O ARTIGO EXPÕE CASO PRÁTICO ACONTECIDO NO ÂMBITO DA JUSTIÇA ESPORTIVA.

~~DIREITO DE OPINIÃO

ROGÉRIO TADEU ROMANO
Procurador Regional da República aposentado

Na história do processo, nos tribunais esportivos, tem-se o exemplo do advogado José Carlos Vilela, do Fluminense, que foi á Justiça Comum pedir absolvição do centroavante Flávio, um dos maiores goleadores do futebol brasileiro, suspenso do jogo contra o América por ter recebido cartão vermelho contra o Vasco da Gama.
Era necessário pedir efeito suspensivo para que ele jogasse aquela partida.  
O fato aconteceu em maio de 1969.
A argumentação foi aceita e Flávio jogou e fez o gol da vitória aos 40 minutos do segundo tempo.
O efeito suspensivo concedido a um recurso no âmbito do desporto, pode ser visto segundo os requisitos do artigo 147 – B do CBJD, combinado com o artigo 53 da Lei 9981/00, de forma que deve levar em conta a presença de dois requisitos de mérito da tutela cautelar(fumaça de bom direito e perigo de demora). A fumaça de bom direito envolve a chance de se obter resultado favorável no julgamento do mérito da pretensão e o perigo de demora diz respeito ao grave risco de dano ao direito pela ação do tempo.
Lembre-se que aplica-se o artigo 147 – B, I,  do CBDJ quando a penalidade imposta pela decisão recorrida exceder o número de partidas ou o prazo definidos em lei e desde que requerido pelo punido.
Veja-se o caso do técnico Luxemburgo do Flamengo.
Ele foi punido por dois jogos por ter, na entrevista coletiva concedida recentemente, afirmado que “deveriam dar porrada na federação”.
A denúncia se baseou nos artigos 243 – B, 243 – C, 243 – D e artigos 258 combinado com 156, 157, I e III e 179, V e VI e parágrafo primeiro do artigo 35 do CBJD.
Disse ele:
"Tem que dar porrada na federação. Vou impedir o Bressan de ser convocado para a seleção olímpica? A federação só quer que tenha cinco amadores (juniores) inscritos. Tenho o Leonardo. O trabalho do Flamengo na base está excelente. Não temos quatro, temos cinco zagueiros. Um convocado (Bressan), o Samir está lesionado e o Wallace, suspenso. Temos 23 jogadores, mais quatro a sete do departamento amador. Aí acontece tudo para que a gente possa buscar no departamento amador. Hoje tenho o Sávio, Baggio, Jorge e Jajá. Não poderia pegar um zagueiro também? Não, porque só podem cinco inscritos dos juniores, e já tinha o Daniel como terceiro goleiro. O culpado sou eu ou o futebol está feito de maneira equivocada? O que posso falar? Não existe prova, tem que provar nada, tem que fazer o que tem que ser feito. A montagem do elenco foi feita focando nos mais versáteis. Foi para usarmos nesse momento. As oportunidades aparecem. Hoje estou chateado. A gente vê coisas que não têm nada a ver. A federação é contra o futebol, está preocupada com o campo dela, de não poder jogar com time reserva. A televisão, que paga, sabe que vai ter clássico, que faz parte do jogo. A federação não quer reserva e esquece que tem juniores. O trabalho é feito há anos assim. A gente vai revelando, assim é feito, não pode tirar esse direito. Isso é contra o futebol. Você precisa do cara e não pode usá-lo."
A ideia que se tem é de que o treinador simplesmente exteriorizou algo já discutido pela imprensa envolvendo o que entendeu por péssimo planejamento e organização do Campeonato. Como cidadão, exerceu o seu direito de crítica num Estado democrático de direito.
Sampaio Dória(Direito Constitucional, volume III) ensinava que liberdade de pensamento é “o direito de exprimir, por qualquer forma, o que se pense em ciência, religião, arte ou o que for”. É forma de liberdade de conteúdo intelectual e supõe o contacto do indivíduo com seus semelhantes.
A liberdade de opinião resume a própria liberdade de pensamento em suas várias formas de expressão. Daí que a doutrina a chama de liberdade primária e ponto de partida de outras, sendo a liberdade do indivíduo adotar a atitude intelectual de sua escolha, quer um pensamento intimo, quer seja a tomada de uma posição pública; liberdade de pensar e dizer o que se creia verdadeiro, como dizia José Afonso da Silva(Direito Constitucional positivo, 5ª edição, pág. 215).
De outro modo, a liberdade de manifestação de pensamento constitui um dos aspectos externos da liberdade de opinião. A Constituição Federal, no artigo 5º, IV, diz que é livre a manifestação de pensamento, vedado o anonimato, e o art. 220 dispõe que a manifestação do pensamento, sob qualquer forma, processo ou veiculação, não sofrerá qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição, vedada qualquer forma de censura de natureza política, ideológica e artística.
A liberdade de manifestação de pensamento que se dá entre interlocutores presentes ou ausentes, tem seu ônus, tal como o de o manifestante identificar-se, assumir, de forma clara, a autoria do produto do pensamento manifestado, para, em sendo o caso, responder por eventuais danos a terceiros.
Ainda se fala em liberdade de expressão intelectual, artística e cientifica e direitos conexos, de forma que não cabe censura, mas classificação para efeitos indicativos(artigo 21, XVI).
Deve-se respeitar a liberdade de expressão, o direito de se expressar livremente, a faculdade de apresentar um pensamento, um dos pilares da democracia.
Demonstrou o conhecido técnico de futebol, que já dirigiu a seleção brasileira, no passado, seu repúdio a decisões que foram tomadas, sem caráter abusivo, ainda que com uso de linguagem imprópria. Mas não quis atingir moralmente a ninguém.
Tenha-se em conta que o direito de criticar, publicamente, sobrepõe-se a eventuais suscetibilidades que possam revelar as pessoas públicas. O que se não se pode é ofender a honra seja ela objetiva ou subjetiva de alguém a quem se desferem os comentários ou expressões.
O Clube de Regatas  Flamengo ajuizou  pedido de efeito suspensivo a recurso voluntário para poder ter  seu técnico dirigindo seu time, principalmente no clássico contra o Fluminense, que é um dos mais emblemáticos do futebol brasileiro. Não obteve sucesso.


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria