A propriedade em Locke

o conceito liberal de propriedade

Publicado em . Elaborado em .

Página 2 de 2»

5. Referências bibliográficas.

            BARROSO, Lucas Abreu. Fundamentos filosóficos do direito de propriedade. Fragmentos de cultura, Goiânia, a. 7, n. 25, p. 11-18, jun. 1997.

            BOBBIO, Norberto. Teoria do ordenamento jurídico. 6. ed. Brasília: UnB, 1995.

            ________________. Locke e o direito natural. Brasília: UnB, 1997.

            CHEVALLIER, Jean-Jacques. As grandes obras políticas de Maquiavel a nossos dias. 6. ed. Rio de Janeiro: Agir, 1993.

            FONTES, André Ricardo Cruz. Limitações constitucionais ao direito de propriedade. In: TEPEDINO, Gustavo (Coord.). Problemas de direito civil-constitucional. Rio de Janeiro: Renovar, 2000. p. 435-456.

            GODOY, Luciano de Souza. Direito agrário constitucional. O regime de propriedade. São Paulo: Atlas, 1998.

            GOUGH, J. W. A teoria de Locke sobre a propriedade. O pensamento político clássico (Maquiavel, Hobbes, Locke, Montesquieu, Rousseau)/ organização, introdução e notas de Célia Galvão Quirino. São Paulo: T. A. Queiroz, 1992.

            JOLIVET, Régis. Curso de filosofia. 8. ed. Rio de Janeiro: Agir, 1966.

            LOCKE, John. Segundo tratado sobre o governo civil: ensaio sobre a origem, os limites e os fins verdadeiros do governo civil - e outros escritos. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994. (Coleção clássicos do pensamento político)

            LYRA FILHO, Roberto. Para um direito sem dogmas. Porto Alegre: Fabris, 1980.

            MARTINS, Rodrigo Baptista. A propriedade e a ética do capitalismo. Rio de Janeiro: Forense, 1999.

            MELLO, Leonel Itaussu Almeida. John Locke e o individualismo liberal/ organizado por Francisco C. Weffort. Os clássicos da política - Maquiavel, Hobbes, Locke, Montesquieu, Rousseau, "O Federalista". 4. ed. São Paulo: Ática, 1993. v. 1.

            RUSSELL, Bertrand. Obras filosóficas. História da filosofia ocidental. 3. ed. São Paulo: CODIL, 1968. v. 3.

            STEFANINI, Luís de Lima. A propriedade no direito agrário. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1978.

            TEPEDINO, Gustavo. A nova propriedade: o seu conteúdo mínimo, entre o Código Civil, a legislação ordinária e a Constituição. Revista Forense, Rio de Janeiro, v. 306, p. 73-78, abr./jun. 1989.

            VECCHIO, Giorgio del. Direito, Estado e Filosofia. Rio de Janeiro: Politécnica, 1952.


Notas

            01

MARTINS, Rodrigo Baptista. A propriedade e a ética do capitalismo. Rio de Janeiro: Forense, 1999. p. 1.

            02

MOISÉS. Êxodo. A Bíblia Sagrada. Brasília: Sociedade Bíblica do Brasil, 1969. p. 84.

            03

GODOY, Luciano de Souza. Direito agrário constitucional: o regime de propriedade. São Paulo: Atlas, 1998.

            04

FONTES, André Ricardo Cruz. Limitações constitucionais ao direito de propriedade. In: TEPEDINO, Gustavo (Coord.). Problemas de direito civil-constitucional. Rio de Janeiro: Renovar, 2000. p. 439.

            05

GODOY, Luciano de Souza. Ob. cit. p. 18.

            06

Ibdem, p. 19.

            07

Ibidem, p. 20.

            08

Ibidem, p. 23.

            09

Ibidem, p. 24-25.

            10

MARTINS, Rodrigo Baptista. Ob. cit., p. 5.

            11

Ibidem, p. 5.

            12

GODOY, Luciano de Souza. Ob. cit., p. 28.

            13

FONTES, André Ricardo Cruz. Ob. cit., p. 443.

            14

TEPEDINO, Gustavo. A nova propriedade: o seu conteúdo mínimo, entre o Código Civil, a legislação ordinária e a Constituição. Revista Forense, Rio de Janeiro, v. 306, p. 73-78, abr./jun. 1989. p. 76.

            15

JOLIVET, Régis. Curso de Filosofia. 8. ed. Rio de Janeiro: Agir, 1966. p. 359.

            16

Ibidem, p. 359.

            17

BOBBIO, Norberto. Locke e o direito natural. Brasília: UnB, 1997. p. 23.

            18

apud BOBBIO, Norberto. Ob. cit., p. 33.

            19

Ibidem, p. 35.

            20

AQUINO, Santo Tomás de. Summa theologica. q. 94, art. 2.

            21

Qualquer lei estabelecida pelos homens é autêntica na medida em que deriva da lei da natureza; se discordar desta, já não será uma lei, mas corrupção de lei. apud BOBBIO, op. cit., p. 40.

            22

apud VECCHIO, Giorgio del. Direito, Estado e Filosofia. Rio de Janeiro: Politécnica, 1952. p. 365.

            23

Ibidem, p. 365.

            24

Ob. cit., p. 369.

            25

Ob. cit., p. 370.

            26

RUSSELL, Bertrand. Obras filosóficas. História da filosofia ocidental. 3. ed. São Paulo: CODIL, 1968. v. 3. p. 142.

            27

CHEVALLIER, Jean-Jacques. As grandes obras políticas de Maquiavel a nossos dias. 6. ed. Rio de Janeiro: AGIR, 1993. p. 117.

            28

LOCKE, Jonh. Segundo tratado sobre o governo civil: ensaio sobre a origem, os limites e os fins verdadeiros do governo civil - e outros escritos. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994. (Coleção clássicos do pensamento político). p. 98.

            29

BOBBIO, Norberto. Op. cit., p. 196.

            30

Ibidem, p. 191.

            31

Ibidem, p. 193.

            32

LOCKE, Jonh. Ob. cit., p. 97 e 99.

            33

Ibidem, p. 272.

            34

RUSSELL, Bertrand. Obras filosóficas. História da filosofia ocidental. 3. ed. São Paulo: CODIL, 1968. v. 3. p. 168.

            35

LOCKE, Jonh. Ob. cit., p. 167.

            36

Ibidem, p. 168.

            37

Ibidem, p. 99.

            38

Apud BOBBIO, Norberto. Op. cit., p. 205.

Autor


Informações sobre o texto

Como citar este texto (NBR 6023:2002 ABNT)

BARBOSA, Alessandra de Abreu Minadakis. A propriedade em Locke: o conceito liberal de propriedade. Jus Navigandi, Teresina, ano 10, n. 869, 19 nov. 2005. Disponível em: <http://jus.com.br/artigos/7601>. Acesso em: 19 abr. 2014.


Comentários

0

Livraria