Comentários

Joaquim Barbosa e a marcha da sensatez.

Negativa da prisão imediata dos mensaleiros

Joaquim Barbosa e a marcha da sensatez. Negativa da prisão imediata dos mensaleiros

Nesta semana, no Brasil, vimos um exemplo estrondoso de insensatez, do ponto de vista jurídico, que foi o pedido do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, de prisão imediata dos réus mensaleiros.

Publicado em . Elaborado em .


Comentários

8

  • 0

    Francisco Silverio Almeida

    PARABÉNS, MESTRE ! A CITAÇÃO DESSAS DUAS FIGURAS IMPOLUTAS DO STF, MINISTROS CELSO DE MELLO E JOAQUIM BARBOSA, DÃO-ME SEGURANÇA DA VOSSA HONRADÊZ E CARÁTER.!!!

  • 0

    Natan Jorge De Melo Júnior Jorge

    O texto foi bastante interessante sobre a negativa das prisões referentes aos mensaleiros condenados pela Suprema Corte ( STF), pedido feito Procurador Geral da República, ao meu entender, seria uma medida cautelar, ou seja, uma preventiva afim de garantir que os condenados se ausentasse do país sem autorização do STF, medida essa que não se justificaria diante do Estado Democrátic direo de Direito ( Princípio do Direito Fundamental). Portanto, agiu com muita prudência o presidente da Suprema Corte ao negar o pedido do PGR.

  • 0

    ubiratã sena nunes

    Na minha esquálida e diminuta visão jurídica assisti maravilhado ao comportamento integro, plural e cristalino da nossa mais alta corte, desnudando através de seus pronunciamentos posições de fácil entendimento e aos processos hermenêuticos à que estão dispostos. Evidente que o digníssimo procurador cumpriu o seu papel,contudo busco o princípio da adequação entre a gana midiática em criar notícias com apelo popular, com a devida punição dos crimes e o comportamento político dos mais altos funcionários de nossas instituições.

  • 0

    Pericles Batista da Silva

    Penso que na vigente ordem jurídica não há como prendê-los antes do trânsito em julgado das sentenças, em que pese a insatisfação popular. A questão que reputo inaceitável é a demora nos atos posteriores à decisão, como por exemplo o prazo mínimo para publicação dos julgados e para julgamento de eventuais (rectius: dos muito prováveis) recursos que se seguirão. Mas o respeito ao Estado Democrático de Direito sem impõe, como bem lembrado pelo professor.

  • 0

    patricio angelo costa

    Professor, tiramos o chapéu para a atitude do Ministro porque ele por certo soube escolher o melhor caminho neste momento, todavia, estamos ansiosos para ver a efetiva condenação a qual o STF os impôs ser realmente implementada, ou seja, o fiel cumprimento das respectivas prisões desses crápulas. Não seria compreensível nem admissível que essas pessoas fossem agora isentadas do cumprimento das respectivas penas, em função dos recursos que certamente serão agora implementados por seus advogados. O povo não entenderia caso isso viesse a ocorrer, tal a indignação por toda essa situação, considerando ainda a grande demora entre o acontecimento desses fatos e o efetivo julgamento. E os valores surrupiados dos cofres públicos não serão repostos? por que ninguém fala?

Voltar para o texto: Joaquim Barbosa e a marcha da sensatez.