O presente artigo busca tratar temas introdutórios sobre o estudo do direito. Aqui serão tratados temas como direito e moral, fontes do direito, as normas jurídicas, as relações jurídicas.

RESUMO

O presente artigo busca tratar temas introdutórios sobre o estudo do direito. Aqui serão tratados temas como direito e moral, fontes do direito, as normas jurídicas, as relações jurídicas.

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO:
Direito e moral, fontes do direito, normas jurídicas e as relações jurídicas

Direito e Moral

Aproximações: Orientação da conduta humana; manifestam-se por regras (normas) dotadas de imperatividade; coesão social; normas modificadas no momento em que perdem sua eficácia.

Divergências: A moral atua no interior e o direito no exterior.
Quanto a quebra de suas normas, existem consequências individuais (remorso), sociais (reprovação, zombaria) e jurídicas (multas, penas).

Fontes do Direito

Lei, costumes, jurisprudência e doutrina.

  • Lei: Fonte imediata e principal (Vigência: início da executoriedade obrigatória da norma)

Promulgação: ato proclamatório onde se dá conhecimento a todos que determinado projeto de lei converteu-se em lei.

Publicação: Divulgação do texto da lei por meio do órgão oficial do governo (Diário Oficial).

(Vacatio Legis: Vigor 45 dias depois de publicada, ou tempo previsto no texto da lei)

Eficácia: Recepção efetiva da lei. Tempo: momento que a lei começa a vigorar.
Espaço: Limites territoriais.

Revogação: saída da lei do ordenamento jurídico. Pode ser revogada quando cria-se uma nova lei que menciona a revogação da anterior (revogação expressa); a nova lei torna incompatível a validade simultânea de ambas (revogação tácita); ou quando a lei nova regulamenta inteiramente a matéria da lei anterior, mas também poderão coexistir as duas.

  • Costume: Coletividade de hábitos, para ser considerado um costume, deve: ser observado durante prazo longo, de modo constante, não pode ser contrário a moral, deve ter caráter obrigatório no seio da sociedade.
  • Jurisprudência: Decisões judiciais proferidas pelos tribunais superiores.
  • Doutrina: opinião de juristas expressa em obras de referência.

Norma Jurídica

Ponto culminante ao processo de elaboração do Direito e ponto de partida da Dogmática Jurídica.

Direito Positivo: Padrões de conduta impostos pelo Estado para que seja possível a convivência dos homens em sociedade.

Norma x Lei: Lei é apenas uma das formas de expressão da Norma que também se manifesta pelo direito dos costumes e em alguns casos pela jurisprudência. Norma nem sempre é uma lei, mas lei sempre é uma norma.

Características

Bilateralidade (direito e dever), generalidade (valor pra qualquer um e a todos), abstratividade (regular de forma abstrata abrangendo o maior numero possível de casos semelhantes), imperatividade (a norma não é uma mera recomendação, é ordem a ser seguida) e coercibilidade (possibilidade do uso de meios compulsivos ou se força para que seja cumprida a norma).

Classificação


- Quanto a temporalidade, por sua vigência: Por prazo determinado pela própria lei ou por prazo indeterminado.

- Quanto a sanção: Perfeitas (sanção é nulidade, como se fosse inexistente); Mais que perfeitas (ato nulo, já existiu mas não vale mais, há previsão de sanção/punição); Menos que perfeitas ( tratado somente com apenação, penalidade); Imperfeitas (quando estas não preveem a possibilidade de sanção).

- Quanto à hierarquia: Constitucionais (CF); Complementares (complementam a CF); Leis ordinárias (leis aprovadas pelo poder legislativo); Normas regulamentares (textos legais de base constitucional que não poderiam estar contidos na CF).

Relação Jurídica

A relação jurídica basicamente constitui-se de quatro elementos essenciais: Sujeito ativo, sujeito passivo, vinculo jurídico e objeto.

Sujeito ativo: é o titular do direito e o credor da obrigação principal

Sujeito passivo: é o devedor responsável pelo cumprimento da obrigação principal.

Não há relação jurídica entre pessoa e coisa mas apenas entre pessoas.

Vinculo Jurídico: resultado da relação intersubjetiva (Ex: Contrato).

Objeto: figura em torno da qual se constitui a relação jurídica; o direito de um sujeito é o dever (obrigação) de outro.

  • Conceitos: “A relação jurídica é, antes de tudo, uma relação social. É uma relação social especial, estabelecendo uma correlatividade entre direitos e poderes e obrigações e deveres”.

“Relações jurídicas são relações da vida social, entre pessoas consideradas sujeitos de direitos e cujos efeitos a lei garante”.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ACQUAVIVA, Marcus Claudio. Introdução ao Estudo de Direito. São Paulo: Editora Brasiliense, 2006.


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria