Sendo vantagem para milhares de sociedades, o SuperSimples abre as portas para os advogados

Entre diversas alterações significativas para o Simples Nacional, trazidas pela publicação da Lei Complementar n° 147 no dia 8 de agosto de 2014, fica autorizado que os escritórios de advocacia façam parte do regime a partir de 2015. O ano cheio de mudanças tributárias trará positivas mudanças para os advogados, uma vez que foi permitido que esses aderissem o regime, sendo ele caracterizado pelo recolhimento unificado de tributos e pela simplificação das obrigações acessórias.

Aqueles que quiserem aderir ao SuperSimples, deverão solicitar sua inclusão a partir do dia 1° de janeiro até o dia 30 do mesmo mês, não sendo possível solicita-la após esta data, assim como afirma o comunicado da Secretaria-Executiva do Comitê Gestor do Simples Nacional da Receita Federal. Este poderá acarretar em diminuição da carga tributaria, servindo assim de estimulo a advocacia.

Optando pelo sistema, o advogado poderá pagar os impostos federais, estaduais e municipais (ISS, PIS, COFINS, IRPJ, CSLL, IPI, ICMS e ISS) e da contribuição previdenciária de modo unificado, facilitando a contabilidade do seu escritório. Na tabela IV de tributação do Simples Nacional, consta que empresas com faturamento anual entre R$ 180 mil e R$ 3,6 milhões terão alíquotas variantes de 4,5% a 16,85%, respectivamente.  Anteriormente, a alíquota para quem faturava R$ 180 mil era de 11,2%.

Para aqueles que estão aderindo à sociedade, a opção pelo SuperSimples pode ser feita no ato de criação. De certo, essa noticia é ótima, ainda mais para os advogados em inicio de carreira e para aqueles escritórios de advocacia de menor estrutura. É importante que todos consultem um profissional tributário para verificar se a opção é vantajosa para o seu caso, o E-Fiscal Regime de Tributação, por exemplo, é um aplicativo que mostra o melhor regime de tributação para cada empresa.



Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria