Comentários

Que família?

Que família?

O que se vê no Dia Nacional de Valorização da Família são comemorações promovidas por igrejas evangélicas afrontando até a Constituição, que reconhece como entidade familiar, merecedora da especial proteção do Estado, não só o casamento como também a união estável e a família monoparental.

Publicado em . Elaborado em .


Comentários

9

  • 0

    Carlos de Oliveira

    Temos uma relação complexa entre o Direito e as instituições ortodoxas de cunho religioso. Apesar do confronto ideológico, constatamos avanços na conquista de direitos pelas famílias que não se enquadram no perfil exclusivista de cunho heterosexual. O avanço é lento, mas gradualmente podemos vislumbrar uma sociedade brasileira que privilegie o amor e o cuidado com o outro nas relações familiares de todas as espécies.

  • 0

    Luiz Gonzaga Vieira

    Belo texto, fiquei feliz com as afirmações da autora sobre as várias modalidades de famílias que o Estado tem o dever de protegê-las.

  • 0

    João Vilhena

    Além dos evangélicos existem outras agremiações religiosas com posturas assemelhadas as identificadas pela autora do artigo. Seria de interesse geral, por exemplo, saber o que pensa aTFP (entidade conservadora de orientação católica) a respeito das mesmas questões.

  • 0

    Genuíno alves de Farias


    Então que dizer que não podemos te opinião contraria as do homossexuais?.
    Defendemos sim a família tradicional,não concordamos com esse modelo de "família" moderna que querem nos empurrar.Discordar é um direito de todos.

  • 0

    João Bremm

    Então existe um conceito a priori das causas da felicidade? Há uma fórmula da felicidade? Deverias escrever isso em um livro e assim ganhar muito dinheiro, e com esse dinheiro poderia realizar caridade, agradando a deus.
    Felicidade é algo puro e duradouro? Não, o nome disso é diamante. Felicidade é contingente, transitória, é um estado de espírito. Ninguém é feliz o tempo inteiro, apenas os idiotas. A angústia é inerente ao ser humano, e tentar negá-la escondendo-se atrás da metafísica (conceitos a-históricos e universais) é de uma covardia infantil, que com medo do bicho-papão vai para debaixo das cobertas.
    Modismo? Pois então são mais de 2 mil anos de modismo, visto que na Grécia antiga a homossexualidade era praticada já com muito mais liberdade do que hoje é. Sugiro maiores estudos. Ponha os estudos em seus coração que você saberá discernir o falso do verdadeiro, ou ao menos errará menos.

  • 0

    patricio angelo costa

    No momento em que alguém ataca alguém, esse alguém está sendo egoísta e menosprezando os direitos de seu semelhante, como criatura humana. A função da família social no mundo é importante, isso ninguém pode negar, pois ela é condição "sine qua non" para obter-se a tão almejada felicidade. Felicidade é algo eterno, não pode ela depender de nenhum modismo ou a comportamentalismo desse ou daquele grupo social, porque daí ela seria passageira. Percebe-se, claramente, que felicidade é algo próprio somente dos seres humanos que adotam como filosofia de vida comportamento conforme à moral. Quem não tem moral alicerçada nos pilares da sociedade decentemente constituída, não pode dizer que é feliz no sentido lato da palavra, porque ele estaria se enganando com algo que não é concreto e duradouro. Estamos rodeados de pessoas enganosas que não tem nenhuma condição moral para ditar regras comportamental. A nossa herança comportamental herdamos de nossa família ao longo dos anos (não tem como ser diferente). Portanto, amigos, tendência comportamental baseada em modismo não é e nunca foi sinônimo de felicidade, não embarquem nessa canoa furada, porque logo logo você irá afundar. Felicidade é algo muito mais puro e duradouro. Ponha Deus no seu coração que você saberá discernir o falso do verdadeiro, com certeza.

  • 0

    joel

    como se diz, os grupos gay sempre querendo ser os donos da verdade. Eles podem criticar, mas, não querem e não podem ser criticados. Acusar as Igrejas, em fim todas as religiões, de ferir a constituição é um exemplo claro de cristofobia. Quem quiser pode ser gay, mas não sou obrigado a concordar com essa opção sexual. Pois DEUS criou as coisas perfeita mas o homem tenta desvirtuar. Isso eu posso ter o direito de manifestar-me porque o direito, advém dos valores religioso e cultural e social. E os ativista gay sempre ganhando muito dinheiros com a polemica.

Voltar para o texto: Que família?