Comentários

Retrocesso social inaceitável

Retrocesso social inaceitável

A terceirização foi inserida no ordenamento nacional, primeiramente, para o trabalho temporário, por disposição da Lei n. 6.019/74, sendo ela herança perversa do período militar.

Publicado em . Elaborado em .


Comentários

19

  • 0

    mauricio

    sr Moacir Pereira.seu comentário chama a atenção pelo fato de pode haver melhorias sim com a terceirização. porém se faz necessário 1 plantar,2 regar,3 adubar,4 colher.oque os ladroes que ocupam a esplanada dos ministérios querem fazer é beneficiar seus financiadores de campanhas.e seguindo sentido inverso dos fatos 4-3-2-1 sou a favor de pena de morte para politico corrupto e esses que são contra a nação

  • 0

    Fernando Monteiro

    Pobre argumento de querer criticar o FGTS e a terceirização por terem origem na "herança maldita" do governo militar. Trata-se de ranço ideológico, talvez de ex agitador sem nenhuma noção do que fala. Quer testar? Proponha o fim do FGTS se tiver coragem... A despeito da Lei 6019/74 e seu fundamento, procure ler direito antes de falar bobagem...

  • 0

    carlos crede

    Sou funcionário publico e sei que há atividades em que os políticos gostariam de extinguir carreiras, porem obvio que em áreas sensíveis como fiscalização, segurança e departamentos técnicos específicos isso não ocorrerá ,para as empresas privadas existe sim uma tendência do empresário brasileiro se inclinar a uma certa escravização da mão-de-obra e isso não é apenas divagante é real. Acreditamos que haverá emendas para a solução de problemas como por exemplo o citado pelo sr. presidente do tribunal regional do trabalho que em Brasília propôs aos srs deputados que a mão de obra terceirizada tivesse um teto dentro do quadro de funcionários de uma empresa. São ideias no fundo boas mas que necessitam de ajustes perante o comportamento da sociedade e não apenas no ideário político nacional tão distante das realidades fáticas do dia a dia.

  • 0

    Joao Carlos Stogmuller

    Perfeita colocação Dr Sergio, a PL propõe o fim da Empresa "mascate" que oferece serviços diversos, sem a especificação no escopo de seu objetivo social, com isso, cabe ressaltar a obrigatoriedade da retenção de 4% do valor contratual, a título de garantias trabalhistas. Isso não seria um avanço nas relações?????
    Bom dia a Todos

  • 0

    sergio armentano

    Tenho visto muitos orgãos públicos com funcionários terceirizados principalmente nas portarias ,segurança ,limpeza e até como no caso dos aeroportos fazendo serviços da policia federal que pagava cerca de 3,500 ,00 a empresa por funcionário e esta repassava 850,00 aos funcionários ,se não me falha a memória ,vide google ,mais uma mina de ouro para os donos dessas empresas e quem paga essa conta? qualquer parceria público privada é danosa a economia ,ou já não basta o que temos visto ?

  • 0

    moacir pereira do nascimento

    Me perfilo em parte ao comentário do ilustre Doutor, todavia entendo que o trabalhador no Brasil é o que menos trabalha no mundo, dado a gama enorme de feriados e algumas datas de confraternização sem quaisquer importâncias. Ademais, temos que admitir que neste mundo de negócios globalizados em que vivemos atualmente a eficiência/produtividade se faz necessária, sem contar que é de caráter imperativo para que as empresas se tornem competitivas em seus respectivos mercados quer: na prestação de serviços ou fornecimento de bens em âmbito geral.
    Logo, neste contexto entendo que resta provado que fiscalizar é melhor que executar, eis que neste espectro com certeza ocorrerá relevantes ganhos de qualidade e produtividade.
    Também, é oportuno salientar que nos diversos setores de trabalho nos deparamos com dois requisitos primazes, ou seja: unidade e medida. Enfatizo tais requisitos por uma simples razão: tais aplicativos são perquiridos ferrenhamente pelo segmento dos terceirizados a qualquer preço e custo num esforço laboral desmedido para cumprir os requisitos acima delineados pelo seu Contratante. Já à guiza da CLT, tais requisitos "unidade e medida" não podem ser aplicados pelo Empregador a seus empregados, os quais soam como constrangimento ilegal que as vezes ensejam danos morais que a lume da Justiça Trabalhista são temas amplamente pacificados.
    Finalizando, entendo que a terceirização desde que cumprida as Leis e normas no contexto da seguridade social e, que os princípios basilares do direito do trabalho seja respeitados a terceirização trará no seu bojo alguns aspectos que considero muito importante. tais como: redução de custos nas Empresas em seus seguimentos num todo, redução esta propiciada pelo ganho de produtividade/escala e, etc.... que por conseguinte aumentaria também a sua competitividade e qualidade e, por fim o enxugamento da mão de obra ociosa, e, quiçá neste arcabouço cria-se um ambiente favorável para redução de preços, tanto: pelos serviços prestados, mercadorias ou bens duráveis, que indubitavelmente iriam ao encontro dos consumidores, os quais estão sequiosos e ávidos para tal.

  • 0

    Joao Carlos Stogmuller

    Caríssimo doutor Alcides, foi aprovado uma emenda que proíbe a contratação de terceirizados para atividades fins, no setor público.

    Quanto ao texto em epígrafe do dileto professor, temo que a execração publica da proposta, é infundada, não que seja perfeita, mas certamente trará a segurança jurídica necessária ao terceirizado. Também entendo que haverá uma melhoria na qualidade do serviço pretendido, pois a mera regulamentação da abertura de novas emoresas prestadoras de serviços terceirizados, conota a adoção de um novo direcionamento para a efetiva moralização do setor e a devida segurança que o terceirizado busca ao ser inserido no mercado.
    Abraços a todos

  • 0

    Dr. Alcides Caldeira

    Não há dúvidas que a terceirização traz vantagens e desvantagens.
    É como abrir mais uma porta no mercado de trabalho com afrouxamento na legislação.
    Sem dúvidas será muito mais danoso para as empresas públicas e de economia mista, pois significa o fim do concurso público para este setor.
    Já para o setor privado, irá dobrar o número de reclamações trabalhistas, porque abre-se enorme possibilidade de violação a direitos trabalhistas através de falsas cooperativas atuando na terceirização de legítimos empregados.
    Com o "jeitinho brasileiro" entendo que resultará em prejuízo para o trabalhador.
    Mais oferta de trabalho com menor qualidade de vida para os cidadãos.

  • 0

    Julio Romão

    Outra coisa estão alegando que os terceirizados estão desamparados na justiça são aprox 12 milhões de funcionários apenas nas funções meio pq apenas não regularizam eles sem mexer com os outros trabalhadores.

Voltar para o texto: Retrocesso social inaceitável