Queridos Colegas,

Acabo de receber minha carteira de Advogado, estou muitíssimo feliz, porém me encontro numa situação um tanto quanto complicada. Nunca fiquei sem emprego antes, estou que nem um louco mandando currículo para alguns escritórios aqui no Recreio/Barra da Tijuca e Centro. Apesar da minha experiência com estágio na DPGE, no TJERJ e também em escritório de advocacia, não consigo sequer ser chamado para entrevistas, me pergunto se está faltando algum ingrediente no meu Vitae, talvez uma Pós graduação em Direito Interplanetário (rs, brincadeira!). Desejo me especializar em Direito Empresarial, o que me falta é a questão financeira, tendo em vista que FGV, IBMEC, entre outras, estão com a mensalidade bem pesadas, quando puder, me inscreverei rapidamente num Curso, com o intuito de especialização na área Empresarial, mas por enquanto, tenho que jogar com as peças que tenho em mãos.

Espero que os colegas possam me ajudar, no sentido de dizer se hoje é imprescindível uma Pós-Graduação no currículo, seja ela concluída ou em curso, para que os escritórios se interessem, já que a peneira feita é enorme.

Att,

Jorge Rejame

Respostas

18

  • 0
    Santos & Rocha Advogados

    Santos & Rocha Advogados Belo Horizonte/MG 142757/MG Quinta, 24 de outubro de 2013, 15h35min

    Olá Jorge;
    O inicio é sempre assim, desta forma, fique calmo.
    A OAB do seu estado não tem um programa de colocação de jovens advogados? Costuma funcionar.
    Sugiro que você reveja seu curriculum descrevendo as atividades que sabe realizar.
    Ainda, que envie o curriculum para vagas de estagiário, com um texto de apresentação e pedido de inclusão no banco de dados do escritório.
    Também que comece a estudar com afinco a área a qual deseja seguir, pois, de nada adianta uma pós em um papel se você não domina os temas e consegue passar segurança sobre seus conhecimentos.

  • 0
    J

    JezaBela Suspenso Quinta, 24 de outubro de 2013, 16h57min

    Vc e mais 1 mil recém formados no RJ estão buscando a mesma coisa. Não se restrinja a esses bairros, nem sempre podemos exigir que as coisas acontecem para nosso maior conforto.

    Amplie seu leque, abra-se a outras localidades. Quanto mais tempo ficar parado pior será.

    Conheço quem já atue na profissão há mais de 2 anos que só teve a opção de ir trabalhar em Paracambi (sabe onde fica?).

    Uma Pós sempre ajuda, em qualquer carreira, mas ela não é determinante. Não esqueça, além de vc tem pelo menos mais 40 concorrendo a mesma vaga.

    Faça seu networking, uma dica, se não uma indicação, sempre ajuda. Busque manter-se atualizado e atuante, exerça atividades sociais em ONGs, por exemplo.

  • 0
    B

    Bruno Adv08 Quinta, 24 de outubro de 2013, 18h00min

    Estou com o mesmo problema amigo, mas não desista. Eu ainda não desisti. Lhe recomendo tentar uma pós-graduação à distância, pois o preço geralmente é mais em conta.

  • 0
    R

    RC Senador Alexandre Costa/MA 11400/MA Segunda, 11 de novembro de 2013, 18h18min

    Olha, no começo é assim, passei por isso. Ninguém nunca me ligou de nenhum escritório, sabe o que eu fiz, comecei a atuar na advocacia correspondente. Me cadastrei em uns 3 sites (Migalhas e correspondentes). No começo eu ganhava 300 reais, hj consegui 2 escritórios fixos e recebo por volta de 2 mil, trabalhando alguns dias na semana, somente um turno. Só não cobre barato demais, não desvalorize seu trabalho por nada nesse mundo. Indiquei o site para uma colega, mas ela disse que nunca recebeu uma ligação, tem que ser paciente, vc só ganha mesmo quando um escritorio lhe contrata para toda semana, mas ate encontrar um desses demora, ou não. Estou nessa estrada por mais de um ano...faça tudo direitinho. Boa sorte!

  • 0
    P

    Patricia Simão Quarta, 27 de novembro de 2013, 14h04min

    Atuei também como correspondente mas logo me surgiu uma vaga como advogada. O problema é que percebi que há vários pedidos nas cidades onde optei. Ainda recebo os emalis com pedidos de diligências e audiências.
    No entanto fico entre a cruz e a espada, pois tenho um emprego mas não um bom salário.
    Gostaria de arriscar e ficar só em correspondente. Ah, me inscrevi na defensoria pública.
    Mas tenho medo que no final do mês não consiga tirar o salário que tenho hoje.
    Quem está atuando como correspondente tem tirado quanto em média por mês?

  • 1
    J

    Jurist Suspenso Quarta, 27 de novembro de 2013, 16h43min

    Galerinha,

    Com o mercado explodindo, não entendo como vocês suportam isso. Pode ser correspondente, como complemento da renda, mas há muitas ações de massa no mercado aí. E só sair e captar.

    Tem o boom do momento agora, ações do FGTS. Tenho amigo que já pegou mais de 200 ações, só conversando com as garçonetes dos restaurantes que ele almoça.

