Este texto foi publicado no Jus no endereço https://jus.com.br/artigos/98742
Para ver outras publicações como esta, acesse https://jus.com.br

Environmental, social and governance: ambiental, social e governança - ASG

Environmental, social and governance: ambiental, social e governança - ASG

Publicado em .

Apresenta-se o conceito usado para descrever o quanto um negócio busca meios de minimizar seus impactos ao meio ambiente, se preocupando com as pessoas e adotando boas práticas administrativas.

INTRODUÇÃO

O termo Environmental, Social and Governance (ESG-sigla em inglês) ou Ambiental, Social e Governança (ASG em português), embora não represente um tema necessariamente novo no mercado, vem despontando como grande tendência e tem sido uma importante e necessária resposta das empresas frente aos desafios da sociedade contemporânea, relacionadas em especial a integração da geração de valor econômico aliado à preocupação com as questões ambientais, sociais e de governança corporativa.

É uma forma de mostrar responsabilidade e comprometimento com o mercado em que atuam, seus consumidores, fornecedores, colaboradores e seus investidores.

Tornou-se uma forma de definir se as operações das empresas são socialmente responsáveis, sustentáveis e corretamente gerenciadas.

Isso porque o conceito é usado para descrever o quanto um negócio busca meios de minimizar seus impactos ao meio ambiente, se preocupando com as pessoas e adotando boas práticas administrativas.

A sustentabilidade das empresas é um dos vetores mais significativos dessa prática, englobando um conjunto de ações diárias a favor da preservação do meio ambiente levando a uma gestão mais funcional, impulsionando o crescimento econômico e uma qualidade de vida melhor aos seus funcionários.

A responsabilidade em balancear esse tripé da sustentabilidade é coletiva e está no governo, nas empresas e na sociedade como um todo.

JUSTIFICATIVA

O mundo atualmente vive o paradigma da sustentabilidade, no qual o pensamento deve ser holístico, no que diz respeito as interações complexas entre os sistemas sociais, econômicos e ambientais participativo, posto que muito se fala em sustentabilidade nas empresas.

Sabe-se que diante dessa realidade, as atividades empresariais não se restringem apenas ao âmbito econômico, pois exercem influência/impacto também nas condições do meio ambiente e na sociedade.

Diante desse novo paradigma, as empresas têm se visto obrigadas a desenvolver mecanismos que lhes permitam se adequar à nova realidade, exercendo a sua sustentabilidade empresarial, bem como repensarem suas responsabilidades perante a sociedade e o meio ambiente, contribuindo efetivamente para o desenvolvimento sustentável da humanidade se mantendo extremamente competitivo no mercado, criando ações e programas direcionados as questões ambientais e sociais.

A Sustentabilidade Empresarial é um conjunto de ações que as organizações praticam com o objetivo de reduzir os impactos ambientais, promover programas sociais e se conservar economicamente viável no mercado. Portanto, é indispensável a prática da sustentabilidade empresarial para o sucesso da organização.

De modo que a mensuração da sustentabilidade empresarial a fim de colaborar com o conhecimento empresarial nas empresas bem como a aplicação certa nas medidas em que devemos implementar, trazem vantagens econômicas, mudanças na forma de pensar e agir de forma sustentável contribuindo para a preservação do meio ambiente.

Pois, pensar em sustentabilidade significa ter cuidado com os nossos ecossistemas e uma visão avançada de negócio.

OBJETIVO GERAL

O objetivo deste trabalho foi trazer um ensaio sobre o tema ESG Realidade, tendências e Oportunidades.

Explicar o que é ESG no aspecto Ambiental, Social e Governaça.

ESG é um conjunto de padrões e boas práticas que visa definir se a operação de uma empresa é socialmente consciente, sustentável e corretamente gerenciada.

ESG é uma sigla em inglês que reúne os três pilares desse movimento, tem se tornado sinônimo de responsabilidade socioambiental, reputação e credibilidade para as empresas.

  • Environnmental (Meio Ambiente);

  • Social;

  • Governance (Governança).

Esses três pilares são utilizados como critérios para entender se uma empresa possui sustentabilidade empresarial, ampliando a perspectiva de análise do negócio para além das métricas financeiras.

Ou seja, busca-se mensurar se a empresa é realmente uma opção viável de investimentos sustentáveis, capazes de gerar impactos positivos financeiros, sociais e ambientais.

Quanto ao critério Ambiental inclui exigências nesse campo, pois refere-se às práticas da empresa ou entidades voltadas ao meio ambiente. Entram aqui temas como:

  • A gestão de resíduos;

  • A política de desmatamento (caso aplicável);

  • O uso de fontes de energia renováveis pela empresa;

  • O posicionamento da empresa em relação a questões de mudanças climáticas;

  • Os processos dedicados a reduzir ou eliminar a poluição do ar ou da água decorrentes de suas operações;

  • A logística reversa de produtos;

  • A política de negociação com fornecedores (se negocia com empresas participantes do Fair Trade, ou que usam insumos orgânicos ou mesmo que possuem certificações ambientais);

Além disso, o critério ambiental pode também se estender ao controle exercido pela empresa em terras que possui, se há ações para melhorar e preservar a biodiversidade, por exemplo.

