberem uma intimação, isso irá mexer no bolso, e quando isto acontece, muda repentinamente o modo de pensar destes filhos ingratos. Boa sorte a todos. wladimir
  17. Lane 25
    10/02/2012 12:45

    Preciso tirar uma Duvida!!!
    Ja tem alguns meses que Meu Avó de 84 anos sofreu uma queda e quebrou o Fêmur, Fez cirurgia e esta se recuperando na casa de minha mãe, a questao é a seguinte. ele tem 7 filhos incluindo minha mãe, sendo 2 no Rj e o outros salvador. Ele desde a queda esta na casa de minha mae e os outros filhos não ligam, não vizitam, não auxiliam de maneira alguma, nem com carinho e dedicação nem financeiramente. Meu avo recebe Um salario mínimo que se torna pouco para custear as despesas, minha mae tem 54 anos e tb recebe um salario minimo do qual ela ajuda a cobrir as despesas com remedio. Minha mãe tem problema de coluna o qual o medico ja falou q ela nao pode de forma alguma pegar peso, forçar tem que ter repouso. Agora como? ela esta cuidando de meu avo, ja perdeu uns 10 kilos devido o desgaste fisico e tb emocional.
    Eu gostaria de saber o que fazer para q os outros filhos venham colaborar de alguma forma. POis nao temos condiçoes de pagar uma cuidadora e minha mãe nao tem como cuidar só, eu tb ajudo o maximo q posso a minha cuidar de meu avo, mas e os filhos???!!!! è muita falta de Amor.
    A que orgão posso recorrer para que eles venham ser acionados para ajudarem a cuidar do proprio pai?.
    aguardooo anciosamente uma resposta
    Obrigada!!!!!
  18. Vó Elza
    10/02/2012 22:58

    minha mãe tem 86 anos, esta começando a ficar senil, ouve vozes e esta com péssima audição. Ficou viúva a menos de um ano e insiste em morar sozinha em São Paulo, em uma casa terrea que não oferece a menor segurança, com escadas e porta que abre para a rua. Os 3 filhos moram em outras cidades, mas ela insiste em morar sózinha. É geniosa, autoritária e orgulhosa. Não queremos magoa-la e obriga-la a fazer alguma coisa que a torne infeliz, visto que ja teve uma vida muito dificil. tem uma situação finaceira razoavel que lhe permite viver com dignidade. A pergunta é: O que os filhos precisam fazer juridicamente para que ela fique segura e aceite auxilio. Caso aconteça qualquer eventualidade, como podemos usar o estatuto do idoso em beneficio dela mesma?.
  19. Docanjo
    17/04/2012 18:30

    Minha sogra tem 77 anos e desde 15/03/2011 mora conosco, pois após uma discussão sua filha a colocou para fora de casa e desde então ela mora conosco. Meu marido é seu filho mais velho. Ele tem mais um irmão que é mudo e surdo. Em outubro 2011 ela sofreu um AVC isquêmico, ficou internada e eu e meu marido nos revesamos no hospital para acompanha-la devido a idade e ao quadro de saúde dela. Ela possui duas pensões, uma do pai que era bombeiro e uma do marido falecido, mas não tem nenhuma condição de morar só, pois toma vários remédios, seu lado direito ficou comprometido, tem incontinência urinária e anal. Como meu marido se tornará responsável por ela, no caso da filha dela, por ganância do dinheiro querer tomar conta dela? Meu marido sabe que se ela sair da nossa responsabilidade não será tratada de uma maneira correta, O que fazer neste caso?
  20. celo2
    31/08/2012 08:41 | editado

    Meu pai tem mais de 80 anos, ele tem 5 filhos maiores, sendo que 1 mora com ele e minha mãe que esta em casa se recuperando de um AVC que teve a pouco mais de um ano e meio, o outro mora próximo, os outros 3 moram na mesma cidade. Ele esteve hospitalizado com infarto e ficou 13 dias no hospital com direito a acompanhante. Acontece que dos 05 filhos, somente 03 o acompanhou no hospital, fazendo uma escala de revezamento. O motivo alegado pelos outros 02 foi o seguinte: 01 estava com atestado médico devido uma torção no pé, porém este, foi visitá-lo 2 ou 3 vezes andando normalmente, o outro foi visitar um filho que passou a morar numa outra cidade um pouco distante, e lá ficou quase todo o período de internação dele, e não se prontificou em ajudar em nada. Gostaria de saber se justifica o motivo dos dois por não acompanhá-lo? e qual a obrigação de cada um como filho? (eu sou um dos que o acompanhou).

Participe do Fórum

Entre com seu cadastro do Jus Navigandi:

Esqueceu sua senha?

Não tem Facebook e quer participar do Fórum?

Faça perguntas, responda dúvidas e discuta assuntos jurídicos. É fácil e grátis!

JUS NAVIGANDI NAS REDES SOCIAIS