    Pesquisem aí, sobre nova ação do FGTS, e vão trabalhar. Não sejam empregados de ninguém.

  • 0
    J

    Jurist Suspenso Quarta, 27 de novembro de 2013, 16h45min

    Revisionais também, de contratos bancários, veículos, ainda há espaço no mercado, DPVAT e tudo mais.

    No interior, aposentadoria rural ainda é o "bicho".

    Ninguém precisa ser empregado não, e ganhar uma merda.

  • 0
    P

    Patricia Simão Quarta, 27 de novembro de 2013, 19h45min

    Penso assim também Jurist, e estou de saco cheio, fui empresária por 12 anos, resolvi vender meu negócio e mergulhar de cabeça no direito, mas já estou ficando arrependida. Rs.

    Tenho recursos financeiros e local para montar meu escritório, mas fico naquele medo de não conseguir captar cliente.

  • 0
    J

    Jurist Suspenso Quarta, 27 de novembro de 2013, 20h30min

    Ter clientes não é fácil, mas, no seu caso, há uma vantagem. Como você tem recursos financeiros, pode pegar ações pelo resultado (quota litis), e investir nas ações de massa.

  • 0
    C

    Carlos Eduardo Crespo Aleixo Quarta, 27 de novembro de 2013, 20h32min

    Pois é, pois é !!!

    Não levo muita fé nestas ações do FGTS visto que, até o momento, não qualquer delas que fosse julgada dali procedente, etc !!!

    Enfim, é isto !!!

  • 0
    J

    Jurist Suspenso Quarta, 27 de novembro de 2013, 20h47min

    Carlos,

    Então você não bota fé?

    O Interessante é que: 1) sua fé não é condição da ação; 2) a própria Justiça Federal já desenvolveu uma planilha no Excel para os cálculos; e 3) a decisão paradigma é recente, poucos meses, então, se não tem nenhuma decisão (se é que realmente não tem), é fato normal, pois os juízes não julgam mais rápido que a velocidade da luz.

  • 0
    C

    Carlos Eduardo Crespo Aleixo Quarta, 27 de novembro de 2013, 23h42min

    Sim, sim !!!

    No caso, não estou a me referir à estas ações dos Expurgos da Inflação afora dos Juros Progressivos nas contas do FGTS e sim à esta ação mais recente da TR a partir do ano 1999 e até os dias atuais !!!

    Não boto nenhuma fé nisto mesmo não, sabia !!!

    Afinal, se for deste jeito, aquela "atualização monetária" das contas da Caderneta de Poupança iria pelo mesmo caminho !!!

    Enfim, é isto !!!

  • 0
    P

    Patricia Simão Quinta, 28 de novembro de 2013, 13h23min

    Realmente Jurist é uma boa saída. Atuei em um escritório que tratava de ações revisionais, e está cheio de gente buscando vantagem nestas ações.

  • 0
    I

    IVAN ESPINDOLA DE MORAES Guarapari/ES 30690/ES Quinta, 28 de novembro de 2013, 23h58min

    Peguei minha carteira em Outubro/13, e resolvi tocar o barco sozinho. Os escritório aqui no RS pagam muito mal. Estou também tentando atuar como advogado correspondente, mas os escritório também querem pagar pouco pelos serviços. Três propostas já foram rejeitadas. Vou tocar sozinho, pois todo o início de carreira profissional liberal exige dose de paciência e persistência.

  • 0
    Lucas Silva

    Lucas Silva Sexta, 26 de junho de 2015, 1h59min

    O mercado de advogado é um lixo. Tenho duas pós de 1ª linha, sou extremamente experiente e competente e ninguém da chance. Infelizmente, o mercado de advocacia é um lixo, arrependimento total de ter estudado 10 anos da minha vida esse monte de lixo.

  • 0
    S

    Sandro Silva Quinta, 27 de abril de 2017, 20h29min

    Realmente, a única forma infalível de você conseguir iniciar sua carreira como advogado de forma satisfatória é se você tiver contatos dentro da área, for um verdadeiro puxa-saco de juízes, desembargadores, ministros e advogados experientes, ou se você tiver família que já está consolidada na área, ou ainda se tiver uma pequena fortuna pra poder começar muito bem a carreira como autônomo, com escritório, carrão, ternos de alta qualidade etc. Se você for pobre, miserável, não for puxa-saco de ninguém, não tiver contatos com ninguém importante, não tiver família estabelecida na área, pode procurar outras profissões pra quebrar um galho, profissões que exigem ensino médio mesmo, junte seu dinheiro, se qualifique mais na área que você quer atuar como advogado, fazendo pós-graduação, mestrado e doutorado, e com um pouco de sorte conseguirá trabalhar na área depois de uns 10 anos ou mais. Se ficar correndo atrás de porcaria de escritório, ninguém vai te chamar, porque ninguém de te conhece e ninguém pode arriscar tudo num profissional sem grande qualificação e experiência na área, se alguém por algum milagre improvável te chamar, pode ter certeza que será uma vaga medíocre, pra ganhar um salário abaixo do salário mínimo, menos do que um estágio jurídico ganha, um verdadeiro lixo, trabalho escravo.

Essa dúvida já foi fechada, você pode criar uma pergunta semelhante.