Social

Quando falamos dos critérios sociais do ESG, abrimos um leque muito grande de questões a serem consideradas. Pois relaciona-se à responsabilidade social e ao impacto das empresas e entidades em prol da comunidade e sociedade.

Majoritariamente se refere a temas como respeito aos direitos humanos e ás leis trabalhistas, segurança no trabalho, entre os pontos analisados pelos investidores e pelos gestores de fundos de investimentos, como:

  • Há algum tipo de plano de previdência para os funcionários?

  • Qual o nível de envolvimento dos funcionários com a gestão da empresa?

  • Quais os benefícios e vantagens oferecidos aos funcionários, além do salário?

  • A empresa assume uma posição pública ou política sobre questões de direitos humanos?

  • O salário do funcionário é justo em relação aos praticados dentro da empresa e também em relação ao mercado?

  • Existe e, caso sim, como é estruturado o programa de treinamento, qualificação e desenvolvimento dos colaboradores?

  • Como é a gestão do relacionamento com o cliente e quais ferramentas e processos a empresa disponibiliza para medir a sua satisfação?

  • Existe uma política corporativa clara que incentive a diversidade, a inclusão e que busque prevenir o assédio sexual?

  • Existe uma declaração de missão da organização? Se sim, ela representa realmente a atuação da empresa e, de forma explícita, busca ser benéfica para a sociedade?

No eixo Social encontra-se também a relação com fornecedores. Avaliá-los do ponto de vista dos critérios em ESG em relação a trabalho infantil, trabalho escravo, atuação em áreas desmatadas ou queimadas, promovendo transparência na relação. 

Governança 

Em ESG, o aspecto governança foca em como uma empresa é administrada pelos gestores e diretores, está ligado às políticas, processos, estratégias e orientações de administração das empresas e entidades.

Neste caso, o ESG busca entender se a gestão executiva e o administrativo atendem aos interesses das várias partes da empresa funcionários, acionistas e clientes.

Além disso, há outras questões avaliadas, como por exemplo:

  • Transparência financeira e contábil

  • Relatórios financeiros completos e honestos

  • Remuneração dos acionistas

  • Independência, equidade e diversidade nos conselhos

  • Integridade e práticas anticorrupção

  • Gestão de riscos;

No setor privado, as iniciativas estão sendo colocadas em prática aos poucos.

As grandes e médias empresas entendem que as questões relacionadas a mudanças climáticas, diversidade, compliance, precisam ser implantadas e disseminadas com urgência. Por isso, muitos são os projetos nesta direção.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

O objetivo é de difundir o conceito de Sustentabilidade entre as empresas e cidadãos. No entanto, cada vez mais se cobra um posicionamento das empresas porém, através de ações que vão além do campo do discurso.

O objetivo é criar um ambiente para investimento que leve em consideração as ações de sustentabilidade e desenvolvimento de uma instituição. 

Investidores que buscam empresas antenadas no quesito ambiental, querem encontrar players com um modelo sustentável de negócio estabelecido.

De modo que a ideia de que devemos ter é de REPENSAR no nosso modo de viver, de agir e de produzir para alcançar o desenvolvimento sustentável.

Alguns exemplos de ações básicas para quem quer praticar a SUSTENTABILIDADE.

Reduzir o consumo de recursos naturais e energia

Eliminar substâncias tóxicas e persistentes

Propagar o conceito de sustentabilidade

Empregar energia limpa

Notar a importância das pessoas

Substituir materiais virgens por materiais reciclados

Abolir o envio de resíduos para destinação final

Reutilizar e remanufaturar materiais, produtos e equipamentos.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Não é novidade dizer que as organizações precisam estar atentas às transformações ambientais, apesar disto, este acompanhamento é um grande desafio para qualquer administrador.

A avaliação dos fatores ambientais serve para a tomada de decisão dos rumos da empresa. Quão mais bem informado o administrador estiver, as chances de sucesso aumentarão.

Entendendo isso, se faz necessário um monitoramento constante das variáveis ambientais. Muitas empresas sofrem da chamada turbulência ou incerteza ambiental, que é uma dificuldade maior em predizer situações futuras. As pequenas empresas em especial estão mais expostas a este tipo de dificuldade, e obter maiores informações e mapear fatores ambientais minimiza este problema.

O ambiente de uma empresa, como o de qualquer outra entidade, é o padrão de todas as condições e influências externas que afetam a sua vida e seu desenvolvimento. As influências ambientais relevantes às decisões estratégicas operam no setor da empresa, na comunidade como um todo, em sua cidade, em seu país e no mundo.

Mudanças estão ocorrendo em ritmos variados mais rapidamente na tecnologia e mais lentamente na política. Como, por definição, a formulação da estratégia é realizada com o futuro em mente, os executivos que fazem parte do processo de planejamento estratégico precisam estar ao par dos aspectos relativos ao ambiente de suas empresas, que são especialmente suscetíveis ao tipo de mudança que afetará o futuro de suas companhias.



Informações sobre o texto

Como citar este texto (NBR 6023:2018 ABNT)

MARINHO, Ana Paula Correa. Environmental, social and governance: ambiental, social e governança - ASG. Revista Jus Navigandi, ISSN 1518-4862, Teresina, ano 27, n. 6930, 22 jun. 2022. Disponível em: https://jus.com.br/artigos/98742. Acesso em: 11 ago. 2022.