Comentários

Ilegalidade da expulsão ou transferência compulsória de estudante

Ilegalidade da expulsão ou transferência compulsória de estudante

O presente artigo trata da ilegalidade das medidas disciplinares de expulsão ou de transferência compulsória de estudante

Publicado em . Elaborado em .


Comentários

17

  • 0

    Carol Vilas Boas

    Luciano, Boa noite, eu tenho 17 anos, sempre fui uma aluna disciplinada e com notas excelentes, contudo em uma feira Cultural do Colégio uns amigos levaram uma garrafa de vodka e eu bebi dela, logo em seguida a diretora que também é a dona da escola descobriu, pq eu n estava muito bem, e falou que ia me dar transferência compulsória , com isso acabei discutindo com ela no momento porque achei injusto, aí ela marcou amanhã uma reunião com minha mãe e uma colega minha para resolver tudo isso. No entanto ela falou que se estiver dentro da lei e puder dar a transferência, ela vai. Queria saber se ela pode dar essa transferência compulsória ou expulsão?

  • 0

    Alexandrino Saraiva

    Certo ..e quando ele é maior de idade?..Imagine o caos? Misturado a alunos menores? Se ele disseminar "ideias" não seria iminente o crime de corrupção de menores? Eis a questão...

  • 0

    Israel Coelho

    o diretor me transferiu pra ouutra escola ele disse que eu peguei na bunda de uma menina sendo que eh mentira e a propia menina falou que e mentira

  • 0

    Léa

    Digo ainda que, alunos com deficiência física ou problemas de aprendizagem recebem todo um suporte enquanto os que tem problemas de comportamento só recebem punições e são esculachados, sempre reduzidos até ficarem desacreditados de si mesmos. O psicólogo diz que meu filho não tem nada, fiz um pedido de socorro à psicopedagoga da rede municipal, rede a qual a escola pertence, para avaliar o meu filho, me orientar e orientar a escola também, mas antes que ela me desse o retorno recebi o comunicado de transferência compulsória. A escola poderia ter solicitado o acompanhamento antes da coisa chegar a esse ponto, mas não o fez, e não fez porque não quis, por se achar auto suficiente e detentora de todos os saberes, não fez por arrogância e falta de humanidade. Meu filho vai continuar sendo acompanhado pela psicopedagoga na escola onde está agora, mas já chega marcado, ferido e ao menor ato de indisciplina uma nova expulsão. E eu sigo esmagada, me sentindo a pior das mães desse palneta.

  • 0

    Léa

    Excelente artigo. Tenho sofrido nos últimos anos uma via crucis com meu filho por algumas escolas, cuido dele sozinha desde que me separei, quando ele tinha 3 anos de idade, hoje tem 11. A escola comete erros de julgamento sim, não é onipresente e toma as decisões como se estivesse lá quando tudo começou. Meu filho um relatório de ocorrências como se fosse uma ficha criminal, foi rejeitado pel escola estadual mais próxima de casa e foi aceito como ouvinte numa outra escola da rede municipal, depois de uma avaliação será decidido se será efetuada ou não a sua matrícula. Numa das ocorrências em que me dirigi ``a escola, meu filho agrediu um colega porque este perguntou pra quantos ele tinha pago "boquete"? Isso porque meu filho estava com queimadura de frio em volta dos lábios e do nada o menino chegou e disse isso, meu filho no seu descontrole, agrediu, ameaçou e segunda consta no relatório arrancou sangue da mão do colega (fizeram uma tempestade num copo d'agua). Ele estava com a unha grande e passou de raspão na mão do menino, coisa que aconteceu com uma cuidadora outro dia e ela arranhou o rosto de um bebê!!!! Mas... enfim, a maldade dói mais quando vem de alguém que gostamos, amigo, família, etc, por isso o descontrole e no relatório da escola não consta o que o outro menino disse, somente que meu filho sofreu implicância por parte dos colegas. Quando os outros fazem com ele é implicância mas quando ele faz com os outros os termos mudam, se torna bulling, ameaça... Ele não acredita mais que será defendido na escola porque quando apanhava eu não era chamada, quando ele começou a resolver por conta própria ele mudou de saco de pancada pra aluno problema. Procurei o conselho tutelar mas eu não sei pra que serve este órgão que nunca me valeu de nada, foi conivente com a expulsão sem nunca apontado um outro caminho, foi lento também na hora de agir, levou duas semanas pra encaminar meu caso para a promotora da cidade, que indeferiu o meu pedido e nem quis me atender para uma conversa. Fui orientada a procurar a defensolria pública... mais tempo, mais estresse, mais jogo de empurra. O que me deixa mais triste é o fato de saber que se eu fosse uma criminosa meu filho receberia atenção, assistência, AUXÍLIO RECLUSÃO e talvez até virasse exemplo de história de superação no futuro, mas eu como eu sou só uma cidadã comum tentando sobreviver com honestidade nessa m... de país, meu filho é tratado praticamente como um delinquente.
    Antes a escola podia bater, eu mesma levei golpes nas pernas, com rpegua de madeira, porque não vi o restante da tarefa passado no cantinho do quadro e olha que eu tinha 8 anos e era a melhor da turma. Hoje a escola expulsa porque não pode bater, não aprendeu com o tempo, não evoluiu, só extinguiu a prática devido à pressão pública mas a violência ainda existe, de outras formas mas existe.

  • 0

    Didi

    Falam como se todas as crianças fossem infratores delinquentes. meu filho tem TDHA e transtorno de humor desafiador bipolar, ele estuda na escola particular desde o primeiro ano, hoje está na quarta série e recebi a noticia agora,em final de agosto que terá de se retirar, ele não aceita e não entende, tem apenas 9 anos de idade e tenho medo dos traumas que poderão lhe causar está expulsão, pedi a escola que coloca-se alguém para observa-lo na entrada e recreio que é onde se dá os problemas, e me disseram que não, por não ser de inclusão. As escolas particulares lavam suas mãos por que dizem que tem um regimento próprio. então lhes pergunto as escolas particulares estão acima da Lei, e crianças de escolas particulares não tem direitos?meu filho tem apenas 9 anos e não entende por que não pode mais ir a escola, estas crianças sofrem preconceito e não tem lei que ampare, meu filho tem transtorno e não é nem um delinquente infrator. A escola diz que tem de ser antes do ano acabar por que do contrario não seria uma medida punitiva e que ele tem que ver como tal, e por este motivo não esperarão o ano acabar.

  • 0

    Lais

    Acredito que quando Lei fala que o aluno tem direito á permanência na escola, não sifnifica a permanência na mesma escola. Pois se assim fosse nao poderia haver a separação de escolas infantis, fundamental e médio, pois todos poderiam exigir permanecer na mesma escola. Ora, a Lei fala sobre permanência na escola, e nao na mesma escola kkkk chega até ser cômica a interpretaçao da lei de que a crianca nao pode ser expulsa da escola pq a Lei fala da permanencia ba escola. O termo escola na Lei nunca se configura como a "mesma escola". Mas sim escola...e um aluno ir pra outra escola nao influencia em nada no seu intelecto. Se assim fosse os pais teriam ki ser proibidos de se mudarem de residencia, pois atrapalharia o intelecto de seus filhos. Eh preciso ki nossa sociedade lute contra eufenismo instalado em relacao a atitudes delinquentes dos nossos jovens. Eufenismo eh o yermo, pois os jovens fazem coisas escancaradas, mas a sociedade usa eufenismo qd vai abordar as situacao de desrespeito. O aluno é expulso, a sociedade fala: transferencia compulsoria. Pq td constrange o tal. Eh preciso acabar com esta casca de eufenismos, pois nossa sociedade futura sofrera. E eh necessario sim, que o sistema educacional

    adote medidas cabiveis. Pois um aluno desobefiente, "do mal" nao pode ter privilegio em detrenimento dos outros. E empiricamente, é notorio, que qd um aluno vai "transferencia
    compulsoria" para outra UE, há uma melhora latente no seu rendimento escolar e tb no seu comportamento. Fala- se tanto em direitos em direitos de adolescentes infratores. Mas se a sociedade for ver somente os direitos, precisamos tb rever o nosso sistema carcerario, pois a nossa lei garante o direito de ir e vir. Termino lastimando como nossa sociedade tem tratado pessoas infratoras, desobefientes, que nao prezam pela paz, pela ordem e nao respeitam o bem comum, em pessoas coitadinhas que nao têm seus direitos preservados. Onde vamos parar com tantos eufenismos????

  • 0

    Dilene Dias

    Boa noite,
    Me apaixonei pelos dítames para às disciplinas, mas, deixo Meu alerta; disciplina acompanha corretivos, ainda que necessite de ensaios e erros, menor criança, nunca deixará de se- Los e o melhor caminho é o da Instrução que de fato, muitos já se encontram em situação compulsória de perturbadores, perversos, malfeitores, ímpios, iníquos,... também requer Corpo docente Completo e classe para outros especiais além de surdos,... agressivos NEPAD, a parte, após confirmação Total. Abrçs em Nossos Direitos E Deveres Como de Cidadão

Voltar para o texto: Ilegalidade da expulsão ou transferência compulsória de estudante