a polêmica aposentadoria de Joaquim Barbosa

Neste defasado país tomado pela doença, pela praga, chamada corrupção, o sistema está tão corrompido e podre, que, ou o honesto, o correto e o moral se suja nessa lama perniciosa chamada política, se corrompendo, ou infelizmente acaba morrendo, ou enfim, consequentemente se aposentando. 

Jamais um ministro tão combatente, ainda novo na idade, podendo exercer aproximadamente mais uns dez anos no maior cargo da magistratura, ajudando a limpar essa sujeira, anunciaria sua aposentadoria de maneira tão prematura.

Isso cheira a coação política, isso é pura e simplesmente a renúncia de guerrear uma batalha suja, onde o mal está prevalecendo.

Agora sim, acredita-se muito mais na sua honestidade e na sua ilibada moral nobre ministro, pois vislumbra-se que Vossa Excelência não se mistura a corja, mas prefere se distanciar dela.

Pode-se concluir que o brasileiro já está com saudade, pois foram pouquíssimos os detentores de grandes cargos que deram a cara a tapa, que combateram com tanta veemência as falcatruas da corrupção, tanto é que, nós habitantes desse tão sofrido país, somos tão carentes desse tipo de personalidade, que logo queremos elegê-lo presidente.

Enfim, espera-se que esse grande herói da magistratura, possa inspirar muitos que se acanham e levam uma vida normal, sendo certo que se houvessem parceiros para se juntar ao excelentíssimo senhor presidente do supremo, que está na iminência de se aposentar, tenho certeza que ele não o faria, pois é bíblico que, "Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro, mas ai do que estiver só, pois, caindo, não haverá outro que o levante. Também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só, como se aquentará? E, se alguém prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; e o cordão de três dobras não se quebra tão depressa.(Eclesiastes 4:9-12).

Entretanto, como não há corajosos para se juntar ao nosso intrépido herói da lei, não tem outra saída melhor para ele do que se aposentar. O Brasil, torce pela sua integridade Senhor ministro. 


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria