Uma palavra empregada por Aécio Neves na maioria de suas entrevistas na campanha eleitoral que pode significar ao mesmo tempo muita coisa ou nada dependendo do nível mental, das paixões, ou dos interesses individuais dos seus eleitores.

Neste período eleitoral, mais propriamente nas entrevistas (TV Globo) do que no horário da propaganda ”gratuita” ouvi diversas vezes a palavra previsibilidade dita pelo candidato de oposição Aécio, de modo a externar ou condensar seu programa político na confrontação dos programas de governo. Esta palavra que em princípio significa que a ação de conduta de um indivíduo quando mantida, leva conseqüentemente a um resultado previsível. Para ele, no entanto tentava passar a impressão que ao contrario do seu adversário sua equipe era confiável gozando de prestígio dos investidores, e que isso, por si só, já seria suficiente para garantir a melhora nos indicadores econômicos e permitir mais tempo para os ajustes.

Aliada a ela, outra palavra era sempre repetida, a Transparência como algo que se deixa transparecer ou que realmente é, sem disfarces e na intenção de desconstruir os programas sociais existentes, que apesar de bons, precisavam de melhorias que dependiam da mudança na condução política.

Analisando ambos os candidatos por meio das imagens das campanhas, as entrevistas, e o histórico político de ambos, Dilma e Aécio, facilmente podemos constatar, deixando de lado e respeitando as paixões e ódios externados pelos eleitores dos dois lados, ou mesmo os medos ou interesses individuais, que quem tem plano de governo é que os fez, os faz e, portanto tem condição de mantê-los ou ajustá-los e melhorá-los. Quem tem expectativas de fazer algo, desconhecendo o resultado, ou as condições necessárias para levar um plano adiante exatamente por que não teve ainda experiência para tal, se baseia na previsibilidade.

A desproporcionalidade do peso político dos candidatos resulta no desequilíbrio das propostas, onde Dilma representa a política social, enquanto Aécio, a econômica, exemplos espelhados pelos programas partidários do PT e do PSDB que embora semelhantes nas idéias, são completamente diferentes na prática, mostrada pelos seus antecessores na presidência.

Aécio sempre ressaltou a eficiência dos planos sociais implantados, talvez com receio de ser mal visto pelos eleitores beneficiados, mas contestou suas eficácias de modo a não dar razão a adversária, propondo que os manteria (contrariando  o desejo dos seus eleitores) e que os estenderia em qualidade e quantidade. Talvez isso seja previsibilidade, isto é uma ação previsível, pegar o que existe e funciona, e assumir a autoria.

Fora isso, nada no programa proposto pela oposição justifica qualquer mudança, exceção feita à escolha do seu ministro da economia, que certamente garantirá a previsibilidade com base na experiência anterior seguindo o receituário do FMI, ajudando as corporações bancárias, e naquilo que não tiveram oportunidade de realizar, como vender as estatais restantes (vide abastecimento hídrico de São Paulo), a criação de fundos privados para os aposentados (a renda auferida será em função das aplicações das minguadas aposentadorias na bolsa de valores), o fim dos fundos de pensão, ou aplicação dos mesmos em programas governamentais, a independência do Banco Central embora com o controle dos dados econômicos, taxação dos produtos chineses (substituição das importações e reserva de mercado), reforma da CLT de modo a substituir o direito de greve pelos acordos patronais. Os dois lados se esmeraram em acusações mútuas de corrupção o que provou que nenhum deles pode empunhar a bandeira da ética.

O certo é que a palavra vazia de previsibilidade nada significa frente às necessidades que o Brasil precisa, nas conquistas que vem obtendo na eliminação da pobreza e no respeito internacional. Previsibilidade é manter o time quando está ganhando!


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria