Neste artigo irá descrever a porcentagem e o valo em dinheiro, do quanto pagamos em nossos produtos, desde dos produtos básicos do dia a dia até carros, móveis entre outros.

Com o inicio do ano vem-se como ele os cruéis impostos, é IPTU, IPVA que tiram muitas noites de sono de vários brasileiros, mas esquecem-se dos outros impostos que consomem boa parte de seus salários (isso sem contar das deduções de outros impostos e taxas que são abatidas diretamente de seus salários).

O Brasil é um dos países tributos do mundo, perfazendo cerca de 35,21%[1](trinta e cinco, vinte e um por cento) do PIB brasileiro. Enquanto em nações subdesenvolvidas ou em desenvolvimento há no máximo dois impostos sendo cobrados (federal e um estadual) e em países desenvolvidos, há apenas um imposto é cobrado.

Cada produto, e não estou brincando, tem sua cota de impostos embutidos, aos quais nem nos damos conta, desde produtos básicos do dia a dia até moveis, aos quais nem paramos para notar, nos pagamos impostos em tudo o que consumimos.

Vamos aos exemplos, nos alimentos são embutidos pasmem sete (7) tipos de impostos, sendo:

- PIS (Programa de Integração Social);

- CONFINS (Contribuição para o Financiamento de Seguridade Social);

- ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços);

- IPI (Imposto sobre produtos Industrializados);

- Contribuição Previdenciária;

-Imposto de Renda;

- Contribuição Social sobre o Lucro.

Conforme pesquisa do IBGE sobre o impacto da carga tributária na alimentação, o Ipea demonstrou pesquisa, que a isenção de tributos sobre alimentos, reduziria a população indigente brasileira em 24,2%[2](vinte e quatro, dois por cento) e o número de pobres em 7,1% (sete, um por cento).

Outro caso de abuso na cobrança de impostos são os embutidos em automóveis, no Brasil é cobrado cerca de 27%[3](vinte e sete por cento) a 40%[4](quarenta por cento), enquanto que na Argentina a carga tributária de um automóvel varia de 15 %[5](quinze por cento) a 20% (vinte por cento), já no México a carga tributária de automóvel é de 20%[6](vinte por cento), fica claro nesse demonstrativo de dados tributários, que a vergonhosa redução de IPI de veículos, feita pelo governo, trata-se de uma manobra fajuta, pois, por exemplo, enquanto um modelo de carro no Brasil custa cerca de R$ 32 mil (trinta e dois mil reais), na Argentina o mesmo carro é vendido por R$ 22 mil (vinte e dois mil reais) e no México, espantem-se, será vendido ainda mais barato por R$ 18 mil (dezoito mil reais).

Há uma reforma tributária estacionada há cerca de 10 anos no congresso, como não atende aos interesses dos nossos representantes, ela ficará por lá por mais 10, 20, 30 anos.

A seguir uma tabela com mais alguns exemplos da porcentagem de impostos cobrados sob produtos aqui no Brasil.[7]

ALIMENTOS:

Frango              17,91%

Peixe                18,02%

Sal                    29,48%

Trigo                 34,47%

Arroz                18%

Óleo de soja    37,18%

Farinha            34,47%

Feijão              18%

Açúcar            40,40%

Leite               33,63%

Café               36,52%

Macarrão       35,20%

Margarina      37,18%

Biscoito         38,50%

Chocolate      32%

Ovos             21,79%

Frutas           22,98%

HIGIENE PESSOAL:

Sabonete            42%

Xampu                52,35%

Condicionador    47,01%

Desodorante      47,25%

Papel higiênico  40,50%

Pasta de dente   42%

MATERIAL DE LIMPEZA:

Álcool                   43,28%

Detergente           40,50%

Sabão em pó       42,27%

Desinfetante        37,84%

Água sanitária     37,84%

LOUÇAS:

Pratos                  44,76%

Copos                  45,80%

Garrafa térmica    43,16%

Talheres               42,70%

Panelas                44,47%

DIVERSOS:

Roupas                      37,84%

Sapatos                      37,37%

Medicamentos            36%

Contas de agua          29,83%

Contas de luz             45,81%

Contas de telefone     47,87%

 

BIBLIOGRAFIA

http://www.logisticadescomplicada.com/o-povo-brasileiro-e-os-impostos/


[1]http://www.logisticadescomplicada.com/o-povo-brasileiro-e-os-impostos/

[2]http://www.logisticadescomplicada.com/o-povo-brasileiro-e-os-impostos/

[3]http://www.logisticadescomplicada.com/o-povo-brasileiro-e-os-impostos/

[4]http://www.logisticadescomplicada.com/o-povo-brasileiro-e-os-impostos/

[5]http://www.logisticadescomplicada.com/o-povo-brasileiro-e-os-impostos/

[6]http://www.logisticadescomplicada.com/o-povo-brasileiro-e-os-impostos/

[7]{C}http://www.logisticadescomplicada.com/o-povo-brasileiro-e-os-impostos/



Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria