Comentários

Doenças mentais e benefícios previdenciários

Doenças mentais e benefícios previdenciários

Este trabalho visa expor a problemática da concessão de benefícios previdenciários em casos de transtornos mentais. Tomou-se por base as diretrizes médicas do Instituto Nacional da Seguridade Social para entender a causa de algumas doenças mentais.

Publicado em . Elaborado em .


Comentários

9

  • 0

    Luciara Andrade

    Desejo saber quais são os benefícios nacionais garantidos ao trabalhador reabilitado espécie 91 do INSS - CID 10 F43.2. Desejo saber também quais as restrições dispensadas a este no ambiente de trabalho.

  • 0

    Isa

    Olá Carina
    Gostaria de saber se no caso de uma pessoa estar aposentada por tempo de serviço e diagnosticada com Alzheimer, necessitando de uma pessoa pra cuidar, essa pessoa tem direito a revisão da aposentadoria?

  • 0

    Nilson Batista Araujo

    Estive em benefício por anos indo e voltando ao serviço por depressão,síndrome do pânico,baixa estima,transtornos mentais,ilusões auditiva e visual etc,tive alta do INSS e quando fui m apresentar de novo na empresa ela tava fechada, tem um ano e 2 meses que não tenho renda alguma e parei de fazer meu tratamento por falta de condições financeiras e sinto q piorei por estar triste,nervoso,com insônia,tremulo,fraco,dor no peito falta de ar etc.
    O que fazer se minha carteira ta fichada e não to trabalhando e me sentindo sem condições de trabalhar?

  • 0

    APARECIDA UMBELINA DA SILVA MARIANO

    Achei muito interessante a abordagem deste tema, gostaria de ver publicado artigo que trate de beneficios previdenciarios para pessoas portadoras de esquizofremia, pois tenho um caso particular em familia e não sei qual o caminho a seguir em relação aos direitos do interditado que não recebe nenhum benefico e era curatelado pelo meu pai, que faleceu recentemente.

  • 0

    [email protected]

    boa tarde.
    ótima matéria. parabéns.
    o errado e só os peritos. ,que não aceitam atestado do psiquiatra. nem examina o doente. e com muito ignorância vão logo mandando ele trabalhar.coloca um pediatra parta examinar um paciente com câncer. e assim adiante. coisa absurdo.
    ... MG TEM UM ASSIM. QUE NADA SABE. AGRIDE PACIENTE.
    ACHO QUE A HORA DELE JÁ ATE PASSOU. MAIS UMA HORA UM ACABA COM ELE LÁ DENTRO. O RESPONSÁVEL SERÁ O GERENTE E COORDENADOR DO INSS LOCAL.SENHOR ...
    POIS TUDO SABE E NÃO E CAPAZ DE PROVIDENCIA NECESSÁRIA.ESTA SENDO CONVENIENTE NESTE CASO
    ELE E PIOR QUE O MEDICO QUE AGRIDE AS PESSOAS.
    DEVERIA LEVAR MUITA PÓRR.LD PARA APREENDER RESPEITAR DOENTE. POIS DOENTE MENTAL OU COM DEPRESSÃO ,TUDO E POSSÍVEL. MATA E TEM SEUS DIREITOS ADQUIRIDO POR LEI. AINDA MAIS SENDO UM MEDICO AGREDINDO O MESMO.
    ESTAMOS E CANSADO DE JUDICIÁRIO QUE PASSA A MAO NA CABEÇA DE MÉDICOS E MAIS ALGUMAS OUTRAS CLASSES.
    O BRASIL ESTAR MUDANDO. ACHO QUE BREVE A JUSTIÇA DOS HOMENS CHEGA.
    concordo que deveria existir uma lei que o perito seria responsável pelos atos praticados se algo ocorrer com o paciente. sendo ele processado criminalmente e ainda indenizar a família do paciente sem ninquem do CRM passar a mão na cabeça nem poder judiciário quebrar o tal galho do medico.
    pois do contrario iremos ver muita morte de perito ja ja.
    GRAÇAS A DEUS O BRASIL ESTAR MUDANDO. A JUSTIÇA DOS HOMENS E A MELHOR DO MUNDO.

  • 0

    elaine mendes

    Gostei do artigo. Mas tenho dúvidas. Qdo a pessoa tem 3 internação psiquiátrica
    E ficou 2 anos encostada continua em tratamento sendo que o psiquiatra não a libera pra trabalhar pode o perito cortar o encosto

Voltar para o texto: Doenças mentais e benefícios previdenciários