Como atualizar valores monetários no tempo

Publicado em . Elaborado em .

«Página 1 de 1»

METODOLOGIA

- AJUSTE DO PADRÃO MONETÁRIO
- LEVANTAMENTO DOS ÍNDICES INFLACIONÁRIOS
- COMPOSIÇÃO:(PADRÃO MONETÁRIO AJUSTADO)
x
(INFLAÇÃO ACUMULADA NO PERÍODO)
=
VALOR ATUALIZADO


AJUSTE DO PADRÃO MONETÁRIO

A atualização de qualquer padrão monetário conduz a averiguação do comportamento da unidade monetária (moeda), decorrente das circunstâncias econômicas do País. No Brasil, já tivemos, por diversas vezes, a troca da unidade monetária.

Padrão monetário é a denominação que se dá à moeda de um país. Entre 1833 e 2002, o Brasil teve 9 padrões monetários. O advento da Unidade do Sistema Monetário Brasileiro, nos padrões atuais, ocorreu no século passado, quando a Casa da Moeda, na época situada no Estado da Bahia, imprimiu as primeiras cédulas do real (plural = réis).


ÍNDICES INFLACIONÁRIOS

Os melhores e mais simples indicadores da inflação são os preços. Suas flutuações assumiram no desenvolvimento financeiro do Brasil, tal importância, que se tornou necessário demonstrar, pelo menos um esboço, da principal tendência.

O aumento do índice geral de preços é chamado inflação. Quanto há inflação, isto é, quando todos os preços aumentam depressa é quase certo que os preços dos bens de consumo também se elevam com rapidez.

O aumento rápido do custo de vida e a inflação não são bem sinônimos, pois no cálculo da inflação entra um número bem maior de mercadorias (bens e serviços) —cada uma com seu "peso", conforme a proporção que ele ocupa no gasto geral de todo o País—, mas as duas estão estritamente unidas.

Considerando-se que:-

a) índices de preços são números que medem a variação média dos preços de um conjunto de bens e serviços durante um intervalo de tempo;

b) as principais categorias de índices de preços são:

ConsumidorAtacado/ProdutorDeflator do PIB

c) para o tipo de atualização que se pretende (valor monetário), deve ser usado índice de grande cobertura (índices de preços por atacado ou deflatores do PIB) —recomendado pelo Banco Mundial, que publica e emprega séries de "wholesale-prices indexes" para valores expressos em dólares americanos,

temos os índices por atacado denominado IGP-DI (Índice Geral de Preço no conceito da Disponibilidade Interna), publicado pela Fundação Getúlio Vargas —representante histórico da inflação desde 1945.

Índice que representa uma média ponderada de 3 distintos índices de preços:

um índice por atacado (DI)* (com peso de 60%);

um índice de preços da construção civil (INCC) (com peso de 10%), e

o índice de preços ao consumidor (INPC)** ("representativo" do Brasil, com peso de 30%).

* Quantifica a variação nos preços dos insumos e fatores de produção (e demais produtos intermediários).

** Quantifica a variação nos preços dos produtos finais consumidos pela população, tendo como base os hábitos de consumo de uma família padrão.

Para períodos anteriores estão disponíveis, somente, algumas séries de índices de preços ao consumidor, construídas de maneiras bastante precária, dando-se preferência para o período de 1870-1913 pela série de Catão, pois representa um índice de preços por atacado compilada a partir de preços publicados no Jornal do Commércio considerando-se 30 diferentes produtos e outros itens extraídos de fontes secundárias. A título de exemplo, encadeio um índice a partir de 01 de janeiro de 1902.

Taxas derivadas do trabalho de Luis A. V. Catão, "A new wholesale price index for Brazil during the period 1870-1913.", R. Bras. Econ., RJ, 46(4): 530, 1992

Por falta de índices detalhados sobre os preços por grupos de produtos, para o período de 1914 – 1944, tem-se o deflator do PIB, conforme trabalho de Goldsmith, que republica os refinamentos das estimativas apresentados no trabalho de C. R. Contador e C. L. Haddad.

Taxas referentes ao índice publicado por Raymond W. Goldsmith, "Brasil 1850-1984: Desen-volvimento Financeiro sob um Século de Inflação.", Ed. Harper & Row do Brasil Ltda., 158, 1986.

Taxas referentes ao índice publicado pela FGV:-= IGP-DI

COMPOSIÇÃO

Utilizando toda a seqüência das taxas desde 01 de janeiro de 1902 até junho de 2002, temos:
10.014.276.299.451.000

R$ 0,0000000000003636 x 10.014.276.299.451.000 = R$ 3.641,56

Portanto, considerando o valor de 1 conto de réis (Rs 1.000$000) em data de 01 de janeiro de 1902, e, utilizando a metodologia aqui explanada, pode-se afirmar que em data de 01 de julho de 2002 tem-se o valor de R$ 3.641,56 (três mil, seiscentos e quarenta e um reais e cinqüenta centavos).

Assim, conforme demonstrado, é possível atualizar qualquer valor monetário no tempo.


Autor


Informações sobre o texto

Como citar este texto (NBR 6023:2002 ABNT)

SILVA, Antônio Pereira da. Como atualizar valores monetários no tempo. Jus Navigandi, Teresina, ano 9, n. 446, 26 set. 2004. Disponível em: <http://jus.com.br/artigos/5651>. Acesso em: 20 out. 2014.


Comentários

1

Livraria