O projeto de lei (PLS 93/2017) da Senadora Rose de Freitas (PMDB/ES) que institui a obrigatoriedade da anotação do estágio na carteira de trabalho.

O projeto de lei (PLS 93/2017) da Senadora Rose de Freitas (PMDB/ES) que institui a obrigatoriedade da anotação do estágio na carteira de trabalho e da Previdência Social na modalidade de contribuinte individual teve parecer pela aprovação do projeto dada pelo Relator Senador José Pimentel (PT/CE). Agora, o projeto entrou em pauta para análise da Comissão de Assuntos Sociais-CAS, com grandes chances de aprovação dada a receptividade da matéria.

Segundo o relator, o projeto é benéfico aos estagiários e inequivocamente representa grande avanço social, pois ao ingressar precocemente ao sistema previdenciário a contagem do tempo de contribuição para aposentadoria inicia mais cedo, além de adquirir direitos como auxílio-doença e acidentário.

Inicialmente o projeto prevê a contribuição de 10% do valor pago como bolsa ou outra forma de contraprestação, excluindo-se auxilio transporte e alimentação, esse valor deve ser rateado entre o contratante e o estagiário.

Fonte: https://legis.senado.leg.br/comissoes/reuniao?2&reuniao=7480&codcol=40


Autor

  • Bruno Fuga

    Doutorando em Processo Civil pela PUC/SP. Mestre em Direito pela UEL. Pós-Graduado em Processo Civil (IDCC) e Filosofia Política e Jurídica (UEL). Membro ABDPro. Membro fundador da Comissão de Processo Civil da OAB de Londrina. Advogado e Professor. Autor de livros e artigos.

    Textos publicados pelo autor

    Site(s):

Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria