A Ferrovia visa muitos benefícios para o estado de Mato Grosso e sonho da população já está mais perto de ser realizado.

A Ferrovia visa muitos benefícios para o estado de Mato Grosso e sonho da população já está mais perto de ser realizado.

O governador do Mato Grosso, Mauro Mendes, recebeu em seu gabinete o senador Ciro Nogueira, ministro-chefe da Casa Civil, em Brasília. A reunião teve a participação de outros senadores e secretários para discutir um assunto bastante importante: a primeira Ferrovia em Mato Grosso, muito esperada pelo povo mato-grossense. 

Em julho, foi realizado o chamamento público, voltado para a construção da ferrovia, sendo a primeira estadual, ligando Cuiabá a Rondonópolis, Lucas do Rio Verde e Nova Mutum.

Medida provisória poderia afetar a construção

Por conta de uma medida provisória que poderia afetar a construção da ferrovia, o ministro garantiu aos presentes que, mesmo se a medida sair, a construção da ferrovia que já está em curso não seria afetada. Portanto, a ferrovia estadual tem segurança jurídica total.

No decorrer da reunião, Ciro confirmou que os trechos presentes na medida provisória que apresentavam riscos de atrapalhar juridicamente a criação da ferrovia estadual foram removidos. Em conversa com o ministro da infraestrutura, Ciro garantiu que o tema já está pacificado.

Para esse tipo de proteção jurídica, vários estados como o Mato Grosso do Sul, estão implementando legislação própria quando o assunto são ferrovias, a fim de garantir segurança jurídica aos investidores.

Um dos senadores presentes na reunião, Jayme Campos, destaca os benefícios que o Mato Grosso terá com a chegada da ferrovia, como a facilitação do transporte da produção agrícola, geração de milhares de empregos e a diminuição do custo do frete. A estimativa é que a obra irá gerar mais de 200 mil novas vagas de trabalho, envolvendo empregos diretos, temporários e indiretos, além da redução do custo do transporte, para aumentar a competitividade do estado.

Sonho da população mato-grossense

A segurança jurídica garantida faz com que o sonho da população mato-grossense saia, finalmente, do papel. A construção da ferrovia estadual é uma ação que toda a população apoia, principalmente o setor de produção.

A luta pela construção da ferrovia de Mato Grosso inspira a luta em defesa da Ferrogrão e da Ferrovia de Integração Centro-Oeste. O senador Carlos Fávaro, também presente na reunião, afirma que o Governo Federal irá destravar os projetos das outras ferrovias. 

Outras obras foram discutidas na reunião, como a proposta de estadualização da BR-174, também conhecida como Manaus – Boa Vista, além de pedirem apoio para os investimentos do Estado para o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, situado no interior do estado, a 70km da capital Cuiabá.

O investimento bilionário para a Ferrovia do Mato Grosso

O estado de Mato Grosso foi o responsável por uma produção de destaque no setor de grãos na safra 2020/2021, com acima de 70 milhões de toneladas produzidas. Esse sucesso faz com que a ferrovia estadual seja um projeto muito valioso, que só trará benefícios, tanto para o estado quanto para o país.

Hoje, quase todas as ferrovias nacionais funcionam com o regime de concessão, em que uma empresa privada assume a operação, pagando uma taxa para o Governo por estar utilizando o ativo. A ferrovia estadual de Mato Grosso será a primeira autorizada por um estado e busca empresas para ser a operadora. 

Com investimento previsto de 12 bilhões de reais, que serão de responsabilidade da empresa operadora eleita, que terá o período de 45 anos de concessão. Um dos requisitos que as empresas devem atender é comprovar que têm capacidade financeira de executar a obra, devendo apresentar capital social e patrimônio equivalentes a 10% do valor do projeto todo. 

No edital, os critérios para que as empresas possam vencer é o menor prazo para a construção da ferrovia, além de maior cobertura do território estadual e maior capacidade de movimentação.

A construção abre novas portas para os investimentos em infraestrutura ferroviária no Brasil, sendo uma atitude muito importante para alavancar o potencial do Mato Grosso. O governador Mauro Mendes afirma que, mesmo distante dos outros grandes centros econômicos, o estado se mostrou forte na competição com outras potências nacionais e mundiais do agronegócio, mesmo sem infraestrutura adequada. 

Então, a expectativa é muito grande para a chegada da expansão da malha ferroviária. O Mato Grosso espera, com a construção da ferrovia, que esteja produzindo cerca de 120 milhões de toneladas ao ano até 2030. 

Serão 730 quilômetros de trilhos, fazendo a ligação de Cuiabá a municípios importantes na produção agrícola, como Rondonópolis, cidade que abriga o maior terminal de grãos da América Latina. Em Rondonópolis começa a Ferronorte, que forma juntamente com a Malha Paulista, a principal via de exportação do agronegócio do Mato Grosso, que tem como destino o Porto de Santos.



Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pela autora. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Tratamento de Dados do Jus.

Regras de uso