Suzana L. Alves

Suzana L. Alves

Perguntas, Respostas e Comentários de Suzana L. Alves

  • respondeu em Pensão alimentícia: Até que idade posso receber?

    Domingo, 21 de dezembro de 2014, 13h53min

    Thais,

    Os pais têm o dever de auxiliar o sustento dos filhos até a graduação do curso de ensino superior (veja, pós graduação não vale, tá?).
    O dever dele pagar pensão vai até você terminar a sua faculdade de ciências contábeis. Se ele parar de pagar você pode ingressar prontamente na justiça para pedir a pensão.
    Depois disso, acaba a obrigação dele.

  • respondeu em PESSOA IDOSA -CAPACIDADE LEGAL PARA VENDA DE IMOVEL

    Domingo, 21 de dezembro de 2014, 13h46min Direito Civil

    Cezar,

    Se vocês fizeram o inventário significa que os bens que existiam em nome da sua mãe já foram divididos. Sendo assim, essa casa onde você mora ficou em nome de quem?

    Se ela está em seu nome, apenas seu, eles não podem fazer nada sobre o bem.
    Se a casa está em seu nome e dos demais herdeiros (sua irmã e pai), vocês precisam entrar em um acordo sobre o uso do bem. Pense bem: os outros coproprietarios também tem direito de usufruir do bem, assim como vc!!
    Por exemplo, você pode se comprometer a arcar com todas as despesas do bem em troca de ficar nele.
    Agora, se a casa não está em seu nome, sugiro que procure um advogado.

  • respondeu em PESSOA IDOSA -CAPACIDADE LEGAL PARA VENDA DE IMOVEL

    Domingo, 21 de dezembro de 2014, 13h46min Direito Civil

    Cezar,

    Se vocês fizeram o inventário significa que os bens que existiam em nome da sua mãe já foram divididos. Sendo assim, essa casa onde você mora ficou em nome de quem?

    Se ela está em seu nome, apenas seu, eles não podem fazer nada sobre o bem.
    Se a casa está em seu nome e dos demais herdeiros (sua irmã e pai), vocês precisam entrar em um acordo sobre o uso do bem. Pense bem: os outros coproprietarios também tem direito de usufruir do bem, assim como vc!!
    Por exemplo, você pode se comprometer a arcar com todas as despesas do bem em troca de ficar nele.
    Agora, se a casa não está em seu nome, sugiro que procure um advogado.

  • atualizou uma resposta em Se uma mulher agredir o esposo e ele revidar em legitima defesa?

    Sábado, 06 de dezembro de 2014, 11h37min Direito de Família

    Eu me divirto.

    As pessoas gostam muito de generalizar e pregar discurso de ódio. É fácil e nem precisa raciocinar.

    Se é mulher, costuma defender a Lei Maria da Penha. Se é homem, muitas vezes critica veementemente a lei.

    Independente de ser homem ou mulher, e defender o próprio umbigo, é impossível que vocês contrários à lei não saibam os dramáticos números da violência contra a mulher no Brasil. Talvez vivam em um grupo muito evoluído e privilegiado, e se for assim, que bom para a sociedade.

    Mas pesquisem antes de falar merda, a realidade é cruel. Vc tem mãe? Ama sua mãe pelo menos? E se fosse ela, agredida por seu pai? Espancada até a morte? Ou ficado paralítica por conta das agressões (caso real, viu??).

    Se você responder que é normal, então meu amigo, eu não tenho mais nada para falar com você. E vou torcer para que as autoridades o peguem, quando for o agressor.

    E por tudo isso, foi necessária esta lei. Tomara que não o seja em breve, que consigamos virar esta página, mudar a sociedade.

    Voltando à discussão, obviamente, legítima defesa e espancamento são coisas diferentes.

    Vai ver que o NÃO advogado acima, indignado com a "burrice" dos advogados, não saiba, né? Mas pra gente estúpida nem vale perder tempo pra explicar.

    Pois em regra, uma pessoa de bom senso conhece a diferença entre revidar uma agressão e defender-se.

    Revidar é agredir de volta (continuar a agressão).

    Defender-se, como diz o código penal sobre legítima defesa é repelir injusta agressão usando MODERADAMENTE dos meios necessários para isso.
    Para se valer da legítima defesa a pessoa deve repelir a agressão (afastar a agressão). Se alguém chuta vc e vc revida dando um tiro na cabeça isso não é legítima defesa, pois você não usou moderadamente os meios necessários.

    Para quem está incomodado com o nível dos advogados, se é tão bom assim junte-se à carreira, se forme, tire a OAB (aí eu quero ver o bicho pegar). Mas principalmente, leia a jurisprudência (decisão dos tribunais) sobre o assunto.

    Aí vai parar de falar porcaria e entender as diferenças que inclusive nos esportes fazem com quem haja disputas separadas por gênero. Ah, não sabia???

    Sabe de nada, inocente.

    O que mais dá medo são os burros motivados: preguiçosos, não procuram conhecer a fundo nenhum assunto, não entendem sobre nada, mas adoram vomitar sua opinião infundada sobre os mais variados temas.

