José Roberto Carneiro Alves

José Roberto Carneiro Alves

Perguntas, Respostas e Comentários de José Roberto Carneiro Alves

  • comentou em O sistema constitucional de segurança pública:

    Quarta, 07 de outubro de 2015, 11h02min

    Sistema bom? Excelentíssimo senhor delegado, não sei em que país vossa excelência vive. Eu vivo no Brasil. Aqui nosso arcaico sistema de segurança pública é um modelo falido. A polícia ostensiva é força auxiliar do exército, o que é uma verdadeira excrescência. O delegado de polícia preside uma peça inquisitorial (vem de inquisição), dispensável, e que só responde, aproximadamente, pela elucidação de 3% dos crimes no Brasil. Esse nosso falido modelo de repartição de incompetência, só existe, segundo a Wikipédia, em Cabo Verde e Guiné Bissau. Por que será? Os países de primeiro mundo adotam ou o modelo de ciclo completo ou o modelo de ciclo único. Vossa Excelência sabe a diferença entre esses dois sem recorrer ao google? Portanto, meu amigo, antes de sair por aí escrevendo pseudoartigos jurídicos carreados de um questionável partidarismo-corporativismo pernicioso, informe-se mais e traga dados palpáveis. Vossa excelência sabia que mais de 70% dos processos penais em andamento são frutos de flagrantes feitos pela polícia ostensiva? Vossa excelência sabe, tenho certeza que sabe, que boa parte dos procedimentos que levamos às delegacias, como violência doméstica e familiar contra a mulher, crimes contra a honra, não são levados adiante porque, nas delegacias, as vítimas são desencorajadas a representar? Não quero dizer com isso que a polícia preventiva não tem suas mazelas, tem sim. Mas nós, os gambés, os homens de bota, somos os que realmente arregaçamos as mangas e vamos pro fronte. Não sou favorável ao ciclo completo, mas ao ciclo único. Estude sobre isso. Ciclo completo, sem estrutura, tal qual como estamos hoje, refiro-me a praticamente quase todas as polícias no Brasil, sem papel, impressora, prédios próprios, efetivo, viaturas, só traria mais transtornos à população. Uma coisa é fato: não tem como ficar como está. Algo precisa ser feito urgentemente. Ninguém, a não ser os delegados, está satisfeito. Devemos parar de pensar em nosso próprio umbigo, na biga por poder, para pensar mais na população. Sou oficial da PM, mas não me importaria, num modelo de ciclo único, voltar a ser soldado ou ser investigador, desde que a mudança fosse positiva para a sociedade, verdadeira sofredora no meio de tudo isso....

Precisa de Advogado?

Precisa de
Advogado?