Comentários

Misoginia pela internet e atribuição da Polícia Federal pela Lei 13.642/18

Misoginia pela internet e atribuição da Polícia Federal pela Lei 13.642/18

Analisa-se a nova Lei 13.642/18, que concede atribuição à Polícia Federal para investigar “quaisquer crimes praticados por meio da rede mundial de computadores que difundam conteúdo misógino, definidos como aqueles que propagam o ódio ou a aversão às mulheres”.

Publicado em . Elaborado em .


Comentários

8

  • 2

    CLAUDIO RAFAEL DOERR VIEGAS

    Você percebe o NAIPE do comentário quando a cidadã faz um discurso contra o "ódio às mulheres", e momentos depois faz piada com a MISANDRIA (ódio aos homens). Só isso já retira toda a credibilidade do restante do comentário... Um ódio não pode, o outro é "piada".
    Esse é o resultado de anos de doutrinação dessa geração "Paulo Freire" e do seu "construtivismo", ou seria "reengenharia social marxista"?
    A principal arma desses doutrinadores/influenciadores é separar as pessoas em classes HOMEM X MULHER, BRANCO X NEGRO, HÉTERO X GAYS, etc... e jogar uns contra os outros, enquanto enchem o bolso de dinheiro roubado do erário.
    O próprio Lenin chamava esses doutrinados de IDIOTAS ÚTEIS, e que eles seriam os primeiros a serem "eliminados" depois que a ditadura/revolução estivesse completa.

    Abraço e menos ódio e mais estudo.

  • 2

    CLAUDIO RAFAEL DOERR VIEGAS

    Além disso, muitos se baseiam em MENTIRAS, visto que MORREM MAIS HOMENS DO QUE MULHERES... Segundo dados do IBGE: "Na faixa dos 20 aos 24 anos, foram verificados 27 mil mortes no ano passado (2012), das quais 81,7% entre homens. No grupo dos 15 aos 19 anos, houve registro de 20 mil óbitos, sendo que 79,6% ocorreram entre pessoas do sexo masculino. Entre os que tinham de 25 a 29 anos, 78,1% das 27,7 mil mortes foram observadas entre homens.

  • 2

    CLAUDIO RAFAEL DOERR VIEGAS

    Fabíola Lima, acho melhor tu te atualizar na questão... A menina de 11 anos que alegou ter sido estuprada, na verdade já admitiu que INVENTOU A HISTÓRIA... Imagina o que passaram os acusados... Claro que existe todo o tipo de violência contra a mulher, o problema é quando usam isso pra promover pautas marxistas/globalistas ex: movimento feminista.
    Não vi nenhuma feminista protestando contra o ataque à residência da Carmem Lúcia... Ou só defendem quem convém?
    E a sem-terra que teria sofrido um estupro coletivo num acampamento do MST???? Ninguém protestou, na verdade abafaram o caso na imprensa... Ah, neste caso não ia pegar bem né?
    Acho que o pior problema é a CULTURA DA HIPOCRISIA. Abraço.

  • 1

    Fabíola Lima

    E essa divulgação na internet do ódio às mulheres, inclusive instigando à violência gravíssima contra as mesmas, homicídios e estupros, está cada vez mais se propalando, e de fato tem que ter uma ação mais incisiva e ser tratada com mais rigor, um crime de interesse público que atinge as duas metades da sociedade.

  • 0

    Fabíola Lima

    Misoginia é uma doença (não é "ideologia") que está se alastrando na sociedade, contra as mulheres, mais do que já são desfavorecidas, como no trabalho, nos salários, até como vítimas de estupro (onde, como ocorreu esses dais com aquela criança de 11 anos que foi estuprada por 14 homens, ainda tinha comentários culpando a criança por ser vítima, jamais os agressores homens), etc etc etc. Direta ou indiretamente ligada ao feminicídio, que também é um crime que cada dia mais se expande (não obstante já estar prevista anteriormente como homicídio qualificado, a criação de um tipo penal próprio é interessante para se dar destaque e visibilidade ao fato, pois a maioria dos homicídios contra mulheres são praticadas por seus parceiros, ex-parceiros, maridos, namorados, companheiros, sendo que sem o tipo legal próprio, ficariam misturadas nas estatísticas como homicídios qualificados "comuns"), sendo que o feminicídio cada dia mais incidente, é o que se vê todos os dias nos noticiários, de mulheres que resolveram dar outra chance aos seus parceiros, ou que não quiseram mais continuar o relacionamento. Obviamente que se trata de crime de repercursão não individual da vítima, mas de interesse público, principalmente se considerar que mais de 50% da sociedade é composta por mulheres.

    Agora, misandria ou ódio aos homens é comédia né, ninguém nem ouve falar, se houver casos são raríssimos e isolados, tanto que foi necessário utilizar exemplo estrangeiro, porque ninguém nem ouve sobre isso. Enquanto que misoginia se vê os resultados todos os dias nos noticiários, e cada vez mais comum discursos de ódio às mulheres, inclusive defendendo o direito dos homens de estuprá-las e matá-las, que com certeza propagam uma pseudo-ideologia (porque na verdade é uma doença) que resulta em efeitos concretos no sentido de aumento de violência contra as mulheres.

    Muito interessante e imprescindível a visibilidade dada pelo autor à questão e a importância do tema, por se tratar de ameaça real e violenta à fração de mais da metade da sociedade. E indiretamente aos próprios homens, que possuem irmãs, mães, filhas, esposas, que também correm risco de serem também eventuais vítimas.

Voltar para o texto: Misoginia pela internet e atribuição da Polícia Federal pela Lei 13.642/18