CONSIDERAÇÕES FINAIS

O presente trabalho teve como objetivo realizar um estudo aprofundado a respeito da Constelação Familiar aplicada ao Direito de Família brasileiro, apresentando aspectos necessários para utilização do método na respectiva seara.

 Demonstrou-se, na referida pesquisa, que o Direito Sistêmico vem sendo cada vez mais utilizado nos tribunais pátrios para o deslinde de diversas demandas. O real embate se consigna na verdadeira eficácia desta técnica, que foi criada pelo psicoterapeuta alemão Bert Hellinger, enquanto este estudava o comportamento humano em uma tribo de zulus na África do Sul.

 No primeiro capítulo é possível observar a conceituação da Constelação Familiar, como ela surgiu, e, também, como foi aplicada no mundo. Posteriormente, percebe-se a elucidação do método no Brasil, declinando-o ao âmbito jurídico.

 Após, perfaz a temática sobre a figura do constelador no Direito Sistêmico em conjunto à mediação e à conciliação, técnicas estas efetivas para resolução de conflitos, altamente utilizadas atualmente, mas que estão em constante evolução, como se revela na conjunção contemporânea vigente.

 Outrossim, também é exposta a função do conciliador e mediador no Direito Sistêmico, aqueles que, no tema em questão, se utilizam das técnicas próprias da Constelação Familiar, para atender o judiciário brasileiro que, infelizmente, ainda não está completamente capacitado para tal.

 Ao cabo, fora elencado um estudo comparativo das técnicas e suas eficácias, onde foi incitada a questão a respeito da efetividade da Constelação Familiar às lides da respectiva natureza, observando que a resposta se detém como positiva, apesar da burocracia brasileira, mais evidentemente no judiciário, sendo o método como uma grande esperança para a concretização de uma realidade aquém distante, porém extremamente desejada à definitiva solução dos litígios.


 REFERÊNCIAS

ANDREOLA, Neolisa. Revista Circuito Mato Grosso. Constelação familiar é utilizada como mediação no Judiciário de MT. Disponível em: <circuitomt.com.br/editorias/cidades/72834-constelacao-familiar-e-utilizada-como-mediacao-no-judiciario-de-m.html> Acesso em: 20 nov. 2016.

ARAÚJO, Elizângela. Agência CNJ de Notícias. TJGO é premiado por mediação baseada na técnica de constelação familiar. Disponível em: <www.ibdfam.org.br/noticias/na- midia/10055/TJGO+%C3%A9+premiado+por+media%C3%A7%C3%A3o+baseada+na+t%C3%A9cnica+de+constela%C3%A7%C3%A3o+familiar>. Acesso em: 26 nov. 2016. 

BACO, Marc. As Facetas das Constelações Familiares 1. Babelcube, 2016. 

BANDEIRA, Regina. Conselho Nacional de Justiça: Juiz Consegue 100% de Acordos Usando Técnica Alemã Antes das Sessões de Conciliação.Disponível em: < www.cnj.jus.br/noticias/cnj/62242-juiz-consegue-100-de-acordos-usando-tecnica-alema-antes-das-sessoes-de-conciliacao>. Acesso em: 10 nov. 2016.

BRASIL. Lei nº 13.140, de 26 de junho de 2015. Dispõe sobre a mediação entre particulares como meio de solução de controvérsias e sobre a autocomposição de conflitos no âmbito da administração pública.  

CAMASMIE, Ana Tereza; VERDE, Celma Nunes Villa. Constelação Familiar. Considerações sobre os representantes na constelação familiar. Disponível em: <www.constelacaofamiliar.com.br/index.php/artigos/162-consideracoes-sobre-os-representantes-na-constelacao-familiar>. Acesso em: 25 nov. 2016. 

CAVALCANTE, Nelsom. Constelações de Vidas XTHOLY – Respeito ao Sagrado. O Conceito XTHOLY | Constelação e Vida quântica com o conceito sagrado XTHOLY. Disponível em: <constelarbrasilia.com.br/2016/10/21/o-conceito-xtholy/> Acesso em: 19 nov. 2016.

CAVALCANTE, Nelsom. Constelações de Vidas XTHOLY – Respeito ao Sagrado. O Facilitador XTHOLY. Disponível em: <www.constelarbrasilia.com.br/o-constelador/> Acesso em: 18 nov. 2016.

Circuito Mato Grosso Panorama. Disponível em: <www.circuitomt.com.br/flip/550/files/assets/basic-html/page9.html> Acesso em: 09 nov. 2016;

Conselho Nacional de Justiça. Manual de Mediação Judicial. <www.cnj.jus.br/files/conteudo/arquivo/2016/07/f247f5ce60df2774c59d6e2dddbfec54.pdf> Acesso em: 11 nov. 2016.

GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito Civil brasileiro. São Paulo, Saraiva, 2015.

GUEDES, Olinda. Para Ser um Constelador. Disponível em: <www.consteladoressistemicos.com/publicacoes/436-para-ser-um-constelador-olinda-guedes> Acesso em: 11 nov. 2016.

HELLINGER, Bert; HÖVEL, Ten Gabriele. Constelações Familiares: O Reconhecimento das Ordens do Amor. São Paulo, Cultrix, 2007.

HELLINGER, Bert; SCHNEIDER, Jakob Robert. A Prática das Constelações Familiares. Patos de Minas, Atman, 2007.

SIGNORINI, Catharina. Jornal do Comércio. Técnica psicoterapêutica de solução de conflitos ganha espaço no Judiciário. Disponível em:  

<www.jcrs.uol.com.br/_conteudo/2016/03/cadernos/jornal_da_lei/489426-tecnica-psicoterapeutica-de-solucao-de-conflitos-ganha-espaco-no-judiciario.html>. Acesso em: 25 nov. 2016.

STORCH, Sami. Direito Sistêmico. Disponível em: <www.direitosistemico.wordpress.com/2016/06/07/direito-sistemico-humaniza-o-tj-de-mato-grosso/>. Acesso em: 10 nov. 2016.


Notas

[1] Revista Circuito Mato Grosso Panorama – “Constelação Familiar utilizada como mediação no Judiciário” – Publicado em: 20/08/2016.

[2] Publicação: “Juiz consegue 100% de acordos usando técnica alemã antes das sessões de conciliação” – CNJ – 17/11/2014



Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pela autora. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0