Comentários

Homossexualidade, homoafetividade e homofobia em face dos direitos humanos fundamentais

Homossexualidade, homoafetividade e homofobia em face dos direitos humanos fundamentais

Homossexualismo não é hereditário, não tem causa hormonal, e pode ser tratado, caso a pessoa queira e os resultados da reversão do estado homossexual tem efeito permanente.

Publicado em . Elaborado em .


Comentários

21

  • 0

    João Otávio Terceiro Neto Bernardo de Albuquerque

    Amigo, não fale "homossexualismo", pois o sufixo "ismo", do grego, denota ideologia, e nós não vemos homossexuais querendo converter pessoas por aí, vemos? Portanto, use "homossexualidade", já que "dade", também do grego, dá ideia de estado ou qualidade. Se se aventurar a escrever outro artigo fora da sua área de conhecimento, procure, pelo menos, utilizar a nomenclatura correta (se é que isso pode ser considerado termo técnico; para mim, é lição básica de Língua Portuguesa). Mais uma dica: tente consultar publicações (da área médica) "um pouco" mais recentes, não da década de 90, pois as obras citadas aqui estão desatualizadas e dissonantes do pensamento médico hodierno.

  • 0

    Umberto Peluso

    Um artigo interessante, contudo muito polêmico. Agora, da mesma forma que entendi o autor falar do exagero e "radicalismo" dos homosexuais, também percebi em suas palavras esse "radicalismo. Creio que deveríamos respeitar a todos, independente de querem ou não desejarem "um tratamento", apesar de concordar não ser uma doença.

Voltar para o texto: Homossexualidade, homoafetividade e homofobia em face dos direitos humanos fundamentais