Vendia passagem aérea a distância para uma cliente que mora em São Paulo sempre pagava tudo direito, ela é dona de uma empresa da última vez ela agiu de má fé comprou passagem e nunca pagou as provas que tenho e conversas por redes sociais e o bilhete aéreo em nome do esposo inclusivo até o check-in foi eu quem fiz valor do débito e $1600 quem deve processar ele que comprou a passagem ou o esposo que utilizou a passagem?

Respostas

0