    Livrai-nos desse mal...

  • atualizou uma resposta em Se uma mulher agredir o esposo e ele revidar em legitima defesa?

    Sábado, 06 de dezembro de 2014, 11h37min Direito de Família

    Eu me divirto.

    As pessoas gostam muito de generalizar e pregar discurso de ódio. É fácil e nem precisa raciocinar.

    Se é mulher, costuma defender a Lei Maria da Penha. Se é homem, muitas vezes critica veementemente a lei.

    Independente de ser homem ou mulher, e defender o próprio umbigo, é impossível que vocês contrários à lei não saibam os dramáticos números da violência contra a mulher no Brasil. Talvez vivam em um grupo muito evoluído e privilegiado, e se for assim, que bom para a sociedade.

    Mas pesquisem antes de falar merda, a realidade é cruel. Vc tem mãe? Ama sua mãe pelo menos? E se fosse ela, agredida por seu pai? Espancada até a morte? Ou ficado paralítica por conta das agressões (caso real, viu??).

    Se você responder que é normal, então meu amigo, eu não tenho mais nada para falar com você. E vou torcer para que as autoridades o peguem, quando for o agressor.

    E por tudo isso, foi necessária esta lei. Tomara que não o seja em breve, que consigamos virar esta página, mudar a sociedade.

    Voltando à discussão, obviamente, legítima defesa e espancamento são coisas diferentes.

    Vai ver que o NÃO advogado acima, indignado com a "burrice" dos advogados, não saiba, né? Mas pra gente estúpida nem vale perder tempo pra explicar.

    Pois em regra, uma pessoa de bom senso conhece a diferença entre revidar uma agressão e defender-se.

    Revidar é agredir de volta (continuar a agressão).

    Defender-se, como diz o código penal sobre legítima defesa é repelir injusta agressão usando MODERADAMENTE dos meios necessários para isso.
    Para se valer da legítima defesa a pessoa deve repelir a agressão (afastar a agressão). Se alguém chuta vc e vc revida dando um tiro na cabeça isso não é legítima defesa, pois você não usou moderadamente os meios necessários.

    Para quem está incomodado com o nível dos advogados, se é tão bom assim junte-se à carreira, se forme, tire a OAB (aí eu quero ver o bicho pegar). Mas principalmente, leia a jurisprudência (decisão dos tribunais) sobre o assunto.

    Aí vai parar de falar porcaria e entender as diferenças que inclusive nos esportes fazem com quem haja disputas separadas por gênero. Ah, não sabia???

    Sabe de nada, inocente.

    O que mais dá medo são os burros motivados: preguiçosos, não procuram conhecer a fundo nenhum assunto, não entendem sobre nada, mas adoram vomitar sua opinião infundada sobre os mais variados temas.

    Livrai-nos desse mal...

  • atualizou uma resposta em cabe danos morais contra embargos de declaração?

    Sábado, 29 de novembro de 2014, 14h49min

    Esta licença sua era remunerada pela empresa? (ex.a licença maternidade é remunerada pela própria empresa).
    Pergunto porque se vc estava recebendo da empresa algum valor durante a licença vc precisava ter comunicado à sua empresa a questão de suspender os pagamentos à financeira. Isso porque este tipo de desconto é autorizado pelo próprio funcionario e a empresa não para de efetuá-lo sem outra manifestação, entende?

    mas vislumbro possibilidade de você restituir sim este dois valores, mas não dá falar mais sem olhar os documentos.
    Sugiro que você procure um advogado, pois como vc viu não houve mais respostas, porque é preciso analisar as peculiaridades no seu caso.
    Se você nao tiver como pagar por um advogado procure a defensoria pública.

  • atualizou uma resposta em cabe danos morais contra embargos de declaração?

    Sábado, 29 de novembro de 2014, 14h49min

    Esta licença sua era remunerada pela empresa? (ex.a licença maternidade é remunerada pela própria empresa).
    Pergunto porque se vc estava recebendo da empresa algum valor durante a licença vc precisava ter comunicado à sua empresa a questão de suspender os pagamentos à financeira. Isso porque este tipo de desconto é autorizado pelo próprio funcionario e a empresa não para de efetuá-lo sem outra manifestação, entende?

    mas vislumbro possibilidade de você restituir sim este dois valores, mas não dá falar mais sem olhar os documentos.
    Sugiro que você procure um advogado, pois como vc viu não houve mais respostas, porque é preciso analisar as peculiaridades no seu caso.
    Se você nao tiver como pagar por um advogado procure a defensoria pública.

  • respondeu em Meu ex companheiro, falecido, exercia cargo de função pública, o Ipseng se nega pagar pensão, o que fazer?

    Quinta, 27 de novembro de 2014, 19h32min Direito Civil

    Andrea,

    Sugiro que você procure a defensoria publica, pois é necessário analisar os documentos dele como servidor, e lá na defensoria você não terá custo nenhum.
    e esses pedidos de pensão para companheira normalmente só são atendidos mediante ação, não se consegue via administrativa, porque o INSS indefere mesmo.

Precisa de Advogado?

Precisa de
Advogado?